Museu Câmara Cascudo realiza campanha de preservação das xilogravuras de José Costa Leite

Publicação: 2020-11-19 20:53:00
O Museu Câmara Cascudo anuncia campanha de financiamento coletivo pela internet para garantir a preservação das matrizes de xilogravura de José Costa Leite. O projeto, que será lançado nesta sexta-feira (20), foi selecionado no edital Matchfunding BNDES+ 2020, do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e precisa arrecadar parte dos recursos a partir de doações para garantir o financiamento total. 

Créditos: Divulgação

O objetivo da ação é garantir a preservação das mais de seiscentas matrizes de xilogravura do paraibano José Costa Leite, guardadas precariamente em sua casa, no município de Condado, em Pernambuco. O poeta e xilogravurista de 93 anos é reconhecido nacional e internacionalmente tanto por seus poemas, quanto por suas ilustrações, além de ser editor e vendedor dos folhetos de cordéis nas feiras da região.

E como forma de comemoração do aniversário de 60 anos do poeta, o museu vai celebrar o talento do artista paraibano e preservar seu acervo de matrizes. A proposta do projeto é compartilhar a sensibilidade e a imaginação do artista com quem ainda não o conhece. Com esta ação, está prevista a compra e a digitalização de todas as peças e a divulgação do acervo pela internet. Depois, o material passa a fazer parte de exposições e publicações sobre a arte da xilogravura dirigidas a públicos cada vez mais amplos e diversificados. 

O projeto é divulgado através do portal Benfeitoria, onde todo o funcionamento e o uso do dinheiro são explicados aos apoiadores. Os participantes recebem recompensas de acordo com o valor doado (e vão desde agradecimentos nas redes sociais, para valores menores, até uma matriz de xilogravura inédita de José Costa Leite, para um valor máximo). A diferença é que, para cada valor investido na campanha através do site, o BNDES investe outros R$ 2 no projeto. 

Sobre o poeta e xilogravurista
Os primeiros trabalhos de Costa Leite foram lançados ainda no final dos anos 1940 com os cordéis Eduardo e Alzira e Discussão de José Costa com Manuel Vicente. Foi somente no terceiro título que Costa Leite decidiu improvisar a ilustração da capa em xilogravura. Dali para frente, não parou mais. Já nos anos 1960, seu trabalho de xilógrafo ganha status de obra de arte e passa a ser exposto em museus do Brasil e do exterior. Em 2005, participa de uma exposição no Musée du Dessin et de l’Estampe Originale de Gravelines, na França, onde também ministra oficinas sobre o seu trabalho. Em 2007, aos 80 anos, foi homenageado pelo Governo da Paraíba e recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. 

Participação
Qualquer pessoa pode participar da campanha com doações ou compartilhando a página nas suas redes sociais. Mais detalhes sobre a ação, é só acessar o Facebook ou Instagram do Museu Câmara Cascudo, pelas redes sociais da UFRN, ou ainda pelo site da campanha.

A campanha segue até o dia 20 de dezembro, quando a meta de R$ 121 mil for alcançada, caso não seja, o projeto não será financiado. Os valores das doações vão de R$ 10 a R$ 5 mil e ainda podem ser parceladas em até seis vezes, no cartão de crédito. Os recursos financeiros serão gerenciados pela Fundação Norte Riograndense de Pesquisa e Cultura, que também está responsável por toda a atividade burocrática do projeto. 








Informações: Agecom/UFRN












Leia também: