Cookie Consent
Natal
Motoristas reclamam de buracos nas ruas de Natal
Publicado: 00:01:00 - 11/05/2022 Atualizado: 20:57:21 - 10/05/2022
As recentes chuvas em Natal não dão trégua aos motoristas e moradores da capital potiguar. Buracos antigos continuam aumentando, enquanto novos surgem. Os resultados são veículos danificados, lixo ao redor e mau cheiro em buracos nos quais há acúmulo de água. Para resolver isso, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) afirma que realiza trabalhos de recuperação em todas as zonas da cidade para a melhoria da malha viária.

Alex Régis
Secretaria de Infraestrutura tem atendido principalmente casos mais graves de buracos

Secretaria de Infraestrutura tem atendido principalmente casos mais graves de buracos


Segundo o secretário da Seinfra, Carlson Gomes, a prioridade para recuperação está nos pontos críticos. Entretanto, não soube informar quais localidades seriam essas, indisponíveis para o trânsito. “Basicamente é impossível aferir, porque todo dia abre buraco”, diz. Gomes também informou que “todas as demandas que chegam de casos intransitáveis a secretaria dá prioridade”.

Segundo Gomes, o valor destinado para os serviços urbanos, que incluem a recuperação da malha viária, é de R$ 20 milhões. Desse valor, “muito pouco” foi utilizado, de acordo com o secretário, “devido a problemas no orçamento da Secretaria”. “Estamos trabalhando nos casos mais graves, enquanto se regularizam os processos licitatórios”, disse o gestor.

Nesta segunda-feira (9), a reportagem questionou a Seinfra qual seria o valor exato utilizado para as obras até o momento, e quais seriam os processos licitatórios que impedem o pleno recapeamento asfáltico. O secretário Carlson Gomes atendeu a ligação da reportagem, mas alegou que estava em reunião. O gestor enviou o contato da assessoria da pasta, que não tinha as informações e aguardava a resposta do secretário.

Nesta terça-feira (10), a reportagem falou novamente com a assessoria, que continuava sem os dados. Tentamos ainda ligar para o secretário Carlos Gomes e a assessoria da Seinfra nesta tarde. Até o fechamento desta matéria, não houve retorno. O espaço segue aberto para informações.

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE transitou por alguns locais da capital natalense e constatou os diversos buracos nas ruas e avenidas. De acordo com os moradores das proximidades, em período de chuva os problemas se agravam. Na avenida industrial João Francisco da Mota, no bairro Bom Pastor, zona Oeste de Natal, os trechos com buracos e sem asfalto se alastram. Em um dos pontos, também há acúmulo de lixo e entulho. Os carros precisam fazer desvio em plena via para não prejudicar os próprios veículos.

O mecânico Sânio Cesário foi uma das vítimas do Km-6, como também é conhecida a avenida do Bom Pastor. Ele disse que os buracos na região “acabam com o carro”. Há um mês, o pneu do veículo estourou no local. O mecânico relaciona o incidente aos problemas na avenida. Cesário disse também que já viu a Prefeitura começar obras de reparação que não foram concluídas.

Ainda na avenida industrial João Francisco da Mota, Janot Araújo trabalha num comércio de mármore e acompanha os problemas do Bom Pastor com frequência. “Suspensão do carro aqui vive com problema, porque nós somos obrigados a fazer esse retorno na rua, então tem dia que está pior. Quando chove, fica uma buraqueira imensa. Vários acidentes já aconteceram e é um transtorno muito grande para nós”, reclama.

Já na rua Floriano Peixoto, na saída do bairro de Felipe Camarão para o Planalto, o transtorno parece ser pior. Lá, um buraco com poça d’água denuncia as chuvas recentes. Numa rua estreita, o buraco toma um dos lados, deixando apenas uma faixa livre para os veículos. A poça favorece ainda o esgoto e o mau cheiro.

No bairro Cidade Nova, também na zona Oeste de Natal, mais uma poça. Na rua Solange Nunes do Nascimento com o cruzamento da rua Bela Vista — próximo à Paróquia de São José — Edmilson dos Santos possui uma funilaria próxima e acompanha aquele buraco, segundo ele, há décadas. “Em período de chuva é pior. Já fizeram serviço várias vezes mas volta a acontecer”, diz ele.

E se o transtorno é percebido pelos moradores dos bairros, outros natalenses também enfrentam a situação. Francisco de Souza Neto é motorista de aplicativo e diz que, no período em que dirige a trabalho, não havia se deparado com uma situação como a atual. “Faz dois anos que estou trabalhando com aplicativo e nunca vi tanto buraco como estou vendo agora. E eles tapam o buraco, mas com dois, três meses já abre de novo. É uma manutenção mal feita", denuncia.

Assim como Cesário, Neto já furou um pneu transitando nas ruas de Natal. Ele diz ainda que colocou um amortecedor no carro, e com seis meses já precisou trocar novamente, devido ao desgaste. “Como chove, a gente não vê os buracos. Tudo isso é custo que a gente pega por conta de buraco", afirma. Ao dirigir pelo Bom Pastor nas corridas que aceita, confirma o constatado pelos outros motoristas: “No km-6, praticamente toda via é um buraco. Faz anos, e cada vez está piorando mais”.

Ainda na zona Oeste, a TRIBUNA DO NORTE registrou também um buraco no bairro das Quintas, na rotatória que liga a rua Mário Negócio à avenida Felizardo Moura. Transitando principalmente pela zona Norte da capital, o motorista diz que por lá os buracos são comuns, como na Avenida das Fronteiras e na Avenida Moema Tinoco. “Toda avenida tem”, desabafa. 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte