Natal
Motoristas de ônibus entram em greve de novo após fracasso em negociações
Publicado: 00:00:00 - 27/01/2022 Atualizado: 23:04:27 - 27/01/2022
A greve dos trabalhadores rodoviários de Natal será retomada nesta quinta-feira (27). A categoria não entrou em acordo com empresários do setor após audiência realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT/RN) nesta quarta. "Fica difícil aceitar a proposta, não houve acordo", afirmou o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do RN (Sintro/RN), Arnaldo Dias.

Divulgação
Transporte público terá novamente greve nesta quinta-feira. Na semana passada, sistema chegou a rodar com apenas 30% da frota de ônibus

Transporte público terá novamente greve nesta quinta-feira. Na semana passada, sistema chegou a rodar com apenas 30% da frota de ônibus


O principal ponto de divergência entre as partes estava na negociação da data-base de 2022/2023. Os empresários foram inflexíveis e atual negociação teria validade só até abril de 2022. "Na prática, iríamos negociar com validade só até abril ao invés de negociar só o reajuste (valor que ficaria pendente), teríamos que negociar tudo de novo", afirmou Arnaldo. 

Além de representantes de empresários e rodoviários, a audiência teve a participação do Ministério Público do Trabalho (MPT). Dentro do que foi proposto, o Sindicato das Empresas de Ônibus (Seturn) aprovou apenas o reajuste do vale-alimentação e o pagamento integral dos vencimentos dos trabalhadores pelos dias de greve.

Os rodoviários tinham entrado em greve e suspenderam o movimento grevista no último dia 21. Na ocasião, os trabalhadores decidiram suspender o movimento após o compromisso dos empresários pagarem 100% do valor do vale-alimentação que era praticado antes da pandemia da covid-19. A expectativa da categoria é que a frota tenha baixas na quantidade de veículos em operação desde as primeiras horas desta quinta.

Histórico

No último dia 21, a maioria dos trabalhadores da categoria decidiu em assembleia que suspenderia a paralisação mediante o compromisso dos empresários pagarem um reajuste de 75% no vale-alimentação. O retorno da totalidade da frota às ruas deve aconteceu na última segunda-feira.

A volta dos motoristas ao trabalho só foi possível após nova rodada de negociação que discutiu a proposta apresentada aos trabalhadores pelo vice presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN), desembargador Eridson João Fernandes Medeiros para o pagamento de 75% do vale alimentação. Os rodoviários estavam recebendo R$ 180 com esse benefício e incluíram essa reivindicação na pauta da greve para que dobrasse o valor.

Contudo, eles entraram em consenso para os empresários do setor e conseguiram que passasse a ser pago mais 75% em cima do que recebem atualmente. Com isso, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn) informou que passaria a pagar R$ 315, valor que era concedido antes da pandemia da covid-19 e que foi reduzido para R$ 180 com a crise sanitária.

Também havia ficado acordado que os dias de paralisação serão abonados e os grevistas não serão penalizados. O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Rio Grande do Norte (Sintro/RN), informou que todas as cláusulas da  convenção coletiva haviam sido mantidas até o final de abril de 2023.

Naquela data, contudo, o problema ainda não havia acabado. O reajuste salarial, uma das principais pautas do movimento, não tinha sido motivo de consenso. Atualmente, o piso remuneratório dos motoristas corresponde a R$ 2.110,38. Por ora, os empresários das empresas de ônibus que operam na capital afirmam que não têm condições de conceder o reajuste, da mesma forma que não haviam chegado ao consenso para dobrar em 100% o pagamento do vale-alimentação, que corresponderia a R$ 360.

Por essa razão, desde o último dia 12, os rodoviários tinham iniciado uma paralisação, deixando somente 30% da frota circulando por tempo indeterminado e atingindo todas as linhas que circulam em Natal.

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) autorizou os permissionários do transporte opcional e dos veículos do serviço de transporte escolar, táxis, de transporte da Região Metropolitana e de turismo, registrados pelo Departamento de Estradas de Rodagens (DER), a operação no mesmo itinerário das linhas de ônibus enquanto a greve durasse. Na quinta-feira (20), o desembargador Eridson João Fernandes Medeiros determinou que o Sintro garantisse um efetivo mínimo de 50% do transporte público urbano nas ruas.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte