Cookie Consent
Natal
Médicos da UPA continuam sem trabalhar pelo menos até sexta
Publicado: 00:00:00 - 02/11/2016 Atualizado: 23:53:43 - 01/11/2016
A Unidade de Pronto-atendimento localizada no município de Parnamirim amanheceu fechada ontem porque 38 médicos assinaram o pedido de demissão coletiva. Os principais motivos para o pedido de demissão são as condições de trabalho e atraso no pagamento dos salários. Na noite de ontem, a categoria realizou uma reunião para analisar a proposta da Prefeitura de Parnamirim. A reivindicação da formalização dos contratos de trabalho finalmente será atendida conforme consta na proposta. A promessa é de que os contratos sejam assinados até esta sexta-feira. Até lá, os profissionais continuam sem trabalhar, conforme decisão tomada em assembleia na noite de ontem.

Leia Mais

“O secretário mandou uma proposta dizendo que os contratos serão assinados na sexta-feira. Ele também mandou proposta para a segurança e o pagamento do salário. Agora, os médicos da UPA vão receber no mesmo dia dos demais servidores ativos. Os ativos já recebem com atraso e eles recebem um mês depois dos ativos”, disse Geraldo Ferreira, presidente do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN).

Na assembleia os médicos concursados da rede estadual e do município de Natal e Parnamirim, que   estão em greve há oito dias, deciriram manter a paralisação. Além de condições de trabalho, a categoria reivindica o pagamento dos salários dentro do período constitucional: até o quinto dia útil do mês seguinte. A Secretaria Municipal de Saúde de Natal não informou um percentual de adesão à greve.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte