Meu Caicó faz jus na fartura e hospitalidade

Publicação: 2019-01-18 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A cultura gastronômica do Seridó preza pelo sabor da comida e pela hospitalidade à mesa. Quem visita um seridoense nunca sairá de sua casa sem provar a comida dele – o que não será nenhum sacrifício. Essa qualidade típica virou negócio no restaurante Meu Caicó, aberto em Nova Parnamirim. Uma casa seridoense com certeza, aproximando capital e interior da forma mais saborosa possível.

No Meu Caicó, a carne de sol e macaxeira reproduzem o sabor típico seridoense à mesa
No “Meu Caicó”, a carne de sol e macaxeira reproduzem o sabor típico seridoense à mesa

O Meu Caicó é um negócio de família. Surgiu quando Maria Auxiliadora de Araújo, a Tilia, e o marido Daniel sentiram que era hora de mudar de cidade para cuidar dos filhos que moravam e estudavam em Natal. “As despesas estavam altas e achamos melhor deixar Caicó para ficar mais perto deles”, conta. O desafio agora era recomeçar do zero na capital.

Os dotes culinários de Auxiliadora, passados de mãe pra filha, foram o incentivo para apostar na gastronomia. O restaurante foi aberto no final de março de 2017 na garagem da casa, com apenas quatro mesas. Apesar do tamanho, o tempero típico seridoense não parava de atrair gente. Um ano depois, foi preciso aumentar o local. Atualmente, a casa tem 20 mesas. 

A propaganda do boca a boca é unânime: no Meu Caicó se come iguarias seridoenses autênticas. “A gente traz tudo de lá. A carne de sol, os queijos, a nata, as bolachas. A única coisa que não é de lá é o refrigerante de cajuína, fornecido em parceria com uma empresa cearense de Juazeiro do Norte”, diz Auxiliadora. Ela ressalta que a memória afetiva é um elemento importante no restaurante. É um tempero que ninguém resiste.

Picadinho de carneiro acompanhado de cuscuz temperado
Picadinho de carneiro acompanhado de cuscuz temperado

O cardápio traz a “sustância” da macaxeira cozida, cuscuz com ou sem verduras, tapioca normal ou “rendada” (com queijo ralado na massa) e arroz de leite, que podem ser misturados com ovo caipira frito, queijo coalho assado ou de manteiga derretido, carne moída ou de sol na nata, carne de sol acebolada, paçoca, picado de carneiro, e frango desfiado cremoso.

Na parte de “forra bucho” pesado tem a ‘malassada’, um tipo de omelete com carne de sol, verdura e queijo de manteiga; creme de jerimum com carne de sol e cubos de queijo coalho; escondidinho de carne de sol; pão de alho recheado com carne de sol na nata e coberto com queijo; pão assado na manteiga da terra; bolacha assada na manteiga, e um cachorro-quente turbinado com queijo de manteiga ralado.

A casa só abre pra almoço no fim de semana, com direito a menu especial aos sábados. Tem picado de carneiro, carneiro torrado, tilápia, galinha caipira, arroz de leite com feijão verde, farofa d’água morna com cebola roxa, etc. E só no sábado tem filhós com mel de engenho, guloseima luso-seridoense amada por quem a conhece, além de um bolo da moça cremoso. Auxiliadora ressalta que até junho terá uma loja de bordados seridoenses no local.

Também tem malassada, espécie de omelete com carne de sol, queijo e verduras
Também tem 'malassada', espécie de omelete com carne de sol, queijo e verduras

Serviço:
Meu Caicó. Rua Nísia Floresta, 57, Nova Parnamirim. Aberto terça a sábado das 18 às 22h, e sábado e domingo das 11 às 15h. Tel.: 99675-3100.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários