Mãe do bebê morto em decorrência da Covid-19 testa negativo para doença

Publicação: 2020-04-09 11:52:00
A+ A-
A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) informou que o resultado do exame da mãe do bebê que faleceu com diagnóstico da COVID-19, na capital potiguar, foi liberado pelo LACEN e testou negativo para o novo Coronavírus. Por isso, novo exame será realizado. O resultado foi divulgado nesta quinta-feira (9).
Créditos: Adriano AbreuMãe do bebê morto diagnosticado com a doença deu entrada no Hospital Santa Catarina com quadro de eclampsia e outras doençasMãe do bebê morto diagnosticado com a doença deu entrada no Hospital Santa Catarina com quadro de eclampsia e outras doenças

A paciente fará um novo exame chamado sorologia para detecção de anticorpo para COVID-19, o que demonstraria se a mãe do bebê já está curada da doença ou se sequer chegou a se contaminar. Em comunicado, a SMS disse que "segue com as investigações epidemiológicas e a sorologia já é um outro passo deste procedimento".

Sorologia é a coleta o sangue do paciente e se refere ao diagnóstico e identificação de anticorpos no soro. A investigação é para saber se a mãe manteve contato com o Coronavírus em algum momento; neste caso terá desenvolvido o anticorpo contra o vírus específico. Após a realização do exame o resultado é liberado em até 24h.

O recém-nascido foi a óbito no dia 7 de abril e o resultado do exame deu positivo para COVID-19. A mãe apresentava quadro de hipertensão, diabetes, obesidade e síndrome respiratória a esclarecer. Ela encontra-se em isolamento domiciliar.

Investigação

A SMS investiga se houve transmissão vertical entre mãe e filho no caso do bebê prematuro. Essa é a principal hipótese porque o exame swab (retirada de secreção da mucosa para verificar a presença do vírus) foi feito apenas sete horas depois do nascimento. A chance dele ter contraído o coronavírus através do ambiente nesse intervalo é pequena porque o vírus leva em média dois dias para infectar o organismo e ser detectável através das secreções, acredita a chefe de vigilância da SMS, Juliana Araújo.

Os estudos mundiais não identificam transmissão vertical do coronavírus até o momento. A comprovação é difícil porque "o vírus é novo e ainda não sabemos como identificar se houve transmissão vertical".

"O método que sabemos que mais se aproxima da transmissão vertical é ver a presença do vírus no líquido amniótico ou no cordal umbilical, mas isso não é mais possível nesse caso", declarou.

A equipe médica que participou do parto do recém-nascido na madrugada do dia 3 afirma que ele nasceu com insuficiência respiratória e por isso o teste swab foi realizado poucas horas após o nascimento. A investigação epidemiológica teve início ainda sem o resultado do exame. A mãe relatou a equipe de vigilância um quadro histórico recente de gripe e no dia 4 ela fez o teste de coronavírus. O resultado saiu nesta quinta e atestou que ela não está com a doença.

Com isso, a SMS vai realizar uma contraprova com outro tipo de exame para identificar se não se trata de um falso negativo. “Como ela não soube precisar quando ficou gripada, o exame swab pode não identificar coronavírus porque ele tem que ser feito até 7 dias depois do primeiro sintoma. Caso dê falso negativo, vamos ver se ela produziu anticorpos contra o vírus”,



Deixe seu comentário!

Comentários