Macaíba quer mostrar Vila e aposta tudo no Cruzeiro

Publicação: 2017-05-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Mais de oitenta anos de história. O Cruzeiro de Macaíba, um dos tradicionais clubes de futebol amador do Rio Grande do Norte inicia um processo que pode gerar frutos em breve e quem sabe conduzir o Alviazulino à disputas no futebol profissional potiguar. Um dos passos é a participação na Supercopa Sub-17, que será disputada no Estado de 22 a 28 e que tem Macaíba como uma de suas sedes. O torneio reunirá 32 equipes de todo Brasil, com destaque para o Internacional/RS, Vitória da Bahia, Sport, Fortaleza, além dos grandes de Natal, ABC, Alecrim e América.

Além de Macaíba, Natal, São José de Mipibú, São Gonçalo e Goianinha receberão as equipes. Mas os macaibenses não planejam apenas mostrar seu futebol na competição. Uma das principais intenções da cidade, segundo o secretário de esportes, Roberto Medeiros é apresentar a Vila Olímpica do Município. Idealizada no ano de 2005, a Vila está localizada em uma área de 50 hectares no prolongamento da Rua José Coelho. No local já foram realizadas partidas de futebol do Campeonato Municipal de futebol da zona rural, o torneio de Beach Soccer das escolas públicas macaibenses, sempre com a presença de grande público. Segundo informações da assessoria de imprensa local, atividades do programa Mais Educação beneficiam cerca de 700 alunos por semana no local.

O projeto da Vila ainda contempla várias praças esportivas como: quadras de futsal, handebol, basquetebol, voleibol, tênis de mesa, espaço para a ginástica rítmica, um estádio de futebol, pista de atletismo, piscinas semiolímpicas, salas de aula para cursos profissionalizantes entre outras. “Será uma forma de apresentar para o Rio Grande do Norte e para o Brasil a Vila Olímpica de Macaíba, que hoje é um equipamento que vai poder ser mostrado porque temos hoje a melhor e maior vila olímpica da região”, explicou o secretário de esportes.

A expectativa na cidade é para que os jogos estejam sempre com um grande público e para que novos talentos macaibenses sejam revelados. “A expectativa é a melhor possível de público e de talentos. Macaíba é uma cidade que já revelou Wallyson, Djalma Linhares e outros nomes que passaram por lá como Val. Então acho que é muito importante a Supercopa para revelar novos jogadores e acredito que Macaíba vai ser, como sempre foi um celeiro de grandes craques, será uma das sedes com a maior participação do público.

Em relação a participação, em campo, do Cruzeiro, o secretário de esportes garante que a tradição da camisa do clube deve pesar em favor de Macaíba. Além disso, Roberto Medeiros cita que o clube tem campo próprio e um trabalho de qualidade que é executado diariamente.

O idealizador da competição, Maurício Maeterlink define-se como um sonhador e planeja, em poucos anos, tornar a Supercopa tão importante como a “irmã gêmea” paulista. “Trabalhamos o ano todo para realizar este torneio. Nesta edição, ao contrário de outras, já fomos procurados pelos grandes clubes, ou seja, o torneio está consolidado e nosso intuito é crescer. A Supercopa movimenta garotos de várias partes do Brasil e permite aos potiguares serem apresentados aos olheiros, que vêm de todas as partes, sem o custo que seria para levá-los a um teste fora do Rio Grande do Norte. Além disso, movimenta a economia formal e informal em vários municípios, além do intercâmbio, essencial para o crescimento das bases aqui no Estado”, comentou Maeterlink.

A competição é dividida em oito grupos de quatro, com um grupo em Goianinha, cujo cabeça de chave será o Internacional/RS e mais o time da casa, que é o Palmeira; Um grupo em São José de Mipibú, com o time da casa e mais uma seleção local; Uma chave em Macaíba, com o Cruzeiro da cidade ou uma Seleção do Município; Uma chave em São Gonçalo, com o Sport/PE  e um time local. Em Natal ficarão sediadas as outras quatro chaves. Uma delas terá o América como cabeça de chave, outra o ABC, outra o Porto de Caruaru e o Jacuipense da Bahia.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários