Memória afetiva dos botecos

Publicação: 2019-08-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Anônimos e personalidades que circularam por alguns dos melhores (e outros nem tanto) redutos da capital potiguar, tiveram suas experiências reunidas no “Breviário Etílico, Gastronômico e Sentimental da Cidade do Natal: Memória Afetiva da Boemia e Gastronomia Natalense (1975-2019)” (Editora 8), nova obra do pesquisador Gutemberg Costa, que será lançada nesta quuinta-feira, a partir das 18h, no Bar Temis Clube Balcão, no Clube América, Tirol. O livro contém registros e histórias preciosas de uma seleta lista de boêmios e suas respectivas aventuras pelas tardes e noites natalenses.

Desde os anos 70, Gutemberg Costa cultiva o hábito de anotar em caderninhos curiosidades, personagens e histórias vividas no ambiente despojado, libertário e acolhedor dos botecos
Desde os anos 70, Gutemberg Costa cultiva o hábito de anotar em caderninhos curiosidades, personagens e histórias vividas no ambiente despojado, libertário e acolhedor dos botecos

O livro é ilustrado com fotos de antigos e saudosos bares da cidade. Além disso, centenas de boêmios foram citados e lá estão relacionados os bares dos anos 70 até a atualidade. Ao todo, são mais de 470 estabelecimentos citados, do Alecrim aos bairros das zonas norte e sul. O leitor encontrará narrativas sobre anônimos e personalidades ilustres, como Newton Navarro, Luís Rabelo, entre tantos outros que compartilharam uma mesa ou o balcão de bar. 

Gutemberg Costa ressalta que esteve presente em boa parte dos momentos relatados pelo livro. “Quase sempre eu era um convidado destes encontros, que para mim foram uma honra. Ao final do trabalho, me assombrei com a quantidade de lugares e pessoas, puxados pela memória”, afirmou. Gutemberg não se define como boêmio, mas é fato que é um grande especialista do assunto bar, em especial os bares de Natal. O bar para ele não é só diversão, é também um hobby.

Foi a paixão pelo clima despojado, libertário e acolhedor dos botecos que o fez desenvolver uma mania incontrolável de registrar tudo em caderninhos as impressões sobre os locais onde parou um tempinho para beber e encontrar os amigos. Ele conta que tudo começou em meados da década de 70, quando tinha cerca de 17 anos. Sem imaginar, esses caderninhos de anotação ainda serviriam para alguma coisa.

Os caderninhos serviram de base para o “Breviário Etílico”, cujas informações foram acrescentadas a várias referências bibliográficas e a pesquisas de campo.

Autor de “Antigos Carnavais da Cidade do Natal (1875 a 1945)” e “Natal: Personagens e Populares”, no novo livro Gutemberg conduzirá o leitor por um passeio da Zona Norte à Zona Sul passando por mais de 200 bares e restaurantes da cidade, desde os mais simples até os mais luxuosos, lembrando aqueles que marcaram história e não existem mais, mostrando os espaços recentes com potencial, e ressaltando aqueles estabelecimentos tradicionais – que o escritor gostaria de ver valorizado pelo poder público. “No Rio de Janeiro bar antigo é patrimônio da cidade. Tem inclusive placa da prefeitura”, disse.

Para o livro, o autor também acrescentou recortes de jornal,  anúncios de bares antigos, e fotos feitas por ele mesmo. “Tudo isso me permitiu escrever sobre os lugares que não existem mais. Dou o endereço dos bares, falo da ambientação, se a comida era caseira, conto a história dos donos, dos garçons”, contou. O livro faz um recorte de tempo que vai de 1975 até 2019. Mas o livro não é só memória. É pesquisa também.

“Eu só conheci um dono de bar com título de cidadão natalense: Zé Saldanha, o cordelista, lá em Candelária. Seu bar se chamava Recanto do Seridó, tinha cerveja, sinuca, queijo, os seus cordéis. Funcionou quase 50 anos”, lembrou. Gutemberg cita outros clássicos como o Bar do Coelho, Caixinha de Fósforo, Peixada da Cumadre, Bar do Pedrinho, Cobra Choca, entre outros. O livro tem  prefácio assinado pelo jornalista Vicente Serejo, orelha do memorialista Nilo Emerenciano, e contracapa do historiador Claudionor Barbalho.

Serviço:
Lançamento de “Breviário Etílico, Gastronômico e Sentimental da Cidade do Natal: Memória Afetiva da Boemia e Gastronomia Natalense (1975-2019)”, de Gutemberg Costa. Quinta, às 18h, no Temis Clube Balcão, clube América, Tirol. Preço do livro: R$40.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários