Morre o veterano ator de Woody Allen e Spike Lee

Publicação: 2019-12-14 00:00:00
A+ A-
Luiz Carlos Merten
AE

Pai, avô, marido, ator e músico. O anúncio da família dando conta da morte de Danny Aiello, na noite de quinta, num hospital de New Jersey, destacava as múltiplas facetas de Daniel Louis Aiello Jr. Ele nasceu em Nova York, em junho de 1933, numa família de imigrantes italianos. Desenvolveu extensa carreira no cinema e na televisão. Morreu em decorrência de um mal súbito. No comunicado, a família pediu respeito à sua privacidade, sem entrar em detalhes sobre as circunstância da morte nem sobre o funeral.

Aiello tinha 86 anos. Foi um sólido coadjuvante e chegou a ser indicado para o Oscar da categoria. Já era quarentão quando participou do primeiro filme, The Godmothers, de 1975. No ano seguinte já estava no elenco de O Poderoso Chefão Parte II, de Francis Ford Coppola, fazendo um mafioso. Dois anos depois, Martin Ritt chamou-o para um papel maior em Testa de Ferro por Acaso, seu ataque ao macarthismo, com Woody Allen, numa rara participação dramática, como roteirista que emprestava seu nome, servindo de fachada para escritores na lista negra da indústria

Trabalhou com Allen em Broadway Danny Rose, A Rosa Púrpura do Cairo, fazendo o marido da garçonete interpretada por Mia Farrow, e A Era do Rádio. Filmou também com Sergio Leone o épico de gângsteres Era Uma Vez na América. Em 1989, há exatamente 30 anos - já passara dos 50 -, algo aconteceu quando foi parar naquela pizzaria prestes a explodir sob o impacto de tensões raciais em Faça a Coisa Certa, de Spike Lee. Foi indicado para o Oscar. Outro de seus melhores papéis foi em Feitiço da Lua, de Norman Jewison, como o noivo prometido que a viúva Cher troca por seu irmão, Nicolas Cage.