Mercado em evidência

Publicação: 2019-10-22 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

Nada menos do que R$ 268,9 bilhões, foi o volume de recursos captado no mercado de capitais doméstico de janeiro a setembro deste ano, revela a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Um montante 42% superior ao volume obtido em igual período de 2018. Para o vice-presidente da Anbima, José Eduardo Laloni, “a demanda está vindo do mercado interno, com destaques para debêntures e ofertas de ações”. De acordo com dados detalhados, o resultado em nove meses fechados de 2019 é o maior da série histórica da Anbima. Foi um ano muito bom para debêntures, a maior parcela indo para fundos de investimentos. Já o estoque de investimentos chinês no Brasil chega aos US$ 80 bilhões.

Projeções
O mercado voltou a reduzir a expectativa para a taxa básica de juros neste ano. A expectativa para Selic em 2019 cai a 4,5% com fraqueza da inflação. Para o crescimento da economia a previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) foi ajustada de 0,87% para 0,88% em 2019. As estimativas para os anos seguintes não foram alteradas. O  segue em R$ 4.

Sem volta
O juro mais baixo – taxa civilizada-  veio para ficar, afirma o economista Ilan Goldfajn, ex-presidente do Banco Central. Para ele, o desafio é como sair da armadilha da renda média, acrescentando que o País deve buscar caminhos para acelerar o crescimento da sua economia nos próximos anos e, sem deixar que os juros subam novamente.

Mercado
O dólar fecha em ligeira alta, acompanhado do euro, às vésperas da votação da Previdência no Senado. O petróleo teve ligeira baixa a US$ 53,46, em Nova Iorque. Já a bolsa subiu 1, 23% a 106 mil pontos.  O mercado está de olho nos acontecimentos externos, com as manifestações da população em diversos países.

Saque
A Caixa Econômica antecipa para 2019 o calendário de pagamentos do saque imediato do FGTS. As transferências do Saque Imediato, de até R4 500, para outras instituições financeiras serão isentas nos atendimentos feitos nas agências. Em pouco mais de 40 dias, a CEF já creditou em conta mais de R$ 15,4 bi para cerca de 40% dos trabalhadores (37,3 milhões).

Comércio exterior fraco
A balança comercial brasileira reflete o baixo dinamismo da economia mundial e da economia brasileira, diz a Fundação Getúkio Vargas (FGV). Em setembro pioraram as expectativas quanto aos rumos do comércio mundial com o aumento das tensões da guerra comercial China e Estados Unidos e as incertezas sobre o desfecho para o Brexit. Nesse contexto, o FMI projetou para 2019 um aumento de 3% para o produto mundial e de 1,1% para o volume do comércio mundial, uma queda de 1,4 pontos percentuais em relação à projeção em julho.

Balança
Mais uma semana de déficit da balança comercial.  Na terceira semana de outubro, o Brasil comprou mais do que vendeu e registro saldo negativo de  US$ 217,922 milhões (exportações de US$ 3,798 bilhões e importações de US$ 4,015 bilhões). Em outubro, o superávit acumulado é de US$ 507,42 milhões. Já no total do ano, o superávit é de US$ 34,125 bilhões.   

Clima
Mais uma semana de céu parcialmente nublado a claro, com previsão de pancada de chuva no fim de semana, segundo a Emparn. Choveu forte de sexta-feira até ontem, em alguns municípios, como em Ipanguaçu, com registro de 74 milímetros. Mais chuvas, para sgurar o pasto. 

Resíduos
O Ministério da Agricultura e Pecuária baixa Instrução Normativa estabelecendo regras para destinação de resíduos da pecuária. As regras possibilitam a utilização de rotas tecnológicas para o os resíduos de forma sanitariamente segura, alternativas às práticas até então adotadas.

Palestra
A Associação de Supermercados do RN (Assurn),  promove hoje uma palestra sobre importância do Marketing Digital para o setor de supermercados.   Será no Hotel Holiday Inn, em Natal, a partir das 8h30, com o consultor em Marketing Digital, Glebe Duarte. Na palestra serão apresentados os benefícios de se investir nas mídias sociais de maneira inteligente.

Serviço
A Cosern começou ontem o processo de etiquetagem  de 85.200 itens em lojas de material de construção e de produtos elétricos. São andaimes, caixas de antena, vergalhões, lajes, sacos e latas de tinta utilizadas na construção civil com orientações de segurança para prevenção de acidentes com a rede elétrica.

Produto
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)  define os requisitos para envasamento de água do mar dessalinizada. Com a resolução 316/2019, o Brasil passa a ter, a partir de agora, quatro tipos de água envasada: água mineral natural, água natural, água adicionada de sais e água do mar dessalinizada potável. A água do mar deve ser registrada na Anvisa, que avaliará vários fatores.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários