Menino idiota

Publicação: 2020-05-29 00:00:00
A+ A-
Rubens Lemos Filho
rubinholemos@gmail.com

Créditos: Divulgação


Um minuto de jogo e Zico marcava Flamengo 1x0 Santos a 29 de maio de 1983, Maracanã com 155 mil pagantes, maior público da história das decisões de campeonatos brasileiros. Zico fazia última partida após ser vendido em segredo para a Udinese, uma espécie de Bragantino da Itália. 

O Flamengo venceu por 3x0, conquistou seu terceiro título nacional e o marcador de Zico, obscuro volante Toninho Silva, poderia ter encerrado a carreira ali mesmo, na boca  da noite daquele domingo. Tomou mais de 200 dribles, em contagem comedida. 
Vibrei pela venda de Zico. Tinha então 12 anos e oito meses. Meninos se acham donos do mundo e passam por  idiotas, nem sempre nem raramente. Zico foi embora.

O Vasco, meu time, fez, em 1983 uma das piores temporadas de sua história e, em nenhum ano da permanência de Zico até 1985 na Itália, conquistou um título sequer. 

Zico instituiu autoestima  na Udinese, que passou de mediano a grande enquanto ele vestiu sua camisa alvinegra, cores que tanto humilhou em contradição artística no Flamengo. Goleiros colocavam dois homens na linha do gol além da barreira, apavorados com as cobranças de falta imperdoáveis do Galinho. 

Os gols de Zico – que encarou Maradona, Falcão, Platini, passavam aos domingos à noite no Fantástico e, no Brasil, Carlos Alberto Parreira fracassava com seu jogo medroso, acuado e sem criatividade na primeira passagem pela seleção brasileira. 
Sem Zico, vencemos  semifinal de Copa América dos paraguaios no cara ou coroa, na moedinha e perdemos a decisão levando dois bailes uruguaios(0x2 e 0x0). 

Zico  voltou. O menino envelheceu – ficar velho é didático, para entender que Zico jogador era universal. Zico cidadão, raridade. Zico genial, Pelé branco permitido ao menino egoísta.  Confiram nas reprises. 

Força 
A Frasqueira é potência. Mesmo sem jogos, o ABC vai bem na temporada 2020 do “Campeonato da Timemania” e vai acumulando bons resultados. A Caixa Econômica Federal divulgou o desempenho no concurso 1487 e o ABC ficou na 18ª colocação com 4.895 apostas.
 
Protocolo
O Departamento Médico do América, comandado pelo decano Maeterlinck Rêgo e integrado também pelos doutores Marcelo, Márcio e Marcos Rêgo, é pioneiro na formulação de protocolo de regras para volta às atividades do futebol. 

Normas 
De acordo com o trabalho, o primeiro teste deverá ocorrer 72 horas antes do treino. O segundo será para identificar falsos resultados. Jogadores e funcionários imunizados  formarão   grupo único de treinamentos, que deve ser dividido em mais de um vestiário, respeitando o distanciamento de cada atleta.
 
Apoio ao esporte 
Segundo a Agência Câmara Notícias , o Projeto de Lei 2824/20 estabelece uma série de medidas para socorrer o setor esportivo brasileiro enquanto vigorarem medidas de isolamento social ou de quarentena vinculadas à pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Felipe Carreras (PSB-PE), está tramitando.

Prestação de contas 
Uma das ações previstas prorroga automaticamente, por um ano, os prazos para a aplicação de recursos destinados a atividades esportivas e a respectiva prestação de contas, no caso dos projetos  aprovados pelo governo federal.
 
Dívidas 
O texto também suspende por um ano o pagamento dos débitos tributários com a União de empresa que atue no setor esportivo, desde que sua receita bruta anual seja inferior a R$ 4,8 milhões. Os débitos ficam parcelados em 12 vezes a partir do 13º mês.

Vasco 
Nada que não possa piorar no Vasco da Gama. Um candidato a presidente prometeu contratar Yayá Touré, volante marfinense de 37 anos e extrema categoria. O candidato é um tal de Leven Siano. O jogador disse não. 
 
Leilão  
A medalha da França como vencedora da Copa 2018, foi vendida no leilão da casa especializada Darren Julien por US$ 71,9 mil(R$ 426 mil). Os nomes jogadores da seleção francesa e do comprador não foram divulgados.
 
Martelo pesado 
As licitações para esse lote começaram com um valor de US$ 32,5 mil e, no total, o preço subiu dez vezes. Ao todo, 10 lances foram dados pela medalha até o martelo ser batido.
 
Cai-cai 
Amanhã, 30 de maio, faz 38 anos do Jogo do Cai-Cai, América 0x0 Baraúnas pelo segundo turno da Taça Cidade do Natal de 1982, com 4.139 torcedores no Machadão. 
 
Expulsões 
O jogo foi encerrado aos 12 minutos do segundo tempo, quando foram expulsos Gilberto e Romildo, do tricolor mossoroense. Inconformado com os cartões vermelhos, o time foi embora. 
 
Escalações 
O América atuava com César; Ivan Silva, Lúcio Sabiá, Dick e Vassil; Baltasar, Didi Duarte e Norival; Curió, Sandoval e Severinho. Técnico: Laerte Dória. Baraúnas: Vilberto; Vildomar, Amauri, Anchieta e Vevé; Gilberto, Berré (Nego Chico) e Romildo. Noé Macunaíma, Dedé e João Carlos(Moisés). Técnico: Antoninho. 
 
Princípios 
Os últimos acontecimentos mostram que o Brasil é um país cujos princípios são os próprios fins. Ou acréscimos, na comparação ao futebol.