Morte

Publicação: 2019-08-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Itamar Ciríaco/ itamar@tribunadonorte.com.br

A morte de um torcedor do Botafogo/PB após o jogo do time de João Pessoa contra o Globo reascende o debate sobre a violência e o futebol. Em qualquer pesquisa realizada sobre os que deixaram de frequentar os estádios, o medo de atos violentos aparece sempre como o principal motivo para a troca da arquibancada pelo sofá. As brigas planejadas, as viagens para outros Estados com objetivos diferentes daquele que deveria ser o original: torcer, transformaram o ato de ir ver o seu clube numa aventura perigosa.

Morte 1
Até o começo dos anos 1990, violência nos estádios era notícia vinda da Europa, onde os hooligans aterrorizavam. No entanto, dois casos colocaram o Brasil de vez na rota da violência. Em 1992 a morte de um jovem de 13 anos em um jogo Corinthians x São Paulo. O torcedor foi atingido por uma bomba caseira lançada pela torcida do Tricolor. Em 1995 uma batalha que deixou 102 feridos em um jogo da Copa São Paulo entre o Tricolor paulista e o Palmeiras, no Pacaembu terminou com a morte, a pauladas, de um jovem de 16 anos.

Morte 2
No Rio Grande do Norte essas mortes também chegaram associadas a violência no futebol e atingiram até o esporte amador. O Governo do Estado teve que cancelar as aberturas de Jogos Escolares, temendo brigas. No livro Futebol e Violência, a professora da Unicamp Heloisa Helena Baldy dos Reis lista 21 ações sugeridas, nos anos 1980, pela União das Associações Europeias de Futebol (Uefa). Ela destaca: Proibição da venda de bebidas alcoólicas, policiamento ostensivo dentro e fora do estádio, incluindo agentes à paisana nas ruas e arquibancadas, revista rigorosa, restrição da circulação da plateia a setores específicos do estádio e instalação de câmeras que permitam a identificação de agressores. Além disso, a punição a clubes cujos torcedores se envolvessem em ações violentas ficou muito mais rigorosa. Algo precisa ser feito.

Situação
Há algumas semanas, venho escrevendo que a última rodada deverá definir um dos clubes potiguares como rebaixado para a Série D do Campeonato Brasileiro. Tudo se encaminha para que isso ocorra, num verdadeiro roteiro de filme de terror para os torcedores e para o futebol do Rio Grande do Norte, que pode ficar com apenas um clube na Série C. Pior que isso, caso o Treze não tropece, temos o risco de não ter mais nenhum potiguar na Terceira Divisão, o que seria lamentável para o nosso Estado.

Progresso
A transmissão de jogos via internet é um caminho sem volta. A Supercopa da UEFA colocará os ingleses, Liverpool e Chelsea, frente a frente em um confronto emocionante nesta quarta-feira, dia 14, a partir das 16h (horário de Brasília), com transmissão exclusiva no Facebook Watch. Os fãs do futebol europeu poderão acompanhar a disputa pelo título de Supercampeão da Europa pelas Páginas do UEFA Champions League e do Esporte Interativo. A cobertura terá início às 15h (horário de Brasília) com o correspondente Fred Caldeira, enviado especial à Turquia, levando todas as informações das equipes e da partida, que acontecerá no Vodafone Park, em Istambul. A bola começa a rolar às 16h, com narração de Jorge Iggor e comentários de Vitor Sergio Rodrigues e Ale Oliveira.

Progresso 1
Além da Internet, as mulheres ganham cada vez mais espaço no futebol. pela primeira vez uma mulher será responsável pela arbitragem de um jogo marculino de uma competição  da UEFA. A francesa Stéphanie Frappart, árbitra da final da Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019, apitará o confronto.  Além de acompanhar com exclusividade a partida, os torcedores poderão interagir com a transmissão, comentando, respondendo enquetes sobre a partida em tempo real, e criar sua própria Watch Party - um lugar para reunir amigos e torcedores e assistir ao jogo no Facebook juntos.

Ceni
O técnico Rogério Ceni foi criticado por trocar o Fortaleza pelo Cruzeiro no meio da temporada. Segundo os críticos, Ceni teria feito, ao tomar a atitude, o mesmo que ele sempre condenou em seus discursos. A missão do supercampeão com o Tricolor cearense não será fácil. O time mineiro tem uma grande estrutura, jogadores de renome, mas vive uma crise institucional grande, com os dirigentes figurando constantemente nas páginas policiais. É um grande teste para a proclamada eficiência do ex-camisa 01 do São Paulo. Zé Ricardo assumiu o Fortaleza.

“Só meu”
O Barcelona partiu com tudo para cima de Neymar. O clube quer que o jogador dê entrevistas dizendo que, na Espanha, só vestiria a camisa do clube catalão. Do contrário, o clube poderá deixar a briga para tê-lo nessa temporada. O problema é que, com o silêncio do atacante brasileiro, o Real Madrid, rival do Barça, passou a investir alto em uma proposta que envolveria milhões e mais o meia Modric, atual melhor do mundo na eleição da FIFA. No fim de semana, Neymar não estreiou no Campeonato Francês, pelo PSG, Nas arquibancadas, em Paris, faixas criticaram o jogador. Algumas, inclusive citavam a acusação de estupro que o ele enfrentou recentemente. Outras traziam ofensas ao atleta, com palavrões.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários