Black Friday: Comércio espera gasto médio de R$ 600 no Rio Grande do Norte

Publicação: 2020-11-22 00:00:00
Ricardo Araújo
Editor de Economia

Uma das datas mais importantes para o comércio norte-americano se consolidou no Brasil há poucos anos e o comércio nacional, em ritmo de retomada após um período nebuloso de queda nas vendas por causa da pandemia da covid-19, anseia pela Black Friday. O dia oficial do evento é a próxima sexta-feira (27), mas o varejo já está preparado e anunciando grandes promoções há dias. No Rio Grande do Norte, conforme pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio RN) obtida com exclusividade pela TRIBUNA DO NORTE, aproximadamente 60% dos potiguares irão às compras e pretendem gastar, em média, R$ 600.
Créditos: Adriano AbreuLojas em Natal estão preparadas para aumento na movimentaçãoLojas em Natal estão preparadas para aumento na movimentação

A Black Friday é tida como um termômetro pelo comércio varejista nacional para as compras de fim de ano. O volume de itens vendidos na semana do ciclo natalino é o maior do ano, com destaque para vestuário, perfumaria e prestação de serviços (salões de beleza, por exemplo). "De uma maneira geral, os números nos animam e nos levam a seguir confiantes na consolidação da retomada das vendas do varejo no estado. A Fecomércio, inclusive, está enviando aos empreendedores um e-book com 10 dicas para aproveitar bem esta data que será uma espécie de prévia para as vendas de final de ano", afirma o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz.

Conforme a pesquisa da Federação, em Natal, 56,8% dos entrevistados pretendem comprar na Black Friday deste ano, queda de 3 pontos percentuais em relação ao ano passado (59,8%). “Os 43,2% dos natalenses que não irão às compras, apontam a falta de dinheiro (34,4%); não gostar da data (23,5%); o desemprego (8,9%); as contas ou dívidas em atraso (8,1%); e a pandemia (6,5%) como motivos para não gastarem”, detalha o levantamento do Departamento de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DEES/Fecomércio RN). O DEES aponta que 44% dos consumidores estão pensando em aproveitar a data para antecipar suas compras de Natal.

Para os natalenses que vão às compras, os produtos mais desejados são eletrodomésticos (33,6%); eletrônicos (21,1%); celulares/smartphones/tablets (20,3%); roupas (14,8%); móveis e decoração (13,3%). Além disso, a maioria dos entrevistados (56,8%) considera comprar itens não planejados, caso os descontos oferecidos pelo comércio sejam atrativos. O valor médio gasto será  de R$ 619,44. Em 2019, os compradores gastaram, em média,  R$ 692,48 (10,5% a mais). O cartão de crédito será o meio mais utilizado para a aquisição dos produtos. A maioria irá comprar em lojas físicas (38,3%).

Dos consumidores natalenses que irão aproveitar a data, 78,7% confirmou que irá pesquisar antes de comprar. Desses, que 52,8% realizarão pesquisa para confirmar se os produtos estão, de fato, na promoção e 25,9% para escolher as lojas em que os produtos desejados estejam mais baratos. “Para garantir a clientela, os empresários devem focar em descontos, pois 44,5% dos consumidores irão dar prioridade a esses estabelecimentos. Em seguida, os consumidores procurarão por preço baixo (35,1%); qualidade dos produtos (10,6%); facilidade de pagamento (10,5%); atendimento diferenciado (9,1%); necessidade (8,8%); variedade de itens (4,5%); e divulgação dos produtos (1,5%)”, ressalta a pesquisa da Fecomércio/RN.