Médicos e servidores da saúde estadual param nesta quarta-feira

Publicação: 2019-07-02 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Os médicos e servidores estaduais da saúde vão paralisar as atividades nesta quarta-feira, 3.  As categorias vão participar do protesto do Fórum Estadual de Servidores do RN a partir das 9h na Governadoria, Centro Administrativo.

Além dos PMs, os servidores da saúde não ficaram satisfeitos com o acordo. Walfredo Gurgel teve paralisação
Paralisação dos servidores da saúde no último 10 de janeiro, em frente ao Walfredo Gurgel; pauta também era salários atrasados

A paralisação será de um dia e será restrita ao pessoal da saúde que promete o funcionamento dos hospitais com o mínimo de profissionais possível por setor, em todo o Estado. De acordo com o presidente do  Sindicato dos Médicos do RN, Geraldo Ferreira, só vão funcionar os atendimentos de urgência e emergência nos hospitais.

Segundo ele, os médicos vão acompanhar a reunião do Fórum dos Servidores, nesta terça-feira, que deve analisar o anúncio do governo na semana passada. A pauta comum das categorias, da administração direta e indireta, é o pagamento dos salários atrasados de novembro, dezembro e 13º de 2018, e reivindicação de reajuste de 16,35%  que a governadora Fátima Bezerra concedeu aos procuradores estaduais.

“O governo precisa ter uma proposta concreta para os servidores. Mesmo que seja (o pagamento dos atrasados) de uma forma fracionada”, reivindicou o presidente do Sinmed. Segundo ele, os médicos vão paralisar as atividades, exceto urgência e emergência,  até o meio-dia. 'É uma paralisação pontual”.

Geraldo Ferreira, do Sindicato do Médicos, fala sobre parada
Geraldo Ferreira, do Sindicato do Médicos, fala sobre parada

Geraldo Ferreira explicou que os médicos estaduais que, além do atraso dos salários e 13%, a categoria é contra a recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) ao Governo para não incorporar adicional de insalubridade, noturno e a gratificação de localização geográfica (deslocamento) na aposentadoria de servidores de nível superior. Ele também disse que há uma grande preocupação de que pessoas que se aposentaram depois de 2014 sejam obrigadas a devolver os valores dessas gratificações.

 Hoje os médicos vão se reunir com o presidente do Ipern (Instituto de Previdência do Estado), Nereu Linhares, para discutir a proposta do TCE.
A diretora do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN (Sindsaúde), Maria do Carmo, disse que o ato amanhã na Governadoria é para reivindicar o pagamento dos salários atrasados e cobrar o reajuste dos 16,38% concedido aos procuradores. “Ela (a governadora Fátima Bezerra) está dando reajuste aos procuradores que ganham mais de R$ 30 mil”.

Maria do Carmo complementou que estão confirmadas, amanhã, caravanas das regionais de saúde de todo o Rio Grande do Norte, como Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros. Segundo ela, os servidores vão cobrar os investimentos que o governo não faz na saúde. “O governo de Fátima Bezerra, do PT, não olha para a saúde do Rio Grande do Norte. “Os hospitais vão funcionar com o mínimo de profissionais em cada setor”.

Insatisfação
A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Direta do Estado (SINSP), Janeayre Souto, criticou a postura do governo. Ela considerou o reajuste concedido aos procuradores em 16,38% como preconceituoso e discriminatório porque, segundo ela, descarta as demais categorias do funcionalismo que está há nove anos sem reajuste, e beneficia apenas uma categoria, que já ganha acima dos R$ 30 mil.

Janeayre Couto, do Sinsp, cobra reajuste de salários
Janeayre Couto, do Sinsp, cobra reajuste de salários

Ela também criticou a negociação do governo do Estado com os auditores fiscais e delegados de polícia para pagar um novo teto salarial reajustado em 16,38% parcelado em três vezes, a partir de maio, sendo duas parcelas de 5% e uma de 6,38% em julho.

Janeayre Couto disse que o governo do Estado está cada vez mais distante da grande maioria dos servidores e, por isso, a dificuldade de pagar os atrasados só aumenta. Os servidores que ganham o salário mínimo não receberam dezembro e o 13º de 2018. “Isso está levando o empobrecimento dos servidores  e muitos estão em depressão”, afirmou.

Segundo a presidente do SINSP, desde que o governo iniciou em 2 de janeiro deste ano, a diferença entre o menor e o maior salário pago pelo Estado que era de 31  vezes aumento para 36 vezes em cinco meses. A comparação que ela faz é entre o menor salário pago no Estado, um salário mínimo em média R$ 1.000,00 (mil reais) e o de um procurador que era R$ 30 mil e com o reajuste de 16,38% passa para R$ 36 mil.

O SINSP explicou que os servidores da administração direta não vão participar do protesto da saúde amanhã. A categoria ainda vai decidir em assembleia um dia para realizar o protesto contra a política salarial do governo do Estado.

O clima de insatisfação dos servidores em relação à falta de proposta do Governo do Estado para reajuste de salários e pagamento dos salários atrasados pode levar funcionalismo da administração indireta, autarquias e fundações, a entrarem em greve a partir da próxima sexta-feira, 5, disse o coordenador-secretário do Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Indireta do RN (Sinai), Santino Arruda. 

De acordo com Santino Arruda, os servidores da administração direta e indireta, através do Fórum Estadual, reivindicam reajuste de 16,38%, o mesmo concedido aos procuradores estaduais pela governadora Fátima Bezerra. “Queremos o mesmo reajuste concedido aos procuradores”, afirmou. Segundo ele, o Sinai disponibilizou sua assessoria jurídica para demonstrar que o Governo não é obrigado a dar o reajuste de 16,38% aos procuradores. “Se o governo insistir em não dar aumento vai ter greve, sim”, anunciou o sindicalista. A proposta será discutida na sexta-feira.

A Coordenadora do Fórum Estadual dos Servidores, Fátima Cardoso, disse que hoje haverá um encontro da entidade para discutir a reunião ocorrida com a governadora Fátima Bezerra, no dia 27 de junho. A governadora descartou a concessão de aumento salarial para os servidores e anunciou a previsão de pagamento das folhas de julho, agosto e setembro.

Fátima Cardoso disse que o Fórum hoje, a partir das 15h, na sede do Sinai, vai avaliar os resultados da reunião com a governadora. “Queremos ver se o governo apresenta alguma proposta (de reajuste)”.

Policiais
O presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, Eliabe Marques, explicou que a categoria está em plena negociação com o governo e, por isso, não há nenhum indicativo de  paralisação.

Dia 17 de junho, os militares e o Governo entram em um acordo e o Executivo prometeu enviar um projeto de lei à Assembleia para reestruturação da carreira da categoria até setembro para entrar em vigor em 2020. O diretor do Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sinpol), Jandir Silva Cortez Junior, disse que a principal reivindicação da categoria é o pagamento dos salários atrasados e do 13º de 2018. Não há nenhum indicativo de greve.

Serviço
Reunião do Fórum Estadual de Servidores
Hora 15h
Avaliação da audiência com a governadora ocorrida dia 27 de junho
Assuntos: Revisão geral dos salários com percentual mínimo de 16,38%
Antecipação dos 40% do 13º de 2019
Venda da cota única
Pregão da antecipação dos Royalties do petróleo
Dia Estadual de Paralisação

















continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários