Natal
Municípios precisam se adequar a plano de vacinação contra a covid-19
Publicado: 00:00:00 - 20/12/2020 Atualizado: 17:18:20 - 19/12/2020
Mariana Ceci
Repórter


Apesar da indefinição sobre qual vacina chegará primeiro ao Rio Grande do Norte, os municípios do Estado terão de começar desde já o processo de adequação de suas salas de vacina e qualificação dos profissionais que vão atuar na campanha de imunização contra a Covid-19. Informatização das salas de vacina, qualificação dos profissionais, pré-cadastro de pessoas aptas para receber as doses da vacina na primeira etapa da campanha e criação dos fluxos de atendimento para evitar aglomerações serão alguns dos desafios a serem enfrentados pelos municípios potiguares a partir deste mês para que a campanha possa começar de fato em janeiro.

Orientações preliminares foram disponibilizadas pelo Estado no Plano de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19, divulgado nesta sexta-feira (18) pela Secretaria do Estado de Saúde Pública (Sesap). A primeira etapa de vacinação no Rio Grande do Norte pretende imunizar 730.381 potiguares a partir do dia 20 de janeiro. O Governo do Estado terá que investir R$ 8,2 milhões em Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os profissionais de saúde, aquisição de seringas e outros equipamentos necessários para a aplicação dos imunizantes.

Adriano Abreu
Plano de vacinação no Rio Grande do Norte foi lançado sexta-feira pelo Governo do Estado

Plano de vacinação no Rio Grande do Norte foi lançado sexta-feira pelo Governo do Estado


Além de toda a logística envolvida no armazenamento e operacionalização, para que a campanha possa começar de fato os profissionais da saúde que vão atuar nas 1.335 salas de vacina do Rio Grande do Norte precisarão passar por capacitações para aplicação do novo imunizante.

Segundo o Plano Estadual, está prevista a oferta de capacitação voltada para todos os profissionais de saúde do SUS que atuarão nas campanhas de vacinação, especialmente aqueles inseridos na rede de Atenção Primária em Saúde. A capacitação será ofertada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a coordenação geral do Programa Nacional de Imunização.

O curso intitulado "Vacinação para a Covid-19: protocolos e procedimentos" será ofertado na modalidade de Educação à Distância (EAD) a partir da plataforma Campus Virtual Fiocruz. Para alcançar de forma rápida todos os profissionais que atuarão na campanha de vacinação do país, ele será oferecido gratuitamente em escala nacional.

Ao mesmo tempo, a Secretaria do Estado de Saúde Pública (Sesap) está atuando no planejamento de ações para orientar os municípios sobre a operacionalização da campanha. Dentre as orientações já divulgadas para os postos de vacinação, estão: realizar a administração das vacinas em áreas bem ventiladas e desinfetadas com frequência; garantir a disponibilidade de local para lavagem adequada ou desinfetantes para as mãos para os usuários; limitar o número de familiares que acompanham a pessoa que será vacinada (1 acompanhante apenas); realizar a triagem de pessoas que apresentem sintomas respiratórios antes da entrada na sala de vacinação para evitar a propagação do Coronavírus; fazer demarcações no piso para auxiliar na determinação do distanciamento social dentro do posto de vacinação.

Dentre as medidas pensadas para evitar aglomerações, o Governo do Estado sugere aos municípios que adotem medidas para redução de tempo de espera e realização do procedimento, implementando o acolhimento com classificação de fluxo de atendimento dos cidadãos para estabelecer uma ordem de grupos prioritários.

Um dos recursos que deverá ser utilizado pelos municípios para estabelecer esses fluxos será a apresentação do QR-Code de identificação do cidadão a ser vacinado. Esse QR-Code será gerado automaticamente pelo aplicativo ConectSUS: "recomendamos aos municípios do Estado do Rio Grande do Norte a ampla divulgação do App ConectSUS, com comunicações direcionadas aos cidadãos e profissionais da saúde". Para isso, será importante que as salas de vacinação estejam também informatizadas tanto para o gerenciamento do estoque, como para a melhoria do fluxo de atendimento.  A vacinação do cidadão não está condicionada obrigatoriamente à apresentação do QR-Code. Ele se trata principalmente de uma ferramenta que vai facilitar e agilizar o fluxo de atendimento, pois os dados do indivíduo e se ele pertence a um dos grupos prioritários para a vacina serão facilmente acessíveis aos profissionais.

Outra estratégia indicada pelo Estado é que as unidades de saúde organizem previamente momentos de cadastro dos usuários que precisem comprovar pertencimento aos grupos prioritários de vacinação, para habilitá-los previamente no Sistema de Informações do Plano Nacional de Imunização. Para evitar aglomerações, outra estratégia que poderá ser utilizada é a de "vacinação extramuros", como os drive-thrus e salas de vacinação móveis e itinerantes.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte