Maísa Pessoa: “Não existirão barreiras para a comercialização”

Publicação: 2019-02-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Qual a importância dos micro e pequenos empresários que produzem itens para determinadas épocas do ano se regularizarem?
A importância é que vai poder começar a comercializar para qualquer empresa, qualquer Estado. Não existirão barreiras para a comercialização. Sendo informal, ele não consegue emitir nota. Formalizado, o mercado se torna mais amplo. Com a mídias sociais, as barreiras são extrapoladas. E é importante estar formalizado porque toda mercadoria deve ser acompanhada de nota fiscal.
Maísa Pessoa é gerente da Unidade de Acesso ao Mercado do Sebrae/RN
Maísa Pessoa é gerente da Unidade de Acesso ao Mercado do Sebrae/RN

No Sebrae, qual trabalho é oferecido, por exemplo, a artesãos que produzem adereços para carnaval?
Na verdade não há restrição para empresas que fornecem itens para carnaval. Nós oferecemos atendimento para qualquer tipo de pequeno negócio que tenha faturamento de até R$ 4,8 milhões. Nós temos orientações empresariais, capacitações, consultorias.

Quais custos estão envolvidos nesse processo e em quanto tempo esse investimento retorna em lucro?
O retorno do investimento depende da atividade. As consultorias que o Sebrae desenvolve são subsidiadas. As consultorias de gestão são subsidiadas em 50% e as de tecnologia, em 70%. É muito variado. Às vezes, se consegue tirar o valor do investimento numa única venda.

O setor de serviços tende a crescer em 2019?

Tem crescido, sim. As pessoas estão valorizando mais o personalizado, a questão do reuso. Essa geração mais jovem está buscando locar roupas, fazer uso consciente do consumo e cresce cada vez mais os serviços, a exemplo das plataformas que temos hoje de aproveitamento de veículos e serviços de delivery. É uma grande valorização dos serviços e esperamos que em 2019 a gente tenha esse crescimento.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários