Viver
Meysa Medeiros foi selecionada para participar do festival Foto de Quebrada
Publicado: 00:01:00 - 10/05/2022 Atualizado: 22:14:28 - 09/05/2022
Tádzio França
Repórter

Ao dirigir suas lentes para um personagem “polêmico” da sociedade natalense, a fotógrafa Meysa Medeiros revela muito sobre a alma local. Ela foi selecionada para participar do festival Foto de Quebrada, um evento de Brasília que celebra a identidade das periferias brasileiras. A exposição será realizada de 12/05 a 14/06, e inclui shows, oficinas e debates. A participação de Meysa é baseada no ensaio que ela fez em 2017 sobre o “pinta natalense” - apelido dado  a parte dos jovens periféricos da capital. Revelando as camadas de humor e preconceito que há nessa história, as imagens levam a questionar estereótipos. 

MEYSA MEDEIROS
A exposição que será realizada em Brasília celebra a identidade das periferias brasileiras

A exposição que será realizada em Brasília celebra a identidade das periferias brasileiras


O ensaio chamou atenção na época pela forma respeitosa e positiva com a qual registrou os chamados “pintas” pela primeira vez. A fotógrafa, que também integra o coletivo carioca Periferia e Memória, ressalta que questionar o preconceito sempre foi um dos objetivos nesse trabalho.  “Hoje,  com uma visão mais madura,  penso que deve haver uma reflexão maior sobre o tema. As pessoas que enxergam só o que vêem nos noticiários populares podem refletir sobre outra realidade. Também penso que isso abre caminhos para nossos fotógrafos trabalhem mais o tema aqui no estado”, diz. 

A obra de Meysa foi uma das escolhidas ente 614 trabalhos inscritos de todo país. Ela enviou cinco imagens para o festival. Nelas, a fotógrafa mostra cenas de um jovem comum da “quebrada” em seu ambiente, com as roupas, o estilo, o visual, a trilha sonora, e a vibe típica dos meninos que passaram a ser chamados de “pintas” em Natal - mas de uma perspectiva feliz, positiva, e ao mesmo tempo natural. 

“Quis questionar o fato de  alguém de determinado bairro, com vestuário ou certos gostos musicais,  ser sempre associado à marginalidade. Procurei também levantar a autoestima desses meninos”, afirma. As imagens da fotógrafa atingiram todos os requisitos exigidos pelo festival, como a composição artística, singularidade e originalidade, potência para dialogar com temas que vão além de seus limites geográficos, e também a capacidade de reflexão diante dos aspectos da vida local onde as imagens foram capturadas. 

Meysa Medeiros conta que, mesmo ela já fazendo parte do segmento fotográfico que registra personagens populares ou periféricos, foi uma grande surpresa ter sido selecionada para o Foto de Quebrada em 2022. “Nesse ano eles quiseram ir além do centro-oeste e do sudeste, e tive minha chance de mostrar que no RN também há um trabalho que se preocupa com isso”, diz. 

Aliás, não será a primeira vez que as imagens dos “pintas” natalenses sairão do RN, ressalta Meysa, pois elas já foram exibidas em um evento do Sesc Paraty, no Rio de Janeiro, com direito a projeções nos casarões e sobrados coloniais da cidade. Seguindo a máxima dos Racionais MCs de que “periferia é periferia em qualquer lugar”, essas fotos contribuem para humanizar personagens habitualmente marginalizados. “O preconceito está enraizado na nossa sociedade, infelizmente. Se a gente consegue plantar uma semente de questionamento, já é um caminho”, conclui. 

Serviço:
Meysa Medeiros (RN) no Festival Foto de Quebrada, de 12/05 a 14/06, em Brasília. 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte