Moquecas temperadas com pura brasilidade

Publicação: 2017-09-01 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A moqueca não é apenas um dos pratos mais apreciados do Brasil. É também brasilidade pura em sua formação. Uma combinação de técnicas e temperos indígenas, africanos e europeus, essa iguaria é apontada por top chefs ibero-americanos como um dos pratos brasileiros de grande potencial gastronômico no exterior. Sorte nossa. Em Natal, as moquecas – e sua variação, a peixada – têm presença marcante em vários restaurantes, e também variam conforme a procedência ou gosto do chef. Mas nem importa tanto se a moqueca sai ao estilo capixaba ou baiano. O paladar agradece em todo os casos.

Tradição capixaba
O nome agora é Muqueca's, mas o local continua oferecendo o cardápio mais sortido da cidade quando o assunto é o caldo bem temperado com frutos do mar. A antiga Moqueca Capixaba tem 26 anos de tradição e se mantém como point de Areia Preta obrigatório para quem aprecia essa iguaria feita ao melhor estilo do Espírito Santo – e com as panelas de barro legítimas, vindas de lá. O material mantém a temperatura, distribui o calor, e aquece por igual. Vai direto do fogão para a mesa.

No Muqueca’s, a capixaba não leva dendê

A proprietária Puebla Ormy ressalta que a casa nunca se rendeu ao tempero baiano. “Aqui moqueca nunca levou azeite de dendê e leite de coco. Só tomate, coentro, cebola e azeite de oliva. E nossa clientela gosta assim”, ressalta. A casa adota e sempre repete a tradicional provocação bairrista/gastronômica: “moqueca, só a capixaba. O resto é peixada”.

A ausência de baianidade não significa ausência de diversidade no Muqueca's. Pelo contrário: há nada menos que 43 moquecas no cardápio. “E que ainda pode aumentar conforme o gosto do cliente. Fazemos todas as variações possíveis, já que tudo é produzido na hora”, afirma Puebla. Todas acompanham pirão e arroz – com algumas poucas variações conforme a receita.

A receita base com o caldo e vegetais é a mesma, o que varia são os frutos do mar. A moqueca mais tradicional leva peixe. Este, tem que ser de uma espécie que não desmanche perante a alta temperatura da panela. Por isso são recomendados robalo, badejo, dourado, namorado e garoupa, peixes de cor clara e mais consistentes. O peixe deve ser fresco e cortado em postas.

Além do peixe, a variedade de combinações no menu do Muqueca's é imensa. Entram ostra com camarão, mexilhão com camarão, caranguejo com camarão, lagosta, ostra, sururu, siri, peixe com caranguejo, mexilhão com lagosta, peixe com polvo, e por aí vai.

Algumas receitas especiais permitem pequenas variações. A moqueca potiguar, criada no aniversário de 13 anos da casa, tem só camarão e vem com pirão  de queijo coalho, manteiga da terra, e é a única que leva leite de coco. A moqueca portuguesa vem com peixe frito, pimentão e ovo; e a moqueca Areia Preta vem simplesmente com “tudo” (camarão, peixe, ostra, sururu, marisco, polvo, lula, mexilhão, lagosta e caranguejo).  Os preços variam de 83 a 135 (completa) e 56 a 95 (individual). Há ainda as versões petiscos, “moquequinhas”, com mais caldo.

Pitada baiana
As moquecas do restaurante O Peixe, em Ponta Negra, saem ao estilo baiano, “mas com um toque potiguar”, garante o maître Sigismundo Nóbrega. “A gente usa o azeite de dendê, mas junto com o leite de coco, para dar uma suavizada. Não sai tão picante como a baiana”, afirma. Há duas variações, de peixe ou camarão, acompanhado de purê e arroz. O preço é R$93,80. Rende para até três pessoas. É servida em travessa de porcelana comum. “O natalense é o nosso maior público, apesar de os turistas também adorarem”, afirma.

O Yurú, restaurante do hotel Golden Tulip Ponta Negra, tem menu assinado pelo renomado chef Joca Pontes, que aprecia experimentações com a gastronomia brasileira. A moqueca da casa vem com pedaços de filé de dourado, camarões e banana da terra envolvidos em leite e água-de-coco, tomate, ervas frescas e pimentões grelhados. Acompanha farofa crocante e arroz branco. O prato serve bem até  duas pessoas e sai ao preço de R$97.

O restaurante Nau Frutos do Mar, em Cidade Jardim, faz releituras da moqueca baiana em seus pratos.  As iguarias saem nas versões camarão, peixe, camarão com peixe, e frutos do mar. Todas acompanham arroz branco, pirão e farofa. As moquecas são servidas em panelas de pedra.

A moqueca é um dos campeões de venda no restaurante Camarões Potiguar. A moqueca de peixe com camarão traz os filés refogados no azeite, verdura, leite de coco, dendê e coentro. Acompanha arroz, pirão de peixe e farofa de dendê. Já a moqueca de frutos do mar vem com peixe, camarão, lula e polvo. Os pratos são servidos em panelas de pedra sabão. O preço é de R$112, e serve bem até três pessoas. A proprietária Clara Bezerra ressalta que os pratos só estão disponíveis nos restaurantes de Ponta Negra.

A peixada é nossa

A peixada parece ser a “parente” menos badalada da moqueca, mas aqui em Natal, é um dos pratos mais tradicionais e queridos da cidade desde 1931. Foi a época em que a cozinheira Isaura Pereira da Silva, mais conhecida como Comadre, fez a sua iguaria embalar o paladar de gerações. É assim que a Peixada da Comadre se mantém há tanto tempo como um dos símbolos da gastronomia natalense, e uma das presenças marcantes na Praia dos Artistas.

O carro-chefe é o prato que dá nome à casa: a peixada da comadre, que é a garoupa cozida no tempero verde com batata, ovo, tomate, pimentão e cebola, acompanhando arroz e pirão. Tem uma saladinha como couvert e um caldo de entrada. Há também uma versão da peixada com molho de camarão. O prato serve duas pessoas e custa R$86. Segundo Davi Barros, neto da Comadre, a clientela mais forte vem no horário do almoço no fim de semana. A casa também é famosa pelas confrarias dos clientes mais antigos. Algumas têm 30 anos.

Apesar da peixada ser o prato principal, o restaurante trabalha outras iguarias como o Davi Bento (homenagem ao marido da Comadre), um peixe frito ou grelhado com camarão por cima e salada, o omelete de camarão (outro prato que sai bem), e o camarão na manteiga ou alho e óleo. A casa funciona de quarta à segunda-feira para alomoço e jantar.

Serviço:
Muqueca's. Via Costeira, praia de Areia Preta. Tel.: 3202-9673
O Peixe. Av. Eng. Roberto Freire, 3872, Ponta Negra. Tel.: 3219-3776
Camarões Potiguar. Rua Pedro Fonseca Filho, 8887, Ponta Negra. Tel.: 3209-2425
Peixada da Comadre. Ponta do Morcego, Praia dos Artistas. Tel.: 3202-3411 
Yurú, no Golden Tulip Ponta Negra. Tel.: 3646-0100
Nau Restaurante. Cidade Jardim, Tel: 3026-6333

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários