Marketing

Publicação: 2021-01-23 00:00:00
Itamar Ciríaco
itamar@tribunadonorte.com.br

“Tirar leite de pedra”. Essa é a missão dos clubes e da Federação em meio à crise econômica e sanitária mundial. O objetivo é tornar atrativo o Campeonato Estadual e atrair investimentos. A FNF está saneada financeiramente, apesar das dificuldades econômicas do País. Os clubes, que possuem gastos maiores e precisam enfrentar a pressão da torcida por títulos, além de terem encarado, por vezes, gestões amadoras, lutam para se modernizar. Precisam se unir para conquistar. A briga técnica pelo título não pode se confundir com desunião fora de campo. Juntos somos mais fortes. O Estadual não é a competição dos sonhos, mas é importante. O certame local é quem assegura 90% do calendário do ano seguinte. Além disso, a conquista de títulos é essencial para manter unida a torcida e fazê-la crescer. Sem a disputa local, em mais de 100 anos, abecedistas e americanos teriam apenas um Brasileiro de Série C, a Copa do Nordeste e os acessos para festejar. Seria muito pouco. O Alvinegro não estaria no livro dos recordes. É o Estadual que renova, ano a ano o ego das torcidas, o calendário e as esperanças por dias melhores.

Marketing 1
É com isso na cabeça que o marketing precisa ser envolvido para vender a ideia. Os clubes e a FNF precisam saber levar essa mensagem para a população em geral e investidores. Mesmo que inicie sem público, existe a expectativa pela volta da torcida aos estádios de futebol e, com menos vagas, ser sócio-torcedor se torna um negócio ainda melhor e pode voltar a ser explorado.

Marketing 2 
Falar nisso, elogios ao marketing americano que decidiu agradecer aos patrocinadores do clube, que, em meio a tantos problemas do país, decidiram apostar na força do Alvirrubro e do futebol para apresentar suas marcas. Reconhecimento é importante. 

Créditos: Divulgação

Virna
Neste domingo (17), o Show do Esporte, na Band, começa às 10h, sob o comando de Glenda Kozlowski e Elia Júnior. Dando continuidade ao Band Verão, a apresentadora traz uma reportagem especial direto do Geoparque Seridó, no sertão do Rio Grande do Norte, para mostrar os esportes de aventura. O local é a terra da família da ex-jogadora de vôlei Virna, que acompanha Glenda em uma trilha pela região.

Redes Sociais
Mudando o assunto, mantendo o tema, as presenças constantes de Flávio Boaventura (América) e Wallyson (ABC) nas redes sociais pode ser uma grande “arma” para atrair as atenções do público em relação ao Campeonato Estadual e seus respectivos clubes. Além disso, são, ambos, representantes diretos de conquistas inesquecíveis para alvirrubros e alvinegros. E, ora vejam só, em estaduais (2015 e 2007).

 Voleibol
Marcada inicialmente para este sábado, 23, a estreia do Unimed/Aero na Superliga B só vai acontecer na quarta, dia 27 de janeiro, na segunda rodada da competição. Cinco jogadores do time adversário, o Volei Futuro/SP, testaram positivo para a Covid-19.

“O regulamento da Superliga B não permite que um time entre em quadra se tiver pelo menos 3 atletas com suspeita ou diagnóstico de Covid. É um dos protocolos para evitar a contaminação dos atletas e de todos os envolvidos na competição. A organização do evento está muita preocupada com essa segurança, inclusive os jogos não terão a presença de público”, explica Matheus Moreira, gestor esportivo do Aeroclube. O jogo marcado para este sábado foi adiado para 25 de fevereiro. Com isso, a estreia do Unimed/Aero será contra o JF Volei/MG na próxima quarta à noite, no Ginásio do Sesi, em Natal. O Aero vai jogar em casa 5 das 7 partidas da fase classificatória da Superliga B.

Bolsa Atleta
O Governo Federal publicou nesta quinta-feira (21.01), o novo edital do Bolsa Atleta. Fundamental para o desempenho e a evolução do esporte brasileiro desde a sua criação, em 2005, o programa terá uma importante novidade neste ano. A partir de agora, os candidatos não precisarão mais enviar documentos pelos Correios. O Ministério da Cidadania lançou um sistema digital para facilitar as inscrições e o acompanhamento dos processos de análise e concessão do benefício. 

Os atletas candidatos poderão realizar a inscrição a partir do dia 26 de janeiro e enviar documentos como declarações de clube e de patrocinadores direto pelo sistema. É nele também que o candidato à bolsa deverá preencher o plano esportivo, acompanhar o andamento da análise da inscrição e verificar periodicamente a existência de pendências. O período de inscrições segue até 15 de fevereiro. A previsão orçamentária para o Bolsa Atleta em 2021 é de R$ 145 milhões, a maior desde 2014 e superior, inclusive, ao investimento no programa em 2016, ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, que foi de R$ 143 milhões.







Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.