Memória esquecida e abandonada

Publicação: 2013-06-29 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Marília Rocha - repórter

A história da aviação militar e das bases construídas na região metropolitana como a Rampa, em Natal, e o “Trampolim da Vitória”, em Parnamirim, onde hoje está sediada a Base Aérea de Natal, serão tema do próximo livro do pesquisador norteamericano Frank D. McCan que visitou o Rio Grande do Norte nesta sexta-feira (28) para conhecer de perto pontos que desde a década de 70 ele pesquisa.

Frank McCan é professor da Universidade de New Hampishire, nos Estados Unidos e tem três livros publicados sobre a história da aviação e guerra mundial “A Nação Armada: Ensaios sobre a História do Exército Brasileiro” (1982), “A Aliança Brasil Estados Unidos” (1995) e o mais novo trabalho “Soldados da Pátria” publicado em 2007. Por causa das pesquisas e contribuição para o resgate da história do Brasil, Frank já ganhou medalhas nacionais que representam a honra militar.

No livro “A Aliança Brasil Estados Unidos”, o pesquisador conta a história da guerra entre os anos de 1937 e 1945. “Natal é muito importante na construção da história militar entre o Brasil e os Estados Unidos porque era aqui (na Rampa) que os americanos tinham a maior base americana fora dos Estados Unidos”, conta Frank.

A “Rampa” é um conjunto de prédios militares com estrutura aérea e aquática. Localizada na Ribeira, a Rampa era usada nas décadas de 30 e 40, período da 2ª Guerra Mundial, pelos militares para receber aviões e os hidroaviões, que pousavam no Rio Potengi. “A Rampa foi essencial para a conquista da Guerra pelos americanos porque era aqui que os aviões eram abastecidos e eram montadas as estratégias de paradas para o próximo ataque”, comenta Frank MacCan.

O historiador contou ainda que o Brasil possuía na época 16 bases americanas “de Macapá até Santa Catarina”, mas que os americanos escolheram Natal como a principal base e investiram na construção das estruturas militares. Ao falar do estado atual da Rampa, Frank critica o abandono do prédio. “É de doer o coração saber que a história da aviação militar tão importante para a nossa história não é preservada no Rio Grande do Norte. Um lugar que não guardou uma memória tão importante para o mundo inteiro”, disse emocionado.

“As bases americanas instaladas em Natal “, continua, “foram fundamentais para os americanos na época em que precisavam de proximidade com a África, União Soviética e até China”, comenta.

O historiador potiguar Rostand Medeiros, que acompanhou a visita de Frank nas antigas bases militares disse que Natal tem muita história a contar sobre as bases militares e a guerra. “Temos militares enterrados em nossos cemitérios e prédios como esse [a Rampa] que contam a nossa história e precisam ser conservados”, frisou Rostand. As visitas às bases militares servirão para ilustrar os dois próximos livros de Frank MacCan com descrição da conservação da história militar nos Estados Unidos e no Rio Grande do Norte. 

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários