Marcos de uma cidade em movimento

Publicação: 2019-11-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

De pequena vila ao redor da Igreja de Nossa Senhora da Apresentação até esse amontoado vertical dos dias de hoje, Natal viveu 420 anos de transformações. Até chegarmos a estrutura urbana e arquitetônica de agora, algo meio confuso e em plena discussão – como os debates sobre o Plano Diretor na Câmara Municipal revelam –, muitas pedras rolaram. Fato é que entender o traçado urbano atual da cidade, suas idiossincrasias, caminhos e descaminhos, passa por conhecer a jornada histórica que nos levou até o presente estágio. E narrar um pouco dessa trajetória é o que propõe a exposição “Vibrantes Caminhos: ideias modernas para a cidade do Natal”, recém montada no Museu Câmara Cascudo (Tirol).

Exposição parte da fundação da cidade de Natal e revela marcos de seu crescimento urbano
Exposição parte da fundação da cidade de Natal e revela marcos de seu crescimento urbano

A exposição é uma realização do grupo de pesquisa História da Cidade, do Território e do Urbanismo (HCUrb), do Departamento de Arquitetura da UFRN. A mostra apresenta parte dos resultados das pesquisas realizadas pelo grupo nos seus 20 anos de atuação, com especial atenção para os resultados, análises, fontes primárias, textuais e iconográficas, muitas das quais inéditas, sobre os processos de formação da estrutura e paisagem urbanas de Natal.

Segundo um dos coordenadores da exposição, o jornalista e historiador Fred Luna, a exposição parte da fundação da cidade, em 1599, até o início dos anos 1960, com a narrativa contada em painéis e peças audiovisuais, tudo distribuído em sete momentos. São eles “A gênese da Cidade: Natal Surge”; “et Ambula: crescer e conectar”; “Luzes, bondes e mazelas”; “Natal planejada: imaginários e infraestrutura da cidade”; “Natal na Guerra”; “Natal se movimenta”; e “A Cidade do passado na Cidade do presente”.

“Não é uma exposição focada em datas, mas em acontecimentos que modificaram a dinâmica da cidade. E os acontecimentos geralmente se desdobram para além de uma data específica. Mas fizemos algumas linhas do tempo para situar o público na narrativa”, explica Fred às vésperas da abertura da exposição, que aconteceu na noite de quarta-feira (20).

Exposição propõe reflexão sobre a memória e a cidade, apontando caminhos para o futuro
Exposição propõe reflexão sobre a memória e a cidade, apontando caminhos para o futuro

Sobre alguns dos momentos marcantes da história de Natal que estão representados na exposição, Fred cita a Invasão Holandesa, as primeiras obras de saneamento da cidade, a chegada da luz elétrica, a 2ª Guerra Mundial. Todos eventos que simbolizam fases de expansão de Natal.

“Quando a cidade começou a crescer, apareceram projetos para o porto, surgiu o bonde puxado a cavalo, foi feita a dragagem do Rio Potengi. Se começa um período de evolução mais forte. Em 1881, por exemplo, havia uma ramal ferroviário entre Natal e Santa Cruz, isso era moderno pra época, fazia parte de um pensamento moderno que foi até o início do século XX”, conta o historiador. “Nessa época você tinha Januário Cicco que mapeou as áreas com maior incidência de doenças. Conseguimos esses materiais na pesquisa. Também conseguimos  fotos exclusivas da aeronáutica, projeções inéditas, livros raros. É uma exposição feita à luz da nossa pesquisa em grupo”.

Ainda segundo Fred, uma das intenções da exposições é fazer com que as pessoas passem pela mostra refletindo sobre qual é a cidade da sua memória, sobre qual é a cidade que se quer, sobre qual é o sentimento, por exemplo, que se tem quando um prédio histórico é destruído.

“A exposição é um passeio por uma Natal que não existe mais, mas que mostra muito sobre como a cidade foi evoluindo e continua a evoluir”, diz o historiador. “Enquanto estamos aqui conversando, a cidade está furando o céu”.

20 anos de pesquisa sobre a cidade
Criado em 1998, o Grupo de Pesquisa História da Cidade, do Território e do Urbanismo (HCUrb) tem contribuído de maneira importante para a construção da historiografia de Natal, tendo como foco temas relacionados à arquitetura e urbanismo numa perspectiva histórica, atentando para relações e processos que implicam a transformação das dimensões material, sociocultural e ambiental da cidade e do território.

Grupo  pesquisa a história da cidade a partir do urbanismo
Grupo pesquisa a história da cidade a partir do urbanismo

O HCUrb conta com membros pesquisadores da UFRN e de instituições como UFERSA, IFPB, UFF, UNI-RN, IMED e Rede Estadual de Ensino, além de vínculos entidades internacionais, a exemplo da UNNdp (Argentina), UNAM (México), UM (Espanha), UB (Espanha), UPV (Espanha), ULR (França).

Visitação
A exposição “Vibrantes Caminhos: ideias modernas para a cidade do Natal” ficará em cartaz no Museu Câmara Cascudo por tempo indeterminado. A visitação é de terça-feira à sexta-feira, das 8h30 às 12h e 13h às 17h, e nos sábados, domingos e feriados, das 12h30 às 18h.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários