Mercado de seguros cresce no RN

Publicação: 2017-10-29 00:00:00
A+ A-
Ricardo Araújo
Editor de Economia

O provérbio popular que diz que “o seguro morreu de velho” está sendo levado à risca por um número cada vez maior de potiguares. O aumento da sensação de insegurança provocado pelos roubos de veículos, arrombamentos às residências e empreendimentos comerciais provocou uma busca maior pelos serviços de empresas de seguros no Rio Grande do Norte. No País, o setor registrou aumento de 7% de janeiro a agosto deste ano, em comparação com mesmo período de 2016. No estado, o seguro habitacional é destaque, pois registrou incremento de 194,91% no período, de acordo com a Superintendência de Seguros Privados (Susep) e CNSeg.
Créditos: Adriano AbreuAlderi Alves, presidente do Sincor/RN, destaca números do setorAlderi Alves, presidente do Sincor/RN, destaca números do setor

Alderi Alves, presidente do Sincor/RN, destaca números do setor

“O setor de seguros é movido pela economia e enfrentamos, como todos os outros setores, alguns decréscimos. Mas, estamos nos recuperando neste segundo semestre de 2017 e a nossa expectativa é fechar o ano com números ainda melhores”, declara o presidente Sindicato dos Corretores de Seguros, de Capitalização e Previdência Privada do Estado do Rio Grande do Norte (Sincor/RN), Alderi Alves. Dados tabulados pela Susep e consolidados pela Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (Cnseg) mostram que o volume de prêmios de seguros habitacionais no estado saltou dos R$ 8,38 milhões de janeiro a agosto do ano passado para R$ 24,7 milhões em igual período deste ano.

A liderança absoluta no quantitativo de negócios, porém, continua com os seguros automotivos, com R$ 171 milhões movimentados em 2017 – aumento de 10,23% em relação a 2016. Em Natal, de acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/RN) consultados no final da tarde da sexta-feira, 27, estavam registrados 391.712 veículos. A cada dois moradores da capital, um tem veículo. Do total, de acordo com dados do Sincor/RN, 30% está segurado. Números da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed/RN) apontam que, de janeiro a agosto deste ano, pelo menos cinco mil veículos foram roubados no estado.

“A demanda por seguros de veículos cresceu por causa da violência Quem compra carro novo, por exemplo, sempre sai com seguro adquirido. Nós percebemos que muitos carros são roubados todos os dias. É uma demanda espontânea a procura por esse tipo de seguro”, destaca Alderi Alves. Mas não somente os veículos que estão sendo segurados no RN. É crescente o número  de pessoas buscando seguros de vida e de saúde, além do residencial. Merece destaque, também, os voltados para os empreendimentos comerciais, cuja cobertura contempla equipamentos e mercadorias em geral.

Nesse segmento, o crescimento de janeiro a agosto  foi de 32,88% no estado, saltando dos R$ 22,7 milhões  em 2016 para R$ 30,2 milhões este ano. “Nós percebemos que há uma procura maior por seguros residencias, patrimonias, de saúde e até mesmo de previdência privada. As pessoas estão mais conscientes e percebem que é um item importante”, declara Alderi Alves. Os seguros residenciais básicos cobrem o imóvel em casos de incêndio, explosão e queda de raios. Um seguro para imóvel de R$ 500 mil, por exemplo, custa em média R$ 190 anuais.

“Registramos também aumento na procura por seguros de Previdência Privada em decorrência das mudanças propostas pelo governo federal.  O setor de seguros inovou e implantou seguridade para animais de estimação com vacinação, hospedagem em  e consultas com veterinários. “São os melhores amigos do homem”, brinca Alderi Alves. Na maioria dos contratos, os seguros para os animais de pequeno porte, os domesticados, estão inclusos no pacote do seguro residencial.


Deixe seu comentário!

Comentários