Mãe e padrasto de Henry Borel serão indiciados por tortura e homicídio duplamente qualificado

Publicação: 2021-04-08 13:27:00
O padrasto e a mãe do menino de Henry Borel, de quatro anos, serão indiciados por homicídio duplamente qualificado, com emprego de tortura e sem chance de defesa para a criança. Com prisão temporária decretada, o vereador do Rio de Janeiro Jairo Souza Santos Junior, conhecido como Dr. Jairinho (Solidariedade), e a namorada, Monique Medeiros, prestaram depoimento na 16ª DP, na Barra da Tijuca, na capital fluminense, no início da tarde desta quinta-feira, 8, aproximadamente às 12h40.⠀

Créditos: Arquivo pessoa - Leniel Borel, pai de Henry

O casal foi preso na manhã desta quinta-feira em uma casa em Bangu, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Após se submeterem ao exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), Dr. Jairinho deve ficar preso Cidade da Polícia. Já sua namorada, Monique, deve deve ser encaminhada a uma cadeia feminina em Niterói, na Região Metropolitana.

Caso Henry
A criança morreu no apartamento onde Jairinho e Monique moravam, na Barra da Tijuca, depois de passar um fim de semana com o pai, Leniel Borel. Inicialmente, o caso foi tratado como um acidente, como se o menino tivesse caído da cama, mas perícias médicas constataram que a vítima havia sido vítima de agressões. 

Para a polícia, há indícios de que o casal tentou atrapalhar as investigações e, ainda, ameaçou testemunhas, forçando-as a dar testemunhos em seu favor. Ademais, suspeita-se que tenha Monique tinha conhecimento da agressão e tortura sofridas pelo menino. 

Depois que a polícia começou a investigar se Henry foi vítima de violência doméstica, o casal criou um site, onde se diz inocente. Eles afirmam, ainda, que “a Justiça prevalecerá”.


*Com informações da Agência Brasil