Mestre Marciano, de São Miguel do Gostoso, é premiado do MinC

Publicação: 2010-02-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural (SID/MinC), publicou nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, a lista dos selecionados no Concurso Público Prêmio Culturas Populares 2009 - Edição Mestra Dona Isabel, no Diário Oficial da União (Seção 3 págs. 10 a 13).

A premiação contemplará 195 representantes das culturas populares brasileiras, entres mestres e representantes de grupos/comunidades informais e formais, com um investimentos de cerca de R$ 2 milhões.

A artesã ceramista do Vale do Jequitinhonha, Dona Isabel Mendes da Cunha, é a grande homenageada desta edição. No total, foram inscritos 2.833 projetos; e habilitados 2.308. As iniciativas vieram de todo o país: 51% da Região Nordeste; 30% do Sudeste; 8% do Sul; 7% do Norte e 4% do Centro-Oeste.

Em relação às categorias, 1.159 projetos foram de Mestres; 872 de integrantes de Grupos/Comunidades Informais e 277 de integrantes de Grupos/Comunidades Formais.

Rio Grande do Norte

 Do Rio Grande do Norte, foram contemplados o Mestre de  Boi de Reis de São Miguel do Gostoso, seu Zé Marciano, e ainda a comunidade Negros do Rosário de Jardim do Seridó,  e o Pastoril Estrela do Mar. O Prêmio consiste num diploma e um cheque de dez mil reais

Zé Marciano foi contemplado com o Prêmio Culturas Populares do Ministério da Cultura como reconhecimento nacional por seu trabalho de promoção da cultura popular na comunidade praiana do Gostoso, onde reside há mais de setenta anos.

“Quando Seu Marciano tinha dez anos pegou uma doença e sua mãe fez uma promessa de que, ficando bom, o filho, tinha que “brincar o Boi” na frente da Igreja”, conta o padre Fábio, que coordena o Ponto de Cultura Tear, em São Miguel do Gostoso. Em seu blog, Fábio conta que desde  menino — hoje Marciano tem  quase 81 anos — ele brinca de Boi de Reis.

Hoje tem o grupo formado por idosos bricantes, mas seu Marciano junto com seu Luiz Pequeno, outro grande mestre, também transmitem às novas gerações da cidade o que ele começou um dia. Todas as quartas os dois realizam oficinas com 12 crianças no Ponto de Cultura Tear.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários