Ministério aprova público na Série A

Publicação: 2020-09-23 00:00:00
Se depender do aval do Ministério da Saúde, o primeiro grande objetivo do América na Série D do Brasileiro está mais próximo de ocorrer. O clube que vem trabalhando nos bastidores buscando a volta do público aos estádios no RN, depois do apoio do deputado coronel Azevedo, que protocolou solicitação neste sentido na Assembleia Legislativa, agora recebeu o aval ministerial, aprovando a proposta de plano sanitário apresentada pela CBF, na semana passada, com a mesma finalidade do clube potiguar. A parte que choca as duas propostas, é que o projeto apresentado em Brasília, visa liberar a presença das torcidas apenas em jogos da Série A.

Créditos: BenficaO América corre o risco de conseguir a liberação das autoridades locais e ser impedido de ter público na Arena das Dunas pela CBFO América corre o risco de conseguir a liberação das autoridades locais e ser impedido de ter público na Arena das Dunas pela CBF

Tanto a proposta trabalhada no RN quanto a enviada ao Mistério da Saúde, o objetivo é liberar a presença de até 30% da capacidade de público nas praças esportivas, mas esse possível retorno das torcidas ainda está sem data definida. No Rio de Janeiro, que vem se mostrando na vanguarda das ações do futebol, após a paralisação registrada devido pandemia de Covid-19, o debate está mais adiantado, mas, ainda assim, para prosseguir com o plano, será necessário os dirigentes da CBF recebam a permissão das autoridades sanitárias de Estados e Prefeituras. A informação foi revelada pelo jornal O Globo e confirmada pelo Estadão.

Nas últimas semanas a CBF havia elaborado um rascunho da proposta com informações preliminares. O conteúdo trazia principalmente a limitação para somente a torcida mandante frequentar os estádios e não contemplar as Séries B, C e D do Nacional, medida que joga por terra o princípio de isonomia no futebol e poderá acarretar uma série de ações na justiça.  

Então, o plano da entidade esportivas é, nas próximas semanas, aprofundar a discussão com os clubes para se ter um protocolo mais rígido de conduta e de cuidados com o distanciamento social. 

Alguns clubes incentivam o retorno da torcida principalmente para amenizar problemas com bilheteria. Como os jogos têm sido realizados com portões fechados desde o início da competição, as equipes têm acumulado prejuízos com os custos operacionais das partidas. A CBF avalia uma forma de em todos os Estados ser possível ao mesmo tempo retomar a presença de torcida, para não gerar o desequilíbrio competitivo de um time ter público em casa e o outro, não. 

Essa questão é que vem fazendo a CBF impedir franquear a abertura para todas as séries do futebol local. De acordo com o presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), José Vanildo, aquilo que em primeira vista poderia ser encarado como um ferimento ao princípio de isonomia dentro do futebol nacional, na verdade não passa de um zelo da Confederação de Futebol. 

“A medida vai atender inicialmente os clubes da Série A, justamente porque os clubes da primeira divisão possuem estádios e arena com capacidade para atender as medidas de segurança exigidas pelas autoridades. Como vão fazer isso numa Série D, em Natal os clubes podem jogar na Arena das Dunas um estádio classe A, mas quando saem, os clubes potiguares são obrigados a atuar em praças esportivas que não oferecem a menor condição de segurança para o torcedor, nas questões relativas a Covid-19”, afirmou José Vanildo.  

O vice-presidente do América, Ricardo Valério, que participou da formalização do plano de biossegurança desenvolvido pela Arena das Dunas, disse que a praça esportiva potiguar tem condições de oferecer toda segurança exigida aos torcedores, mas frente a bandeira da isonomia erguida pela CBF, que não deseja favorecer uns clubes de mesma séries em detrimento de outros, é mais provável que a liberação da arena ocorra apenas para as competições de âmbito local. Os jogos da segunda divisão do Campeonato Potiguar, inclusive, poderiam servir como laboratório das medidas que serão adotadas na Arena das Dunas.  

Os últimos jogos com a presença de público no Brasil foram em março, ainda antes da paralisação pela pandemia do novo coronavírus, os campeonatos nacionais recomeçaram em agosto, sem público. Como o Estadão revelou no último mês, a postura no Brasil era de cautela quanto à definição de prazo para liberar a torcida, porém nos bastidores sempre houve uma pressão de alguns clubes para se ter o assunto em pauta.