Mulherio das Letras reúne nomes nacionais em torno da literatura feminina

Publicação: 2019-11-01 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Movidas pelo interesse de tornar visível a produção literária feminina, dezenas de mulheres de várias partes do país estarão reunidas na 3ª Edição do Encontro Nacional Mulherio das Letras, evento que pela primeira vez acontece em Natal. Na programação, palestras, bate papos, oficinas, saraus, lançamentos de livros, exibição de filmes, exposições, feira de artesanato e apresentações teatrais e musicais. Dentre as convidadas está a escritora Maria Valéria Rezende, vencedora do Jabuti nos anos 2009, 2013 e 2015, e do Prêmio Casa de las Américas de 2017, que fará a palestra de abertura do evento. O Encontro acontece na Cidade da Criança, de sexta-feira (1º) até domingo (3), sempre pela manhã e tarde, com entrada à R$ 1 (taxa de manutenção do lugar).

Autora ligada à educação popular, Maria Valéria Rezende fará palestra de abertura
Autora ligada à educação popular, Maria Valéria Rezende fará palestra de abertura

Coordenadora geral do evento em Natal, a escritora potiguar Rejane Souza explica que o  Mulherio das Letras surge da percepção de que é pouca a presença de mulheres na lista de prêmios literários, programação de festivais e na cadeia produtiva editoral, e que nesse sentido o evento viria tanto para valorizar a produção feminina, dar visibilidade, quanto para conscientizar de que é preciso ocupar mais espaços.

“O sentido aqui não é o de guerra dos sexos. O que propomos é valorizar a produção feminina, debater percepções artísticas. Queremos estimular isso. Com certeza será um evento intenso e significativo”, diz Rejane. Segundo ela, a expectativa é da participação de pelo menos 300 mulheres, dentre escritoras, editoras, jornalistas, professoras, pesquisadoras de várias partes do país.

Autoras conhecidos no Rio Grande do Norte, como de Constância Lima Duarte, Diva Cunha, Rizolete Fernandes e outras participam debatendo o legado de Nísia Floresta, na mesa “Uma mulher de múltiplas faces de resistência”. Outro grande  nome da literatura potiguar também será debatido, sendo que por Maria José Mamede Galvão e Marise Adriana Mamede Galvão, na Roda de Conversa sobre a poeta Zila Mamede – a homenageada desta edição. Já a literatura infantil e juvenil é tema do diálogo entre Patrícia Vasconcellos (PE), Kátia Gilabarte (PE), Salizete Freire (RN) e outras.

Outros pontos em debate serão “Literatura, negritudes e intelectualidade: saberes transgressores”, sob mediação de Kapitu Nascimento (RJ); “Poesia Marginal e Slams e o Protagonismo das Minorias”, por Jeovânia Pinheiro; “Os Coletivos de Mulheres e suas formas de resistir”, por Flauzineide Moura (Presidente da ALAMP) e Maíra Dal'maz (Leia Mulheres Natal); e “As resistentes mulheres indígenas”, por Tânia Lima (UFRN). Questões sociais urgentes também serão abordadas como no caso da mesa “Precisamos falar sobre feminicídio”, mas no contexto da obra “Garotas Mortas”, da autora argentina Selva Almada.

Dentre as oficinas, há “Poesia, Minimalismo e Poetrix”, com a escritora Aila Mag (CE); “Todo mundo faz Teatro em sete minutos!”, com a editora Vanessa Ratton (SP); “Fanzine Caleidoscópica”, com Gilvânia Machado (RN); “Festa da Palavra – organização”, com Patrícia Vasconcelos e Gabriela Vasconcelos (PE); e “Poesia, Menopausa e Sororidade” – o desafio da maturidade, com Maria Teresa Moreira.

Escritora Constância Lima Duarte estará nas rodas sobre Nísia Floresta
Escritora Constância Lima Duarte estará nas rodas sobre Nísia Floresta

Durante o evento haverá serviço de almoço à preço acessível para as participantes. Da parte artística, o público poderá apreciar exposição de artes, diversos lançamentos de livros, contação de histórias para crianças, recitais poéticos, além da apresentação da peça “Ventre de Ostra”, com a atriz Luana Vencerlau, exibição de filmes e show de encerramento com a cantora Maíra Soares e a banda Rosa de Pedra.

O 3º Encontro Mulherio das Letras está sendo realizado com o apoio da Fundação José Augusto, Sebrae e outros parceiros.

Mais que evento, um movimento.
A escritora e professora Rejane Souza lembra que antes de ser um evento, o Mulherio das Letras é um movimento para tornar mais visível a produção literária das mulheres. O pontapé foi a inquietação de um grupo de escritoras que estavam na Festa Literária de Paraty, em 2016. Dentre elas, a premiada Maria Valéria Rezende, que instigou o grupo a realizar o primeiro encontro no ano de 2017, na Paraíba. Desde então o Mulherio tem se espalhado por todo o Brasil  e até no exterior, com a criação de grupos locais. Além do Encontro em 2019 em Natal, já há articulações para atividades em Portugal e ainda no mês de novembro será realizado o primeiro Encontro com autoras brasileiras que moram nos EUA, em Atlanta.

Sobre o Encontro de 2019 ter sido realizado em Natal, Rejane destaca o importante legado deixado por escritoras potiguares pioneiras. “O Rio Grande do Norte é um estado forte em iniciativas do tipo. Temos coletivos como a Associação Literária e Artística de Mulheres Potiguares (ALAMP), o Leia Mulheres Natal, que já existe há alguns anos”, conta Rejane. “E temos no estado mulheres de importante legado na literatura, como a romanceira Dona Militana, a poeta Auta de Souza, a escritora Nísia Floresta, além de muitas outras autora mais recentes”.

Programação

Sexta (1º)
10h: Palestra "Trilhas e Veredas do Mulherio das Letras", com Maria Valéria Rezende

10h30: Mesa de Diálogos "NÍSIA FLORESTA: Uma mulher de múltiplas faces de resistência"

11h30: Conversas sobre Zila

14h00: Performance poética com Cacau Nascimento

15h às 17h - Programação Paralela e Espaço para Crianças

A LITERATURA INFANTIL EM FOCO: rodas de conversas entre escritoras e performances dos livros de literatura infanto-juvenil.

Sábado (2)
9h às 10h: Debate “PRECISAMOS FALAR SOBRE FEMINICÍDIO” no contexto da obra Garotas Mortas, de Selva Almada.

10h às 12h: Tendas Temáticas:

“Literatura, negritudes e intelectualidade: saberes transgressores”, com Kapitu Nascimento (RJ)

"Poesia Marginal e Slams e o Protagonismo das Minorias", com Jeovânia Pinheiro

“As resistentes mulheres indígenas”, com Tânia Lima (UFRN)

13h30: Espetáculo "Ventre de Ostra", com Luana Vencerlau.

14h40 às 15h30 – Lançamento de livros

15h às 17h: Oficinas

Domingo (3)
8h: Exibição de "INDECIFRÁVEIS", de Nathalie Alves

10h: Apresentação cultura diversa

11h: Lançamento de livros

11h30: Roda de Diálogos:

"Poesia, Menopausa e Sororidade”, com Maria Teresa Moreira

"A literatura potiguar feminina: vozes de resistência", com Eliete Marry

16h: Encerramento com show de Maíra Soares e Rosa de Pedra






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários