Mais eclético, Beco da Lama recebe tribo eletrônica

Publicação: 2019-02-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O sempre musical Beco da Lama, na Cidade Alta, está se abrindo não só para novos traços e cores, mas também para novas trilhas sonoras. O já tradicional samba das quintas-feiras tem convivido harmonicamente com a música eletrônica: enquanto o batuque orgânico embala o Bar de Nazaré, o batuque digital da house ferve o Bar da Meladinha. A movimentação nasceu de forma espontânea, há cerca de um ano, e só recentemente está ganhando uma agenda mais regular.

Cena inusitada na balada: DJ Frank Aleixo, criador da Houssaca, Paulete Ploc e o cara do peixe
Cena inusitada na balada: DJ Frank Aleixo, criador da Houssaca, Paulete Ploc e o "cara do peixe"

A iniciativa partiu do produtor cultural e DJ Frank Aleixo, que há anos agita a Ribeira com diversos projetos, como a festa Houssaca – cuja nova edição será neste sábado, no Galpão 79. Seguindo uma tendência das grandes cidades, a música eletrônica tem saído do ambiente fechado das casas noturnas – cada vez menos interessadas em DJ e dance music, e focadas em música ao vivo – e ido para as ruas.

Em parceria com a dona do bar da Meladinha, DJs e fãs de de música eletrônica têm comparecido fielmente ao local. A farra termina às 22h. Além da quinta, há também o projeto mensal Sabadaço do Synthpop, mais focado na eletrônica oitentista e derivados, e eventualmente o Rouse de Hua, aos domingos. Tudo gratuito, com contribuições voluntárias. O underground está no Beco.







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários