Música Potiguar em evidência

Publicação: 2017-08-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Mesmo aquecida, a produção de música autoral no Rio Grande do Norte encontra dificuldades para entrar de vez no cotidiano do potiguares. Alguns artistas já conseguem atrair bons públicos para suas apresentações, mas ter isso como algo regular é para pouquíssimos. E quando se trata de artistas com pouco tempo de carreira, a dificuldade é ainda maior. Nesse contexto, projetos como a “Mostra de Música Sete e Meia” e o “RN Autoral – Do Samba ao Choro” surgem com formatos que aliam veteranos e novos compositores, com entrada a preço acessível, quando não, gratuita.

Nesta terça-feira (8), a Mostra de Música Sete e Meia realiza sua segunda edição trazendo shows de Pedro Mendes e do jovem Eliano. Produzido pelo cantor e compositor Romildo Soares, o projeto faz referência ao finado Seis e Meia, sendo que ao invés de atrações nacionais e locais, a iniciativa foca somente nos nomes potiguares – um novato, selecionado por chamada pública e outro já conhecido do público natalense, convidado pela organização. As apresentações acontecem nos jardins da Pinacoteca Potiguar (Cidade Alta), a partir das 19h30 (por isso o nome do projeto). A entrada é R$ 5 – os artistas são remunerados com uma porcentagem da bilheteira.

Pedro Mendes revê o álbum “Esquina do Continente (Foto: Ana Silva)
Pedro Mendes revê o álbum “Esquina do Continente (Foto: Ana Silva)

Pedro Mendes sobe ao palco do projeto em meio a comemoração dos 30 anos do seu disco de estreia “Esquina do Continente” (1987). O álbum, que possibilitou ao artista fazer turnês pelo Brasil, reúne clássicos potiguares como “Linda Baby” e “Alegres Meninos” (deixa cair o cheirinho da loló). Segundo o cantor, o repertório da apresentação vai trazer grande parte das músicas do álbum, além de outras de sucesso que vieram nos discos seguintes, como “Fera Nova”.

“O repertório vai privilegiar o disco Esquina do Continente, mas releituras e arranjos modernos”, conta Pedro Mendes. O artista estará acompanhado dos músicos Jhony Kasanova, Jorge Mendonça, Jailton Medeiros e Vagner Tsé. “Farei umas 20 músicas no total. Devo encerrar com canções novas que vão aparecer no meu disco novo”. O show também será marcado pela participação de convidados, como o amigo Sueldo Soares, a irmã Grace Kelly e um grupo de alunos da Escola de Música da UFRN.

Antes do show de Pedro Mendes, o cantor e compositor Eliano sobe ao palco para mostrar as canções de seu primeiro disco “Ecdemomania” (2015). Natural de Pau dos Ferros, onde reside, o jovem artista faz uma poesia com  intenções pop, onde transita entre a estética da música brega, o rock inglês passando pelo folk americano, misturado com literatura. O disco de estreia foi elogiado por críticos.

De Pau dos Ferros, o cantor e compositor Eliano mistura a poesia com forte acento pop
De Pau dos Ferros, o cantor e compositor Eliano mistura a poesia com forte acento pop

“Agora vou fazer um show no formato voz e violão, que é mais intimista. Além das músicas do meu primeiro disco, vou mostrar também duas canções inéditas”, diz o cantor. O potiguar está finalizando a gravação da nova música “Merecedor”, que deve ser lançada em vídeo, possivelmente em setembro.

Eliano foi uma das primeiras atrações potiguares a ser confirmada no Festival Mada. Ano passado ele chegou a ser finalista da seletiva do festival, mas acabou ficando de fora. “Me inscrevi para participar do Mada ano passado mas não consegui a vaga. Este ano o Jomardo (Azevedo – produtor do evento) me convidou. Toco no dia de Nando Reis. Estou super empolgado”, comenta.

Além do festival, a agenda de show ainda não é regular, mas pintando convites na capital, ele aparece. “Toco mais em Natal e Fortaleza. Em Pau dos Ferros me apresento mais nuns saraus que a gente organiza”.  

Serviço

Projeto Mostra de Música Sete e ½. Nesta terça-feira, 19h30, no Palácio Potengi, sede da Pinacoteca, Praça Sete de Setembro, Cidade Alta. Ingressos a R$ 5.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários