Maioria dos restaurantes deverá reabrir nesta terça, 7, no RN

Publicação: 2020-07-07 00:00:00
A+ A-
Em seu restaurante, no bairro do Tirol, zona Leste de Natal, a empresária Lúcia Dantas, de 60 anos, fazia os últimos preparativos para a reabertura do empreendimento ao público. Mais de 100 depois do fechamento do salão por causa da pandemia do novo coronavírus, a segunda-feira, 6, foi deia de ampliar a higienização de talheres, empacotá-los, separar pratos e medir o distanciamento, de no mínimo dois metros entre as mesas, como determina o plano de retomada da economia elaborado pelo Governo do Estado. “É uma nova era. Tudo é diferente, e vamos ter que nos adaptar e transformar”, afirmou Lúcia Dantas. 

Créditos: Alex RégisLúcia Dantas, que há mais de 20 anos trabalha com refeições, faz ajustes finais no restaurante em Tirol para reabertura do salãoLúcia Dantas, que há mais de 20 anos trabalha com refeições, faz ajustes finais no restaurante em Tirol para reabertura do salão

Nestes dias 7 e 8, quando está prevista a reabertura dos restaurantes e lanchonetes em Natal e no restante do Rio Grande do Norte, respectivamente, 51% dos proprietários desse tipo de negócio, como o administrado por Lúcia Dantas, pretendem abrir as portas. Os números foram obtidos com exclusividade pela TRIBUNA DO NORTE e fazem parte de uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Rio Grande do norte (Abrasel/RN).

A pesquisa recolheu respostas de 128 dos 150 associados à instituição. O universo de restaurantes e bares no Estado, no entanto, compreende cerca de cinco mil estabelecimentos, dos quais dois mil estão na capital. De acordo com o Plano de Retomada das Atividades Econômicas do Governo do RN, a primeira fase de reabertura está restrita aos estabelecimentos com até 300 metros quadrados, que comportem até quatro pessoas por mesa e mantenham o espaçamento mínimo de dois metros entre cada uma delas. 

Restaurantes, lanchonetes e food parks que se encaixem nesses critérios vão poder abrir as portas, mas o consumo e a venda de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos está proibido, e os bares que optarem por abrir deverão fazê-lo no modelo de Lei Seca, onde apenas a venda de alimentos e bebidas não-alcoólicas é permitido.

O presidente da Abrasel/RN, Artur Fontes, afirmou que a expectativa é que “a maior parte” dos estabelecimentos abra as portas neste dia 7 em Natal, e no dia 8 no restante do Estado. De acordo com ele, o setor está “pronto para reabrir há muito tempo" no que diz respeito às adequações de segurança e higiene. “Somos uma das poucas atividades frequentemente vigiadas por órgãos como a Vigilância Sanitária. Então, já temos normativas enraizadas no setor que foram aprimoradas", declarou Artur. 

Impossibilidade
A impossibilidade de comercializar bebidas alcoólicas é o principal motivo apontando pelos 49% que afirmam que não pretendem reabrir os negócios agora. “A questão da Lei Seca é um grande impeditivo para uma adesão maior nessa reabertura. Bares e restaurantes com foco em jantar, principalmente os de experiência mais intimista, não irão reabrir por causa da restrição”, esclareceu Artur Fontes. 

De acordo com a pesquisa “O Turismo do Rio Grande do Norte no contexto da pandemia”, elaborada pela Empresa Potiguar de Promoção Turística, a Emprotur, no setor de alimentos e bebidas houve uma queda de faturamento durante o isolamento  social superior a 75%, em 72% dos estabelecimentos que responderam ao levantamento. De acordo com a pesquisa, apenas 6% afirmaram que não precisariam de acesso emergencial a crédito para não fecharem as portas definitivamente. 

Pandemia provocou queda de 60% no faturamento
Lúcia Dantas foi uma das que sentiu uma queda considerável no faturamento. A empresária possui dois restaurantes, de gerência familiar. Um deles, localizado em Tirol, adaptou-se à nova realidade das plataformas de pedidos virtuais, como o Ifood. O outro, no entanto, localizado dentro do Tribunal de Contas do Estado, que ainda não tem data para retomar as atividades, vai continuar fechado por tempo indeterminado. 

Créditos: Divulgação/Fecomercio RNFuncionários da Fecomércio RN irão percorrer lojas orientando empresários e clientes no CentroFuncionários da Fecomércio RN irão percorrer lojas orientando empresários e clientes no Centro


“O faturamento caiu na faixa dos 60%. Conseguimos nos manter porque temos uma clientela muito boa no hospital próximo ao Tribunal, e fizemos entregas por meio de quentinhas para quem antes ia até o restaurante. Mesmo assim, o impacto foi grande”, relatou Lúcia Dantas enquanto organizava o restaurante que retomará as atividades integrais nesta terça-feira, na zona Leste da capital. 

De acordo com a empresária, a expectativa é grande para a reabertura, apesar de ter ciência de que o movimento não vai retomar à normalidade tão cedo, mesmo com as portas abertas. “Sabemos que, no primeiro momento, não vai encher, tem muita gente com medo e que não está saindo. O restaurante do Tribunal, por exemplo, ainda não tem nem perspectiva, e assim vai ficar até essa situação passar”, afirmou. 

Medidas
Dentre as medidas que já foram adotadas no restaurante, estão o distanciamento mínimo de dois metros entre às mesas, um metro entre as cadeiras dos clientes, empacotamento de talheres e utilização de sachês descartáveis individuais para temperos, por exemplo.

De acordo com o presidente da Abrasel/RN, Artur Fontes, os protocolos de segurança propostos pelo setor visam contemplar dos pequenos aos grandes restaurantes e, para isso, foram pensadas alternativas de baixo custo que podem ser adotadas por todos. “É o caso da utilização da ventilação natural, por exemplo. Também recomendamos a utilização de um totem de álcool em gel na entrada do estabelecimento, além de outros pontos espalhados pelo local. Tudo foi pensado para que possa, de fato, ser executado do grande restaurante ao pequeno”, afirmou.

'SOS Protocolos' chega à Cidade Alta
O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio RN), Marcelo Queiroz, juntamente com outros dirigentes de entidades empresariais do Estado, participa na manhã desta terça-feira, 7, a partir das 8h, de mais uma ação de conscientização dentro do SOS Protocolos, que consiste em orientar os empresários e trabalhadores do comércio sobre as medidas impostas pelo Plano de Retomada Gradual da Atividade Econômica do Estado do Rio Grande do Norte no pós-pandemia. O ponto de partida da equipe será a Praça Kennedy, que fica na esquina da Avenida Rio Branco com a Rua João Pessoa, na Cidade Alta. 

A partir desta terça-feira terá início a Fração 2 da Fase 1 do Plano de Retomada, que prevê a reabertura de lojas dos segmentos de: móveis, eletrodomésticos e colchões; departamento de magazines (exceto de shoppings e centro comerciais); agências de turismo; lojas de calçados; lojas de brinquedos; lojas artigos esportivos e de caça e pesca; lojas de instrumentos musicais e acessórios; lojas de equipamentos de áudio e vídeos; eletrônicos/informática e equipamentos de telefonia e comunicação; joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanato; cosméticos e perfumaria.

Além dos dirigentes, técnicos das entidades empresariais também visitarão as empresas. Eles foram capacitados pelo Sebrae/RN e estão aptos para tirar todas as dúvidas dos comerciantes e trabalhadores do comércio sobre quais medidas tomar para que cada estabelecimento funcione de acordo com o que o Protocolo de Biossegurança do Governo determina.  O SOS Protocolos é uma realização da CDL Natal, Fecomércio RN e Sebrae RN, que conta com o apoio da Associação Comercial do RN, Facern, Aeba, Viva o Centro, Fiern e Fetronor.

Veja abaixo o cronograma de retomada das atividades

Fase Alimentação 1
Permitida abertura de restaurantes, lanchonetes e food parks de até 300 metros quadrados, de mesas de até quatro pessoas, com consumo e venda de bebidas alcoólicas proibidos nos estabelecimentos. Os locais deverão manter o espaçamento de dois metros entre cada mesa, e de no mínimo um m de distância entre os clientes.  Válido a partir do dia 7 de julho em Natal, e 8 de julho no restante do Rio Grande do Norte.

Fase Alimentação 2 
Podem abrir restaurantes, lanchonetes e food-parks com tamanho superior a 300 metros quadrados, seguindo os mesmos procedimentos de segurança da Fase 1. Não está autorizada a promoção de shows, festas e afins. A música ao vivo é permitida, desde que limitada a uma pessoa apenas (um músico com seu instrumento). Prevista para iniciar no dia 28 de julho.

Protocolos gerais 
Aferição de temperatura de clientes e fornecedores antes deles entrarem em contato com os colaboradores;
Uso obrigatório de máscara, com retirada permitida somente para a refeição;
Readequação dos salões, com distanciamento de dois metros entre as mesas e um metro entre cadeiras;
Higienização reforçada de mesas e cadeiras;
Instalação de áreas de lavabo, disposição de álcool em gel em pontos do local;
Organizar turnos específicos para limpeza, sem contato com as demais atividades do estabelecimento;
Limitar o número de pessoas por mesa a 4, mantendo o distanciamento recomendando;
Cobrir máquina de pagamento de cartão com filme plástico para facilitar a higienização após o uso;
Proibir cumprimentos físicos entre funcionários e clientes.

Comércio
Veja o que reabre nesta terça, 7:
Lojas dos segmentos de: móveis, eletrodomésticos e colchões; departamento de magazines (exceto de shoppings e centro comerciais); agências de turismo; lojas de calçados; lojas de brinquedos; lojas artigos esportivos e de caça e pesca; lojas de instrumentos musicais e acessórios; lojas de equipamentos de áudio e vídeos; eletrônicos/informática e equipamentos de telefonia e comunicação; joalherias, relojoarias, bijuterias e artesanato; cosméticos e perfumaria.