Ministros discutem segurança jurídica

Publicação: 2021-01-14 00:00:00
colunanotas@tribunadonorte.com.br

O ministro Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli, o vice-presidente e corregedor do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e o ministro das Comunicações, Fábio Faria, vão debater o tema "Segurança Jurídica na Retomada do Desenvolvimento Econômico", em seminário que o SISTEMA TRIBUNA DE COMUNICAÇÃO promove amanhã, a partir das 10h, em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomercio/RN). O encontro será de maneira híbrida, presencial e online, com transmitido ao vivo no Portal da Tribuna do Norte e na rádio Jovem Pan News Natal. A edição presencial será no auditório do Hotel Barreira Roxa, na Via Costeira. A virtual se dará também das redes sociais do SISTEMA TRIBUNA (veja anúncio com QR Code, na página 5 desta edição).

Desafios da retomada 
A ideia do debate com os três ministros sobre "Segurança Jurídica na Retomada do Desenvolvimento Econômico” é apresentar perspectiva sobre esse cenário desafiador que o ano oferece e promover - por meio da informação e do debate - uma ação de incentivo à economia. Na edição de domingo (17), do jornal TRIBUNA DO NORTE, será publicada uma cobertura especial do evento. As palestras ficarão disponíveis no Portal da TN (www.tribunadonorte.com.br).

Justiça Eleitoral 
A juíza Érika Paiva vai integrar o Tribunal Regional Eleitoral, em substituição ao juiz Ricardo Tinoco. Ele encerra o biênio como membro titular. Já Ticiana Nobre foi escolhida juíza substituta. 

Formação de alianças 
A definição de alianças para a disputa pela presidência do Senado avançou após o lançamento da candidatura de Simone Tebet (MS) pelo MDB. O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), candidato do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ganhou o apoio do Progressistas, com sete senadores. Partidos que negociavam com Simone, por sua vez, frustraram a expectativa da candidata de alcançar Pacheco na largada. Em campanha há algumas semanas, o concorrente do DEM reuniu até aqui 38 senadores. A adesão do Progressistas, mesmo partido do deputado Arthur Lira (AL), que disputa a presidência da Câmara, consolida a aproximação do presidente Jair Bolsonaro com o candidato de Alcolumbre. O presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI), justificou o apoio, classificando Pacheco como um "nome reformista", que terá "atuação decisiva" para a recuperação da economia em meio à crise provocada pela covid-19.

PSDB dividido 
O PSDB, que tem sete senadores, se dividiu sobre quem apoiar na disputa e liberou a bancada para cada um votar como quiser, após conversas com a senadora e uma reunião interna. No PSDB, Simone atraiu apoio de três colegas: Tasso Jereissati (CE), José Serra (SP) e Mara Gabrilli (SP). Os outros quatro - Roberto Rocha (MA), Plínio Valério (AM), Rodrigo Cunha (AL) e Izalci Lucas (DF) - vão para o candidato do DEM. Segundo Izalci, líder em exercício do PSDB, questões regionais barram uma aliança com o MDB. Os quatro favoráveis a Pacheco têm divergências com a sigla em seus Estados ou maior proximidade com o Palácio do Planalto. Além disso, o tucano não enxerga viabilidade em Simone. "Dificilmente ela terá um número suficiente. Se o próprio MDB tem senadores que não votam nela, imagine nos outros partidos?", provocou Izalci, em referência a traições no próprio MDB.

Competitividade - Dois dias após a Ford decretar o fim da produção no Brasil, a Anfavea, entidade que representa as montadoras no País, cobrou medidas que melhorem a competitividade do setor e rebateu, embora sem citar nome, o presidente Jair Bolsonaro, que atribuiu o anúncio da multinacional americana à retirada de subsídios. "Em nenhum momento falamos de subsídio. Todas as nossas propostas visam à redução do custo-país. Não queremos subsídios, queremos competitividade", afirmou, durante entrevista a um grupo pequeno de jornalistas, o presidente da entidade, Luiz Carlos Moraes. 

Carnaval cancelado - A Prefeitura de Apodi anunciou o cancelamento do carnaval no município. A medida é para evitar o aumento das transmissão do coronavírus na cidade.