Morte na passarela e reflexões da moda

Publicação: 2019-05-01 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Augusto Bezerril
Especial para o Viver

A SPFWN47 começou e caminhava, até o final da tarde de sábado, para um final feliz. A semana de moda paulistana expandia os horizontes sobre áreas de revitalização de São Paulo, cumpria uma trajetória natural de inserção de um casting novo e diverso e os estilistas, além de apresentarem suas coleções, lançaram reflexão sobre liberdade, censura, tortura e opressão.

O modelo Tales Cotta, caído na passarela, após ter um mal súbito segundo informações médicas, foi a imagem que marcou a SPFWN47
O modelo Tales Cotta, caído na passarela, após ter um mal súbito segundo informações médicas, foi a imagem que marcou a SPFWN47

O estilista mineiro Ronaldo Fraga emocionou, mais uma vez, ao retratar em desfile o quadro Guerra e Paz, de Cândido Portinari. Fraga leu um manifesto antes de começar o desfile e revelou em looks a resistência em favor das minorias. Um desfile poético e tocante. No sábado, Ronaldo voltou à SPFW como modelo da grife LED. O estilista usava usava um capacete com bandeiras nas cores do arco-íris em apoio à "Bicha Zangada", tema da coleção da marca mineira.

Mas a imagem mais reproduzida da semana de moda é, contudo, do modelo Tales Cotta, caído, na passarela após ter, segundo os médicos, um mal súbito. Mineiro, graduado em educação física, 26 anos, Tales tinha traços agêneros, cabelos descoloridos e traçava carreira internacional, como informou a agência BASE mgt. Ao cair aos olhos e lentes de quem assistia, Tales foi atendido por socorristas mas não resistiu.  Ironia da vida, a edição chamada Utopia foi tomada pela realidade.

Projeto
Enquanto as reflexões sobre o que o teria acontecido com o modelo corriam, a grife Ponto Firme tinha na trilha sonora mensagens sobre as condições dos detentos do sistema prisional brasileiro. O colorido e as tramas do crochê mostravam que o projeto de ressocialização de detentos floresce e, do ponto de vista moda, evoluiu. O produto da Ponto Firme está pronto para cumprir a missão de ser "vestido" e, assim, fazer com que os integrantes do projeto possam ter a esperança de dias mais felizes.

Os convidados do desfile Cavalera, que fechou o line up, receberam canetas fluorescentes para escrever sobre o chão da passarela. Antes do locutor pedir um minuto de silêncio em homenagem ao modelo Tales Cotta, os fashionistas se dedicaram a deixar registro sobre a passarela. Alguém escreveu: "Quem Sou na fila do pão? ". Ao som de rappers, os modelos apresentaram uma moda de rua - DNA da Cavalera.

Ao terminar o desfile, o som da rua repetia Tales Cotta. Nas redes sociais, nos blogs e jornais. Os últimos passos de Tales Cotta aparecem repetidas vezes na televisão. A morte de Tales - vista por mais variados ângulos - viraliza na internet. Começa-se uma discussão sobre a moda. A SPFWN47 abre - ironicamente desde antes -  uma discussão sobre a vida. Dias antes, Paulo Borges, em entrevista coletiva, dizia-se preocupado com o momento opressor e confessara ter a felicidade como utopia.










continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários