Medidas preveem rebaixamento de vertedouro do açude São Miguel 2

Publicação: 2019-04-24 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Governo do Estado anunciou que está tomando as providências para recuperação da cabeceira da ponte localizada na RN-041 que liga a BR-304 ao município de Santana do Matos, na região central do estado. Além disso, representantes do Governo estiveram no açude São Miguel 2, no município de Fernando Pedroza, para decidir as ações que serão executadas para evitar o rompimento da barragem, que hoje está com sua capacidade máxima de 8,5 milhões de metros cúbicos.

Os encontros aconteceram na manhã desta terça-feira, 23, e fazem parte da força-tarefa criada no último final de semana para evitar o rompimento de reservatórios e executar a recuperação da RN-041. Através do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), o Governo mobilizou 10 homens, três tratores (enchedeira, escavadeira e rolo compressor) e três caminhões-caçamba para repor o aterro e fazer a ligação da estrada à ponte. De acordo com o encarregado dos serviços prestados pela construtora CLC, Francisco Alex de Oliveira, a previsão é que nas próximas 48 horas seja liberada uma parte da estrada, restabelecendo a ligação com Santana do Matos.

Também na manhã desta terça, representantes e técnicos do Governo estiveram no açude São Miguel 2, em Fernando Pedroza. A ação faz parte da força-tarefa para evitar o rompimento do reservatório. Representantes do DER, do Instituto de Gestão de Águas do RN (Igarn), da Defesa Civil estadual e do Corpo de Bombeiros do RN concluíram que será preciso rebaixar o volume do açude em 80 centímetros. Para o coordenador da Defesa Civil no RN, tenente-coronel BM Marcos de Carvalho, as medidas trazem segurança para a população. "Após os estudos dos engenheiros especializados em barragens, ficou decidida que a obra do rebaixamento do vertedouro é a melhor opção. Vale salientar que as visitas aos locais foram feitas desde de domingo e a partir desta terça as obras começarão", comenta.

Ainda de acordo o coordenador, será aberto um novo sangradouro e ampliado o já existente, para a execução do rebaixamento. Por solicitação do Governo do RN, dois técnicos da Defesa Civil nacional vieram de Brasília e também participaram da inspeção da área. Além disso, foi avaliada se as barragens que receberão água do reservatório após o rebaixamento do vertedouro teriam condições físicas de lidar com a maior fluxo. "Foi feita uma análise sobre a vasão após o rebaixamento e os técnicos observaram que o açude São Joaquim, em Angicos, e o açude Pataxós, em Ipanguaçu, poderão receber o maior fluxo de água após a obra, sem que tenham danos", comenda o tenente-coronel Marcos de Carvalho.

As atenções da Defesa Civil estadual se voltaram para o estado de seis das 49 barragens com capacidade acima de 5 milhões de metros cúbicos de armazenamento de água no Rio Grande do Norte. Essas barragens, de acordo com o coordenador, já atingiram 100% de sua capacidade, e podem apresentar mais riscos de transbordamento ou rompimento, como aconteceu neste fim de semana nas barragens São Miguel I, São Pedro e Vavá 1, na região central do Rio Grande do Norte. O rompimento das barragens não deixou vítimas fatais, mas comunidades ribeirinhas foram afetadas, de acordo com a Defesa Civil. Este é o caso do açude São Miguel 2, em Fernando Pedroza, que teve intervenção da força-tarefa para evitar o rompimento.










continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários