Museu Câmara Cascudo abre só em 2014

Publicação: 2012-05-15 00:00:00
A+ A-
A reforma do Museu Câmara Cascudo, fechado desde janeiro de 2011, está em fase avançada e a previsão é que a segunda etapa seja concluída em dois meses, entretanto só deverá ser reaberto ao público até o primeiro semestre de 2014.  Sobre o prazo esticado para reabertura do MCC, a diretora Sônia Othon justifica: “Estavam previstas apenas duas etapas da reforma, e ficaríamos com uma ala nova e outra antiga. Resolvemos aproveitar esse momento de obras para reformular toda a estrutura.” A terceira etapa , ainda não orçada, compreende todos os espaços expositivos, e os investimentos até o momento somam R$ 1,2 milhão.

Projeto do Museu Câmara Cascudo (foto acima) abrange fachada e estrutura interna, que ganhará salões amplos e climatizadosCriado em 1961, como Instituto de Antropologia, o museu, vinculado à UFRN, a recepção do novo MCC será pela lateral e abrigará lojinha e café. Todo o projeto elétrico e hidráulico foi refeito, acessibilidade e a disposição interna também receberão alterações profundas. “A proposta é criar salões de exposições, climatizados e com iluminação adequada, bem mais versáteis que expor em salas compartimentadas. Inclusive todas as exposições permanentes serão replanejadas”, informou a professora Sônia Othon, diretora do museu.

Planta da nova fachada do Museu Câmara Cascudo da UFRN
Sônia Othon: Resolvemos aproveitar para reformular toda a estrutura museológicaDe acordo com Sônia, o assunto museologia vem sendo bastante debatido dentro da UFRN. “Estamos trabalhando em um relatório que pretende redimensionar o papel do museu em contexto com os diversos cursos da Universidade que podem utilizar esse espaço para estágio, pesquisa ou cursos de extensão”. A diretora adianta que também será proposto a criação de um curso de museologia na UFRN. Internamente, os quatro vinculados à instituição deverão passar a atuar de forma integrada – além do MCC, a UFRN mantém o Museu do Seridó, o Museu de Ciências Morfológicas e o Museu Virtual Abrahan Palatinik.

Nos planos de Sônia Othon também está a criação de uma biblioteca, que servirá para dar visibilidade ao acervo da biblioteca particular de Veríssimo de Melo, doada à Universidade em 2008.

#saibamais#Quanto à programação publicada no catálogo do Ibram, onde figuram a palestra “O Museu no contexto universitário – diretrizes para a UFRN” e o debate “Patrimônio, memória e museus: interfaces acadêmicas e interinstitucionais”, foram prorrogadas para o dia 24 – a palestra está marcada para manhã (8h30) e o debate no período da tarde (14h30), ambos no auditório Secretaria de Educação a Distância – Sedis, próximo à capela do Campus.


Deixe seu comentário!

Comentários