Morre empresário Nevaldo Rocha, fundador do grupo Guararapes-Riachuelo

Publicação: 2020-06-17 23:20:00
A+ A-
O empresário Nevaldo Rocha, fundador do grupo Guararapes-Riachuelo, morreu na noite de ontem (17) em Natal, aos 91 anos. Ele estava em casa quando passou mal. Nevaldo Rocha era considerado um exemplo de empreendedorismo para o Rio Grande do Norte e o país. 
Créditos: Adriano AbreuNevaldo Rocha construiu patrimônio reconhecido no BrasilNevaldo Rocha construiu patrimônio reconhecido no Brasil


Nascido em Caraúbas, distante 296 quilômetros de Natal, ele abriu junto com o irmão Newton Rocha sua primeira loja no final da década de 1940. Em 1979 o grupo Guararapes comprou a Riachuelo, expandindo a marca para todo o país.  Hoje, o grupo integra uma das maiores redes de varejo do Brasil, com mais de 300 lojas no território nacional, 40 mil funcionários, o shopping Midway Mall e um parque fabril que supera os demais da América Latina.

Em 2014, foi considerado a 30º pessoa mais rica do Brasil, com fortuna avaliada em R$ 5,36 bilhões, de acordo com a revista Forbes. Ele deixa três filhos, incluindo o empresário Flávio Rocha, Lisiane Rocha e Élvio Rocha.

Flávio Rocha estava ontem à noite em Brasília, quando recebeu a notícia do falecimento. Foi para São Paulo, onde iria se encontrar com a esposa e, em seguida, vir para Natal. 

O sepultamento de Nevaldo Rocha, provavelmente, será em São Paulo, onde está o jazigo da esposa, Eliete Gurgel. A decisão deverá ser tomada e confirmada pela família hoje. 

Diretor executivo industrial da Guararapes, Jairo Amorim disse ontem à noite que Nevaldo Rocha estava bem até ontem à noite, momentos antes de ir descansar. Logo depois, se sentiu mal e não resistiu. O empresário morava em um condomínio na avenida Getúlio Vargas, em Petrópolis. 

Políticos e autoridades lamentam morte do empresário

Ainda na noite de quarta-feira, autoridades e lideranças políticas lamentarem a perda para o Rio Grande do Norte e destacaram o papel dele para a atividade empresarial do Estado e do país.

“Foi com grande pesar que recebi a notícia do falecimento do empresário Nevaldo Rocha, um potiguar com uma imensa visão empreendedora. Neste momento, manifestamos nossa solidariedade a seus parentes e amigos”, afirmou a governadora Fátima Bezerra.

O presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza, divulgou uma nota na qual destaca que o Rio Grande do Norte lamenta a perda de um dos seus ícones da história do Estado, o empresário e potiguar Nevaldo Rocha. “Visionário, nascido na cidade de Caraúbas no Oeste Potiguar, Nevaldo fez história na indústria têxtil inicialmente com o Grupo Guararapes e após expansão, com a Riachuelo. As  empresas marcaram época na produção de vestuário abastecendo o mercado de fardamentos, moda e departamento em todo o Brasil e América Latina”, disse o presidente da Assembleia. 

“Durante toda sua vida, Nevaldo se destacou por ter personalidade simples. Um empreendedor, homem de valores e gestos que renderam a ele, títulos importantes, incluindo a medalha de Mérito Legislativo José Augusto concedida pela Assembleia Legislativa do RN, em 2010. Nevaldo foi um entusiasta do desenvolvimento econômico, social e cultural, prova disso é a construção em 2005 do maior shopping do Rio Grande do Norte, o Midway Mall, movimentando a economia do Estado, além de manter os milhares de empregos de suas fábricas de segmento de confecções.”, ressaltou, ao afirmar que a Assembleia Legislativa - em nome dos 24 deputados estaduais,  se solidariza com os familiares, amigos e funcionários que tiveram a honra do trabalho e vida compartilhada com Nevaldo Rocha.
  
“Recebo com muita tristeza a notícia do falecimento do empreendedor potiguar Nevaldo Rocha, o fundador da Riachuelo. Além de um grande empresário, Nevaldo era um grande ser humano. Empregou milhares de pessoas e contribuiu diretamente com o desenvolvimento de Natal e do Rio Grande do Norte. Será sempre lembrado e deixará o seu exemplo de vida como legado para muitas e muitas gerações. Meus sentimentos e minha solidariedade aos amigos e familiares”, afirmou o prefeito de Natal, Álvaro Dias.

O ex-senador e ex-governador Garibaldi Filho disse que “Nevaldo Rocha foi um empresário que influenciou várias gerações pela sua visão de futuro e o Grupo Guararapes, com o seu comando, sempre manteve a liderança a criação de empregos pela visão empreendedora que teve ao longo de sua trajetória”. “Foi um menino pobre que a partir de Caraúbas  iniciou uma atividade empresarial que é um exemplo. É importante que tenha um filho, Flávio Rocha, que é um continuar desta obra de empreendedorismo”, acrescentou.

O ex-deputado Henrique Alves exaltou o “olhar social” do empresário Nevaldo Rocha, que faleceu nesta quarta-feira (17). Alves lamentou a perda para os familiares e para o Rio Grande do Norte. “RN menor hoje. Muito. Perde seu grande filho, empresário Nevaldo Rocha. Visão única do desenvolvimento com olhar social porque uma extraordinária figura humana. Fez tanto. Fez tudo pelo nosso RN, num tempo de coragem e ousadia tão raras. A Flávio, Elvio e Lisiane, meus sentimentos”, disse Henrique Alves

Senadores prestam homenagem a Nevaldo Rocha

Os senadores Jean Paul Prates (PT), Styvenson Valentim e Zenaide Maia reconheceram a importância do empresário para o Rio Grande do Norte e lamentaram a sua morte. “Em nome do Senado, do nosso mandato pelo RN e em meu nome, envio nossos sentimentos de pesar à família, amigos e colaboradores/as do empreendedor Nevaldo Rocha, potiguar caraubense, fundador do Grupo Guararapes e das Lojas Riachuelo, realizador competente e conciliador”, disse Prates através do Twitter.

Styvenson falou sobre como a noticia tornara a quarta-feira (16) um dia mais triste para os potiguares. “E o dia termina com a lamentável  partida do empresário potiguar Nevaldo Rocha, fundador da Riachuelo. Meus sentimentos à família”, fala.

A senadora Zenaide Maia (Pros) declarou que "recebeu com muita tristeza a notícia da morte do empresário potiguar, Nevaldo Rocha. Este grande homem dedicou sua vida na construção de empreendimentos que transformaram o comércio do nosso estado e do nosso país". Zenaide Maia acrescentou que a ação desenvolvida por Nevaldo Rocha "permitiu a geração de emprego e renda para inúmeros trabalhadores. Nevaldo deixará um legado imensurável na história. Minhas condolências aos familiares".

Tudo começou com a loja "A Capital", em Natal, na década de 1940

Nascido no dia 21 de julho de 1928, na cidade de Caraúbas (RN), Nevaldo teve uma infância pobre no sertão nordestino. Sua vida só começou a mudar aos 12 anos, quando partiu para Natal em busca de trabalho. Na capital do Estado, ele conseguiu emprego como vendedor em uma relojoaria. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele enxergou uma oportunidade de ganhar dinheiro na Base de Parnamirim, que tinha um fluxo intenso de militares brasileiros e americanos. A venda de relógios no local foi tão bem-sucedida que Nevaldo juntou capital suficiente para comprar o estabelecimento onde trabalhava.

Em 1947, o empreendedor abriu a loja de roupas “A Capital” ao lado do irmão, Newton Rocha. O sucesso do empreendimento fez a empresa se expandir no mercado têxtil, com a abertura de novas unidades e a construção de uma pequena confecção na cidade de Recife, em 1951. Cinco anos depois, a família fundou o Grupo Guararapes – holding que controla os negócios do clã até hoje.
No entanto, o grande passo para o crescimento da empresa foi dado em 1979, quando o grupo comprou as redes Riachuelo e Wolens, entrando de vez no varejo têxtil. 

A expansão da marca Riachuelo transformou a companhia em uma das maiores empresas de moda do Brasil. Só em 2018, o conglomerado fundado por Nevaldo faturou R$ 7,2 bilhões. Os números da operação renderam frutos para a família Rocha, que aparece na lista de bilionários da revista Forbes em 2019, com fortuna estimada em US$ 2,2 bilhões (R$ 8,75 bilhões).

Em uma declaração rara, Nevaldo revelou os “mandamentos” que guiaram sua trajetória empresarial: “Carrego comigo cinco palavras que acredito terem nos trazido até aqui: honestidade, simplicidade, foco, transparência e meritocracia.”

Ao comentar ter o nome incluído na revista Forbes, ele se mostrou surpreso. "É um verdadeiro prêmio. De tantos brasileiros, do Rio até Manaus, eu ser o mais destacado é uma satisfação muito grande. É um reconhecimento ao meu trabalho. E não é nem pelo fato do dinheiro; é pela posição", relatou em entrevista na época.

A história de sucesso do empresário potiguar Nevaldo Rocha, fundador do grupo Guararapes, foi destaque também no portal Money Report na 'Galeria de Notáveis – Líderes que inspiram', em 2016. A reportagem, assinada por Pedro Hallack, traçou o histórico de um dos empresários mais bem-sucedidos do país.

A publicação apontou que o “pai do empresário Flávio Rocha, conhecido pela defesa da agenda liberal no Brasil, Nevaldo Rocha sempre foi avesso a entrevistas. Uma breve pesquisa pelas páginas do Google e acervos dos principais veículos nacionais mostra a dificuldade em achar declarações públicas do empresário. No entanto, essa discrição contrasta com sua trajetória como empreendedor, marcada por ousadia e superação.

Texto atualizado às 1h21