Manifestantes fazem protesto pacífico no entorno do Mineirão

Publicação: 2013-06-17 16:38:00
A+ A-
Em meio aos protestos que se espalham por várias cidades do País, manifestantes aproveitaram a visibilidade da Copa das Confederações e realizaram um ato pacífico nos arredores do estádio do Mineirão, poucos minutos antes do início da partida entre Nigéria e Taiti.

Com bexigas e cartazes, um grupo de professores se reuniu a cerca de um quilômetro do estádio, pedindo reajuste salarial e tendo o apoio de centrais sindicais, como a CUT, além de partidos políticos, como PSOL e PSTU. Os manifestantes esbarraram em uma barreira, mas, após o diálogo com a polícia, conseguiram chegar perto do ginásio Mineirinho, a cerca de 300 metros do estádio.

“O acesso a eles não é permitido não porque são manifestantes, mas também porque são manifestantes. O procedimento da Fifa pede que haja controle de acessos no entorno do estádio”, afirmou o tenente-coronel Alberto Luiz, que assumiu o papel de porta-voz do policiamento. Desta vez, não houve confronto entre os participantes do protesto e a PM.

Governo não vai tolerar manifestações que tentem impedir jogos da Copa


Rio de Janeiro – O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse hoje (17) que o governo não vai tolerar manifestações que atrapalhem ou tentem impedir a realização de jogos da Copa das Confederações. Em evento no Rio de Janeiro, o ministro disse que o Brasil assumiu o compromisso de realizar o evento e vai cumpri-lo.

"Não vamos permitir que nenhuma dessas manifestações atrapalhe nenhum dos eventos que nos comprometemos a realizar. Quem achar que pode impedir a realização desses eventos enfrentará a determinação do governo de impedir. As manifestações serão toleradas dentro desse limite”, disse Aldo.

Segundo o ministro, as polícias estaduais tiveram sucesso em garantir a realização dos três primeiros jogos da Copa das Confederações e, por isso, manterão seu esquema de segurança para as próximas partidas. Aldo Rebelo disse não temer que a imagem do Brasil seja prejudicada pelas manifestações e espera que o resto do mundo veja o país como um lugar democrático mas capaz de garantir a ordem.

Sobre as vaias à presidenta da República, Dilma Rousseff no jogo de abertura da Copa, no último sábado (15), em Brasília, o ministro disse que como militante do movimento estudantil teve que conviver com isso, mas não aconselha que os torcedores tenham esse comportamento.

Aldo garantiu que todas as obras necessárias estarão prontas para a Copa do Mundo de 2014, apesar de “alguns setores da sociedade” discordarem disso. Segundo ele, as obras que não forem concluídas a tempo sairão da matriz de responsabilidades da Copa e perderão o direito de ter um regime de contratação diferenciada.

Sobre as despesas com o evento, Aldo Rebelo disse que, para cada R$ 1 gasto pelo Poder Público, R$ 3,40 foram investidos pela iniciativa privada.

No evento sobre economia do futebol, realizado hoje no Rio de Janeiro, o presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, disse que durante a realização de eventos internacionais, algumas vezes é preciso lidar com eventualidades como os protestos no Brasil e na Turquia, onde a Fifa realizará o Mundial de Futebol sub-20. Blatter elogiou os estádios Jornalista Mário Filho, o Maracanã, e Mané Garrincha.

Com informações da gazetaesportiva e Agência Brasil