MP investiga uso eleitoral de operação

Publicação: 2018-09-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O promotor Wendell Beetoven Ribeiro Agra, titular do Controle Externo da Atividade Policial e Tutela do Sistema Penitenciário do MPRN, remeteu à Procuradora Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, Cibele Benevides, a portaria instaurada nessa quinta-feira para apurar em caráter preliminar se a “Operação Natal Segura”, lançada pela Secretaria Estadual de Segurança Pública, tem eventual viés político-eleitoral.

PM realiza barreira policial na avenida Omar O´Grady, prolongamento da Prudente de Morais. Total de barreiras não foi divulgado
PM realiza barreira policial na avenida Omar O´Grady, prolongamento da Prudente de Morais. Total de barreiras não foi divulgado

O ato de envio do procedimento à Procuradoria Regional Eleitoral ocorre porque “o chefe do Poder Executivo estadual é candidato à reeleição ao Governo e que esta operação pode estar sendo explorada sob o viés político-eleitoral, o que pode comprometer a finalidade no emprego dos efetivos aparatos policiais", justifica o promotor em portaria assinada ontem. A Operação Natal Segura foi iniciada na manhã de ontem, mas anunciada previamente pela secretária titular da Sesed, Sheila Freitas e a secretária-chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha na manhã da quinta-feira.

Wendell Beetoven aguarda informações demandadas à Secretaria Estadual de Segurança Pública através da portaria editada na quinta-feira, horas depois do anúncio oficial por parte da Sesed. “Causa estranheza, pois não é o tipo de ação que, previamente anunciada, tenha efeito porque hoje com os meios de comunicação disponíveis, rapidamente essa atuação das polícias chega ao conhecimento dos criminosos”, disse Wendell.

O promotor diz que o procedimento instaurado pressupõe a necessidade de apuração considerando o contexto, e que não se pode analisar de forma isolada, mas sem pré-julgamentos. “Preciso saber, por exemplo, de onde estão saindo esses policiais usados na operação. Se estão saindo de outras atividades, e de onde”, acrescenta, em entrevista na tarde dessa sexta-feira na sede da 19ª Promotoria de Justiça da Comarca de Natal.

Outro aspecto levantado por Wendell  Beetoven diz respeito ao local escolhido para anunciar, em coletiva de imprensa, o início da operação policial. Ele aguarda a justificativa porque sabe que o prédio onde funciona a Sesed, no Centro Administrativo, é um dos melhores e mais modernos. Mesmo assim, optaram por realizar o anúncio na Governadoria, onde localiza-se o gabinete do governador e candidato à reeleição.

“Atuo há 11 anos  Controle Externo da Atividade Policial e Tutela do Sistema Penitenciário. Conheço a realidade, as condições e também estou sempre em contato com os policiais. Alguns deles questionam a eficácia desse tipo de barreira”, disse o promotor.

A Sesed tem dez dias uteis para responder, em caráter reservado, cópia do planejamento operacional da denominada “Operação Natal Segura”:  a) os efetivos e equipamentos empregados; b) a previsão de recursos financeiros a serem gastos, inclusive com diárias operacionais; e c) esclarecer quando iniciou o planejamento da operação, informando o cronograma de ações e remetendo cópia de documentos que possam provar que a mesma não foi antecipada ou postergada para atender a hipotético interesse político-eleitoral.

Também requisitou Diretor-Geral do Departamento Estadual de Transito do Rio Grande do Norte que informe qual a participação do DETRAN na denominada “Operação Natal Segura”, esclarecendo se foi formalizado algum instrumento de convênio específico, remetendo cópia em caso positivo.







continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários