Cookie Consent
Natal
Média diária de novos casos de covid-19 recua
Publicado: 00:00:00 - 16/07/2020 Atualizado: 22:16:53 - 15/07/2020
Luiz Henrique Gomes
Repórter

A média de novos casos de covid-19 no Rio Grande do Norte caiu na última semana, segundo a subcoordenadora de Vigilância da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), Alessandra Lucchesi. Depois de um período com uma média de 1,4 mil novos casos por dia, a Sesap/RN registrou aproximadamente 585 novos casos diários nos últimos sete dias. Nesta quarta-feira, 15, o Estado chegou a 40.606 infectados e 1.473 mortes confirmadas pelo novo coronavírus. São 265 novos casos confirmados e 30 mortes a mais registradas em relação ao último Boletim Epidemiológico. Treze morte ocorreram entre a terça-feira, 14, e esta quarta-feira, 15.

Sandro Menezes
Números foram apresentados por Alessandra Lucchesi, da Sesap

Números foram apresentados por Alessandra Lucchesi, da Sesap



Leia Mais

Segundo Lucchesi, esse pode ser um sinal de que o pico da pandemia passou, mas, para confirmar isso, é preciso observar as estatísticas por mais tempo. Ela chamou atenção para a mortalidade, que permanece alta, apesar de uma redução de 39% com relação a duas semanas atrás. “A redução da taxa de mortalidade tem sido muito tímida. É necessário que a gente tenha uma análise mais apurada disso. Existe um 'delay' de 15 dias entre a redução de casos e a redução de mortes que a gente precisa esperar para confirmar mesmo essa queda", disse.

O número de casos suspeitos chegou a 54.421, e de descartados, a 63.158. Outras 221 mortes permanecem em investigação. Segundo a Sesap/RN, o crescimento de suspeitos, que passou de 50 mil no dia 8 de julho para 54 mil nesta quarta-feira, reflete o período de circulação de outros vírus gripais.

Na fase mais aguda da pandemia do coronavírus, em junho, o Rio Grande do Norte chegou a registrar 1,4 mil casos por dia e, em alguns dias, mais de 3 mil novos infectados. Segundo Lucchesi, no início a média era de 100 novos casos por dia. “Verificamos esse percentual de queda dessa incidência nas diversas regiões de saúde, porém é preciso muito cuidado porque vivemos um momento de reabertura, mas não de relaxamento das medidas de precaução e prevenção. Todas as fases de abertura tem sido prosseguidas de acordo com a análise epidemiológica", afirmou.

O outro termômetro da Sesap/RN para verificar o nível da pandemia do novo coronavírus é a ocupação dos leitos críticos (UTI ou semi intensivo) da rede pública de saúde. A ocupação geral era de 82,5% na tarde desta quarta-feira, 15. A região com a maior ocupação é a de João Câmara, com todos os leitos ocupados. As regiões Metropolitana de Natal e Oeste, as mais críticas desde o início da pandemia, estão com 86% e 92%, respectivamente. No Alto Oeste, em Pau dos Ferros, e no Seridó, com os leitos em Caicó, a ocupação é de 50% e 83%, respectivamente.

Ainda na tarde desta quarta-feira, 15 pacientes em estado grave e em leitos clínicos aguardavam transferência para leito crítico. A média entre regular o paciente e realizar a transferência para a unidade de saúde atual é de 5 horas e 12 minutos. Esse tempo caiu pela metade após a contratação de uma empresa para aumentar a quantidade de ambulâncias, no início de julho. Em junho, o tempo médio de espera para a transferência chegava a 10 horas.

Outros cinco pacientes seguem na fila de espera por leito crítico, seja por apresentar quadro instável de saúde, impossibilitando o transporte sanitário, ou por exigir leito específico (caso de grávidas e crianças, por exemplo).

Redução de mortes
Na segunda-feira, 13, o Rio Grande do Norte já havia apresentado a maior redução de mortes diárias causadas pela Covid-19 entre todos os Estados brasileiros, segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa. A redução foi de 39%, comparada à semana anterior ao dia 13 de julho com o cenário observado entre os dias 22 e 29 de junho. A média de mortes passou de 34 para 21 no período. Apenas outros quatro Estados apresentaram redução na média de mortes (Roraima, Amapá, Amazonas e Pará). 

No entanto, Alessandra Lucchesi afirmou que a redução é tímida e pediu cautela. Nesta quarta-feira, por exemplo, a Sesap/RN registrou mais 30 mortes, das quais 13 ocorreram nas 24 horas anteriores à divulgação do dado. O número está acima da média registrada. “É necessário que a gente tenha uma análise mais apurada disso para confirmar ou não essa queda”, ressaltou Lucchesi.





Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte