Cookie Consent
Natal
Município diz que rede é satisfatória
Publicado: 00:00:00 - 13/03/2019 Atualizado: 23:28:59 - 12/03/2019
Apesar da rede de atendimento à urgência pediátrica ser considerada satisfatória na capital potiguar, o grande número de pacientes que se desloca de outras cidades para a capital acaba provocando um “inchaço” na rede, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Isso, somado ao aumento do fluxo de pacientes devido ao início do período de chuvas, acaba fazendo com que longas filas e esperas façam parte da realidade dos pais que buscam atendimento para seus filhos.

Aura Mazda
Na UPA de Pajuçara médico atendeu o dobro de pacientes que deveriam ser consultados diante da procura nesta época do ano

Na UPA de Pajuçara médico atendeu o dobro de pacientes que deveriam ser consultados diante da procura nesta época do ano

Na UPA de Pajuçara médico atendeu o dobro de pacientes que deveriam ser consultados diante da procura nesta época do ano

Leia Mais

Em Natal, o serviço de pediatria é ofertado em três Unidades de Pronto-Atendimento (UPA de Pajuçara, UPA Potengi e a de Cidade da Esperança) e no pronto-socorro pediátrico Dra. Sandra Celeste, anexo ao Hospital Municipal de Natal, com capacidade para atender até 400 crianças, disponibilizando também leitos de internação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, há pediatras tanto na assistência básica como para os serviços de urgência, que acabam absorvendo a maior parte da demanda imediata que cresce durante o período.

“A UPA Sul é a única que não tem o serviço de plantão de pediatria. Além disso, temos o pronto-socorro pediátrico, anexo ao Hospital Municipal de Natal, que funciona 24 horas, com serviços de leitos de internação. Na parte de urgência, estamos bem assistidos em relação à pediatria.”, afirma Genilce Maciel de Almeida, secretária adjunta de atenção integral à saúde da SMS Natal.

Ela ressalta, no entanto, que o aumento da demanda nesse período é comum, o que pode provocar filas e esperas para aqueles que chegam para o atendimento – realidade tanto da rede pública como da rede privada de atendimento na capital. “Qualquer mãe que vá hoje a um pediatra com o filho passa horas na fila esperando atendimento. Já ouvimos dizer que há serviços da rede pública que atendem com mais agilidade do que na rede privada, mas isso é muito relativo, porque há uma sazonalidade nas doenças, que provocam um aumento ou redução na demanda”, explica.











Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte