Manchas de óleo atingem parrachos de Maracajaú

Publicação: 2019-10-09 15:56:00 | Comentários: 0
A+ A-
As manchas de óleo que vem aparecendo desde o início de setembro no litoral nordestino atingiram, também, os parrachos de Maracajaú, um dos principais pontos turísticos do Rio Grande do Norte. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação de Maxaranguape, município onde os parrachos estão localizados, e reiterada pelo secretário de Meio Ambiente local, Flávio Farias.

Litoral reúne muitas qualidades turísticas e a praia de Maracajaú é o destaque do município, com um cenário de lagoas para esportes, mergulhos e gastronomia

De acordo com o secretário, a constatação do aparecimento das manchas foi feito pela Fundação Para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar (Fundep), que monitora a região. Ainda de acordo com o titular da pasta, o aparecimento dos óleos nos parrachos, localizados a 7 quilômetros da Praia de Maracajaú, não atrapalharam os passeios turísticos.

"É necessário reafirmar que a atividade turística permanece normal. O turista não vai ter contato direto com os resíduos", comenta, explicando que é natural que a região tenha sido atingida, visto que os resíduos vem de alto mar até a orla, passando naturalmente para regiões como os parrachos, localizada entre este intervalo.

Também no município, porém nas praias, a prefeitura de Maxaranguape está realizando ações de limpezas contínuas. No entanto, o secretário prefere não determinar um prazo para que todos os resíduos tenham sido recolhidos corretamente. "Disponibilizamos servidores para realizar a coleta do óleo, o qual estamos armazenando. No entanto, não dá pra transferir toda a equipe de limpeza do município para essa atividade. Com os resíduos vem de alto mar, eles voltam a se acumular, então não há como aprazar nada", explica.

Idema
De acordo com nota do Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Meio Ambiente – Idema, a vida marinha do local não foi atingida. “Vale destacar que este resíduo é um composto com abundancia em hidrocarbonetos e sendo assim não afunda, não tendo contato com os corais”, afirma a nota assinada por Keliton Gomes Ferreira, Coordenador de Projeto de Pesquisa e Monitoramento Ambiental e Turístico da APA dos Recifes de Corais.

Localidades afetadas pelo petróleo no Rio Grande do Norte
Baia Formosa
Barreira do Inferno
Búzios (Rio Doce)
Camurupim
Foz do Rio Catu
Foz do rio Pirangi/Pium
Jacumã
Jenipabu
Maracajaú
Muriú
Parrachos de Maracajaú
Perobas
Pirambu
Pirangi do Sul
Pirangi do Norte
Pirambúzios
Praia de Alagamar
Praia do Amor
Praia do Giz
Redinha
Rio do Fogo
Rio Punaú
Sagi
Santa Rita
Simbaúma/das Minas
Tabatinga/Tartarugas
Via Costeira
Zumbi

Número de áreas atingidas na região nordeste
Alagoas:     13
Ceará:     10
Maranhão:     11
Paraíba:     16
Pernambuco:     19
Piauí:     2
Rio Grande do Norte:     24
Sergipe:     10
Bahia:     2
Fonte: Ibama

Recomendações
Evite contato com o resíduo;

Se ocorrer contato com a pele, higienize a área afetada com gelo e óleo de cozinha;

Em caso de ingestão ou reação alérgica, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima;

Entre em contato com a prefeitura para informar a localização da mancha;

Ao encontrar um animal contaminado:
Evite contato com o mesmo;

Proteja-o do sol;

Não devolva o animal contaminado para o mar;

Informe o paradeiro do animal ao Projeto Cetáceos Costa Branca (99943-0058, WhatsApp e 24h)




Atualizada às 21:29h





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários