Mada e DoSol garimpam novidades

Publicação: 2018-06-23 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Os dois principais festivais de música indie de Natal, o MADA e o DOSOL, estão a todo vapor anunciando as atrações que vão compor suas programações. Praticamente a cada semana aparecem nomes novos. O Mada, que será realizado nos dias 12 e 13 de outubro, na Arena das Dunas, anunciou nos últimos dias a cantora Pitty, o grupo Francisco El Hombre, e as bandas potiguares Luiza e Os Alquimistas e Demônia.

Figura cativa no festival Mada, Pitty virá para a edição de 20 anos, mas o show será “novo formato”, com direito a parcerias inéditas
Figura cativa no festival Mada, Pitty virá para a edição de 20 anos, mas o show será “novo formato”, com direito a parcerias inéditas

Em semanas anteriores, o festival anunciou Attoxxa, Larissa Luz, Rincon Sapiência, além de Baiana System, Nação Zumbi, Cordel do Fogo Encantado, Jade Baraldo e  Saint Chameleon.

Pitty é figura cativa no festival. Apareceu pela primeira vez como promessa, na edição de 2003, e retornou como headline nos anos 2006, 2009, 2015 e 2017. Nesta que será sua sexta aparição no evento, a baiana mostrará um novo show, mais intimista, com cenário ambientado por desenhos exclusivos da artista Eva Uviedo. Pitty tem aproveitado a turnê para mostrar músicas novas, como os singles lançados “Na pele”, com Elza Soares, e “Contramão”, com a potiguar Emmily Barreto (Far From Alaska) e a rapper Tássia Reis. Já a banda Francisco El Hombre apresenta no Mada sua sonoridade latina frenética depois de um ótimo show no festival Dosol do ano passado.

Outra novidade é a uruguaia Alfonsina, cuja carreira teve o aval do produtor musical inglês Tricky (ex-Massive Attack)
Outra novidade é a uruguaia Alfonsina, cuja carreira teve o aval do produtor musical inglês Tricky (ex-Massive Attack)

Quanto aos potiguares anunciados, Luisa e Os Alquimistas retorna ao festival desta vez com o show novo “Vekanandra”, montado em cima do repertório do disco homônimo lançado há seis meses. E a banda Demônia, quinteto formado só por mulheres, vai pisar no festival pela primeira vez para mostrar seu punk rock.

Conversando com o produtor do Mada, Jomardo Azevedo, foi possível pescar mais outra atração: a jovem cantora uruguaia Alfonsina. Ela começou na música em 2010 por incentivo do produtor musical inglês Tricky (ex-Massive Attack), que a convidou para ser sua vocalista na turnê europeia. Seu disco mais recente é “Pactos” (2017). Além dela, outros nomes gringos estão sendo fechados para ser anunciados. “É uma edição de 20 anos que confirma a diversidade que sempre esteve presente em todas as suas edições e o frescor de muitas novidades que ainda serão divulgadas”, comenta Jomardo.

Francisco, El Hombre traz sonoridade latina frenética ao Mada
Francisco, El Hombre traz sonoridade latina frenética ao Mada

Um mês com o Dosol
O festival Dosol 2018 acontece nos dias 24 e 25 de novembro, no Beach Club (Via Costeira). Mas a partir do dia 21 de outubro e durante todo o mês de novembro, dezenas de atrações musicais de todo o país e do exterior movimentarão a cidade em apresentações menores, chamadas  de sideshows. De acordo com um dos produtores do Dosol, Anderson Foca, juntando os sideshows e o festival, serão mais de 100 bandas e artistas participantes. E os nomes dessas atrações já estão sendo anunciadas.

Revelação do RN, a banda Soul Rebel também vai estar no Dosol
Revelação do RN, a banda Soul Rebel também vai estar no Dosol

“Nosso planejamento é a cada dez dias soltar dez novas atrações”, afirma Foca. A segunda leva de dez foi divulgada na quinta-feira, trazendo as bandas Canto dos Malditos na Terra do Nunca (BA), Baleia (RJ), Damn Youth(CE), Huey (SP), Soul Rebel (RN), Orquestra Greiosa (RN), Expose Your Hate (RN), Rosa Idiota (BA), Nervecell (Dubai) e Nervochaos (SP).


Canto dos Malditos dá o tom mais pop na seleção do DoSol
Canto dos Malditos dá o tom mais pop na seleção do DoSol

Dentre os destaques estão Canto dos Malditos na Terra do Nunca e Baleia. “São bandas de curtição, pops, que a gente gosta muito. O som deles tem a ver com o Plutão (já foi planeta) e Luiz Gadelha, se aproxima muito do que  a gente tem visto no movimento de Natal”, comenta o produtor. De sonoridade diferente, a potiguar Soul Rebel defende no festival um reggae bem bom de ouvir. “Soul Rebel pra mim é a revelação do ano aqui no estado. Banda de reggae muito promissora, vinda da periferia e com muita coisa a dizer. Estão com disco pronto pra ser lançado”.

Para os fãs de um som mais pesado, foram escaladas as bandas Nervecell (Dubai), Nervochaos (SP) e Expose Yout Hate (RN). Os três grupos tocam num sideshow no Centro Cultural Dosol, no dia 17 de novembro. “Será um sideshow de metal extremo”, garante Foca. “Estamos animados para o Dosol deste ano. Está uma vibe boa. Devemos ter entre 10 a 15 sideshows, a maioria na Ribeira. Vai ser legal”.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários