Mustang GT, 1968, é leiloado

Publicação: 2020-01-19 00:00:00
Por Reuters

O automóvel Ford Mustang GT, modelo 1968, que Steve McQueen dirigiu na perseguição clássica do filme "Bullitt", um dos carros mais famosos do cinema norte-americano, foi vendido por 3.400.000 dólares em leilão na Flórida (Estados Unidos), no dia 10 deste mês, informou a MecumAuctions.

Créditos: DivulgaçãoMustang GT 1968Mustang GT 1968

Foi o preço mais alto até hoje pago por um Ford Mustang em leilão, segundo David Morton, gerente de marketing da casa de leilões em Kissimmee, perto de Orlando (USA). O comprador não foi identificado publicamente.

 "O martelo foi batido em 3,4 milhões de dólares. Com as taxas de compradores, o custo total é de 3.740.000 dólares", disse Morton, acrescentando que houve quebra do recorde anterior da casa de leilões estabelecido no ano passado, de 2.200.000  dólares.

O carro não restaurado, com sua pintura verde e estofado preto, estrelou uma sequência de 10 minutos no filme de 1968, ficando no ar algumas vezes enquanto passava pelas ruas montanhosas de San Francisco, nos Estados Unidos.

O modelo foi leiloado sem reserva ou preço mínimo de venda, uma decisão arriscada que poderia ter forçado os proprietários a vender por preço baixo.

McQueen filmou com o vidro da janela abaixado para que os espectadores pudessem vê-lo ao volante. Embora creditado como motorista, McQueen compartilhou o volante com o motorista de Hollywood BudEkins, de acordo com o banco de dados de filmes IMDB.

Após as filmagens, o Mustang foi vendido a um funcionário da Warner Brothers e, posteriormente, a um detetive da polícia de Nova Jersey (Estados Unidos). Ele, por sua vez, o vendeu por 6.000 dólares em 1974 a Robert Kiernan, de Madison, Nova Jersey, Estados Unidos, que manteve o carro até falecer, em 2014.

Kiernan rejeitou várias ofertas pelo carro, incluindo uma do próprio McQueen, segundo o jornal New York Times. Ele deixou o Mustang GT para seu filho, Sean.

A hora certa de trocar os pneus

Reconhecer o momento correto para trocar os pneus do carro é tarefa importante para aumentar a segurança do motorista e dos passageiros.
A temporada de férias começou e com ela chegam também as viagens de carro. Para aproveitar esses momentos com segurança, fique atento às dicas de manutenção dos pneus.

Você deve adotar o TWI (TreadWearIndicator) como principal indicativo a ser considerado na avaliação. O indicador está visível por meio dos ressaltos de borracha que ficam nos sulcos dos pneus e possuem 1,6 mm de profundidade. Quando chega ao seu limite, sinaliza que o pneu precisa ser trocado, pois poderá interferir na segurança e tornar-se passível de autuação pelas autoridades de trânsito.

"A regra TWI só não é válida para pneus com bolhas, rasgos ou perfurações que, nesses casos, devem ser substituídos imediatamente", comenta José Carlos Quadrelli.

A quantidade de pneus a ser substituída também é um ponto de atenção. "O recomendado é trocar os quatro ao mesmo tempo, caso tenham sido utilizados de forma uniforme. Isso possibilita que estejam todos nas mesmas condições. Caso não seja possível a troca dos dois conjuntos, o par de pneus novos deve ser colocado no eixo traseiro, que é o maior responsável pela estabilidade do veículo", explica Quadrelli.

O novo pneu
A escolha de um novo pneu deve considerar aspectos importantes como dimensões recomendadas pelo fabricante do veículo, tipo de utilização do veículo (uso urbano, comercial ou misto), dentre outros.

O pneu possui informações úteis que auxiliam na identificação de seus atributos e no momento de substituição.

Dessa maneira, o pneu 175/70R13 82T, por exemplo, tem 175 mm de largura de seção, e altura igual a 70% da largura de seção, é radial e é montado em rodas de aro 13 polegadas. Se não houver letra é porque ele é diagonal.  O número 82 é o índice de carga e indica que o pneu suporta uma carga de 475 kg. A letra "T" é o símbolo de velocidade e indica que o pneu pode ser usado à velocidade de 190 km/h quando submetido à carga máxima. A lateral do pneu também traz a informação de sua data de fabricação e não de validade.