Menos potiguares pretendem comprar presentes para o Dia dos Pais

Publicação: 2020-08-02 00:00:00
A+ A-
Ricardo Araújo
Editor de Economia

O Dia dos Pais, comemorado no Brasil no segundo domingo do mês de agosto, será a primeira importante data comemorativa para o comércio varejista nacional desde o reinício da retomada gradual das atividades econômicas e um termômetro para as intenções de consumo no segundo semestre. Em Natal, a maioria dos consumidores – 57,7% - não deverá ir às compras de presentes nos próximos dias. O número representa um aumento de 12,7 pontos percentuais em relação à ao mesmo período do ano passado. Os dados são da Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio RN) obtidos com exclusividade pela TRIBUNA DO NORTE.

Créditos: Alex RégisNos primeiros dias após a reabertura dos shoppings centers em Natal, a movimentação foi considerada baixa. Lojistas esperam melhora nas vendas nesta semanaNos primeiros dias após a reabertura dos shoppings centers em Natal, a movimentação foi considerada baixa. Lojistas esperam melhora nas vendas nesta semana

A pandemia do novo coronavírus continua sendo o principal agente causador da diminuição e intenção de consumo entre os natalenses entrevistados pela Federação. Para 58,9% que responderam que não irão presentear no Dia dos Pais, fatores econômicos os levaram à decisão. Outros 33,5% apontaram a falta de dinheiro como motivação; o desemprego por 6,1% e a necessidade de poupar por 4,6% dos respondentes. Aplicada entre os dias 10 e 13 de julho, o levantamento da Fecomércio RN para o Dia dos Pais ouviu 600 consumidores em Natal.

Apesar da pesquisa aponta queda na intenção de consumo, os empresários estão otimistas com as vendas de última hora. Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL Natal), José Lucena, o Dia dos Pais de 2020 acontece em um momento muito importante para economia com a retomada das atividades comerciais.  “O Dia dos Pais é a primeira data comercial de 2020 que acontece com o comércio funcionando e com o e-commerce em alta. Então, estamos otimistas para os resultados.  Ainda é cedo para falar de expectativa das vendas, mas estamos otimistas, sim”, destaca.

José Lucena ressalta que o comércio vive um momento hibrido, com lojas online e física trabalhando as ofertas, fato que ele avalia como vantajoso para o consumidor final. “Temos agora opções para todos os tipos de consumidores. Aquele que prefere por segurança comprar online, e aquele que gosta de comprar em loja física, e agora tem a oportunidade de fazer já que o comércio está aberto. Lembrando que é necessário cumprir os protocolos de segurança, usar máscara, e evitar aglomerações”, frisa Lucena.

Conforme a pesquisa da Fecomércio RN, a intenção de comprar pelo natalense se apresenta mais favorável entre os consumidores com nível superior de escolaridade (52,7%); faixa etária entre 16 e 24 anos (61%) e renda familiar acima dos 10 salários mínimos (77,4%). 

A atual situação da economia nacional, porém, não é satisfatória à maioria dos natalenses ouvidos pela Fecomércio RN. Cerca de 43% dos consumidores locais avaliam o momento como ruim ou péssimo para a compra de produtos. Outros 42% dizem que o momento atual é apenas regular, enquanto 14,7% relatam que estão numa situação ótima ou boa para a aquisição de itens relativos ao Dia dos Pais. Na mesma pesquisa realizada no ano passado, 25% dos entrevistados consideravam o momento ruim ou péssimo para a compra de presente; 47,2% regular e 27,8% como bom ou ótimo.

Situação financeira

Comparada com o ano de 2019, às vésperas da data que celebra os pais no Brasil, a situação financeira dos natalenses piorou. Conforme as respostas tabuladas pelo Departamento de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Fecomércio RN, 40,2% dos consumidores entrevistados informaram estar em situação pior financeira comparada ao ano anterior; 49,3% afirmam estarem em situação igual e apenas 10,5% em uma situação melhor. No ano passado, 32% declaravam estar em situação pior; 36,4% igual; e 31,6% melhor.

Shoppings estão cautelosos, mas preparados

A semana que hoje inicia será um termômetro para os lojistas dos shoppings centers em Natal. A maioria prefere não falar em expectativa de vendas, diante das incertezas provocadas pelo novo coronavírus na economia e pelo fato da maioria dos consumidores optarem pelas compras remotas. Para os consumidores que optarem pelas lojas físicas, os maiores shoppings de Natal ressaltam que reforçaram os protocolos de biossegurança e estão preparados para o “novo normal”.

“Esta é a primeira data do varejo que o shopping estará aberto durante a pandemia da covid-19 e a expectativa é grande para atender a demanda da melhor forma possível. O fluxo do shopping está retornando aos poucos e nós temos acompanhado essa evolução com muita responsabilidade e cada vez dando todo o suporte aos nossos clientes para que essa retomada aconteça da melhor e mais segura forma possível. É uma situação nova para todos nós, sem parâmetros ainda. Por isso, não podemos nem exemplificar uma porcentagem de expectativa de vendas”, afirma Daniele Leal,  gerente geral do Praia Shopping.

O superintendente do Natal Shopping, Felipe Furtado, destaca que está muito cedo para falar em alguma expectativa para o Dia dos Pais. “Temos poucos dias de reabertura e sabemos que vai ser uma retomada gradual, então, está bem difícil entender como serão as vendas para o Dia dos Pais. O que podemos reforçar como shopping, é que estamos oferecendo aos nossos lojistas todas as ferramentas digitais possíveis para que o cliente tenha à disposição a maior diversidade de canais de vendas para que possa usar”, ressalta.

Campanhas digitais

O Natal Shopping e o Praia Shopping estão apostando em campanhas de compras digitais, com o oferecimento dos serviços de drive thru, para a retirada dos itens adquiridos pelos clientes. “O que temos visto de um modo geral Brasil afora, é que isso tem ajudado bastante na performance do varejo. Tanto é, que a nossa campanha para o Dia dos Pais é voltada para o digital. Estamos dando ênfase ao “Retire Aqui”, que são armários inteligentes onde o cliente pode ter acesso à mercadoria depois de ter comprado por meio online e escolhido a retirada nos e-lockers”, diz Felipe Furtado, superintendente do Natal Shopping.

Ele explica que, após efetivada a compra na plataforma digital, o cliente recebe um QR Code disponibilizado pela marca/loja para destrancar a gaveta e acessa a compra em um prazo de até 72 horas. “Temos também o drive-thru, o B2W e o ZapCommerce: o cliente pode receber os produtos em casa, comprar no site e retirar na loja e também usar o APP do shopping para esse fim. Então, o que entendemos como shopping é que quanto maior o número de canais de venda o lojista tiver, melhor será a performance de vendas dele”, declara Furtado. A  expectativa do superintendente é de que haja esse entendimento por parte do lojista e que ele faça uso dessas alternativas para que haja  uma melhor performance de vendas.

No âmbito do Praia Shopping, haverá uma promoção online intitulada “De Pai para filho”. A ideia é incentivar a compra digital com retirada no drive thru montado na frente do cinema e com hora marcada na loja, evitando assim criar tumultos ou expor os clientes nesses dias de retomada gradativa. A ação será de 4 a 8 de agosto com a participação de todas as lojas.

A gerente geral do Praia Shopping, Danielle Leal, espera que “com os incentivos que as lojas estão organizando e com os recursos que estamos disponibilizando, grande parte do  público possa fazer as suas homenagens neste dia tão especial que está chegando”.

Vestuário é a principal aposta para presentes

Entre aqueles que vão às compras, itens de vestuários devem ser a aposta principal dos filhos para agradar os pais, com 50,4% das intenções. Itens de perfumaria serão a escolha de 19,3%, seguidos por calçados, carteiras e cintos (11,5%). Os demais tipos de presentes foram menos citados e incluem: eletroeletrônicos ou celulares (8,3%), livros (2,4%), joias ou relógios (0,8%), artigos de casa (0,8%), produtos automotivos (0,5%), e demais opções (2,6%). Os que ainda não sabem o que vão comprar somam 16,1%.

“Questionados sobre o que avaliam como decisão prioritária na escolha do presente, para 42,1% o preço é fator decisivo, seguido do desejo do presenteado para 35,4% dos entrevistados, e em terceiro a qualidade do produto para 31,1%. Descontos/promoções (15,4%), vendas online (14,2%) e biossegurança da loja (8,7%) também serão fatores decisivos na hora de escolher o presente”, destaca o levantamento.

Para 54,5% dos natalenses consultados, o  investimento no presente para os pais será de até R$ 100,00 Para 33,3% dos entrevistados, serão priorizados presentes entre R$101,00 a R$ 200,00. Outros 3,5% dos participantes irão investir de R$ 201,00 a R$ 300,00; e 4,7% gastarão valores superiores a R$ 300. O tíquete médio estimado para a compra do presente pelo natalense será de R$ 110,49. Em 2019, o valor médio foi de R$ 112,01.

Conforme o perfil dos entrevistados, verificou-se que as pessoas com idade entre 25 e 34 anos (R$ 118,60), ensino superior (R$ 120,53) e rendimentos acima de 10 salários mínimo (R$ 179,55) são as que vão desembolsar os maiores valores.