Motoboys e taxistas terão crédito

Publicação: 2009-11-28 00:00:00
O Banco do Brasil começou a contratar ontem operações na linha de crédito FAT Taxista, que vai financiar a aquisição de veículos novos de passageiros ou de uso misto, de fabricação nacional, para profissionais dessa categoria. Os veículos com direito a financiamento devem ser  equipados com motor de cilindrada não superior a dois mil centímetros cúbicos (2.0). Os recursos de até R$ 200 milhões são do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e podem ser tomados por pessoas físicas correntistas do BB, titulares de autorização, permissão ou concessão do poder público para o exercício da atividade de taxista.

Segundo a Fencavir, há aproximadamente 300 mil táxis no BrasilA taxa de juros da linha FAT Taxista é de TJLP + 4% ao ano (equivalentes a 0,84% mensais no atual patamar da TJLP). A linha permite o financiamento de até 90% do valor dos itens financiáveis (veículo e seguro inicial do veículo), observado o teto de R$ 60 mil. O prazo máximo da operação é de 60 meses, incluídos três meses de carência. A operação é individual e limitada a um veículo por CPF. A proposta de financiamento pode ser realizada em qualquer agência do Banco do Brasil, sujeita à aprovação cadastral.

 De acordo com dados da Federação Nacional de Condutores Autônomos de Veículos (Fencavir), a estimativa é de que existam cerca de 300 mil veículos da categoria táxi e 900 mil taxistas em todo o país. A linha FAT Taxista permite que esses condutores obtenham recursos compatíveis com a projeção de receitas geradas pelo bem financiado.

Motos

A Caixa Econômica Federal (CEF) também lançou uma linha de financiamento, desta vez  para a compra de motocicletas por profissionais registrados que trabalhem com transporte remunerado de mercadorias e documentos. Essa linha terá R$ 100 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador.

A modalidade de crédito para motoboys, anunciada ontem pelo ministro do Trabalho, Carlos Lupi, e pelo vice-presidente de Pessoa Física da CEF, Fábio Lenza, permitirá que o trabalhador compre motocicletas novas, de fabricação nacional, de até 150 cilindradas e limite de preço de R$ 8 mil.

O empréstimo, de acordo com a CEF, será limitado a 80% do valor da motocicleta, corrigidos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 12% ao ano para financiamento de 36 meses e TJLP mais 18% ao ano no caso de financiamento com prazo de 37 a 48 meses.

As operações serão contratadas até 30/06/2010 ou enquanto houver recursos disponíveis. As motocicletas devem apresentar itens de segurança regulamentados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), como freio a disco, baú com reflexivo, colete e capacete. Também será obrigatória a contratação do seguro do bem. O profissional deve estar regulamentado para o exercício da profissão.