Economia
Na pandemia, cresce demanda por capacitação tecnológica
Publicado: 00:00:00 - 28/11/2021 Atualizado: 14:01:29 - 27/11/2021
A pandemia da covid-19 aumentou a demanda por tecnologia da informação em todo o mundo, tanto que impactou na produção industrial e levou à escassez de insumos. Na formação profissional essa demanda foi percebida também na procura por capacitação na área de TI. No Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/RN) as matrículas na área superaram as dos cursos tradicionais em 2020.

Cedida
Além da alta procura para TI, a demanda também foi elevada para cursos de qualificação e aperfeiçoamento na área de energia

Além da alta procura para TI, a demanda também foi elevada para cursos de qualificação e aperfeiçoamento na área de energia


O diretor regional do Senai-RN, Emerson Batista disse que a entidade conseguiu atingir todas as metas planejadas para a educação profissional no ano, mesmo fora do cenário em que tinha sido concebido o planejamento estratégico para o período. “Com a mudança repentina das circunstâncias, obedecendo criteriosamente os decretos que regulavam o cenário surpreendente de 2020, a educação a distância do Senai-RN demonstrou força ao conseguir manter o ritmo de produção educacional remota, presencial e híbrida. Além dos temas transversais que sempre foram trabalhados, ainda surgiram diversas demandas nas áreas de TI”, ressaltou.

Ele observa que esta área foi fortemente explorada, principalmente no desenvolvimento de aplicativos e softwares. “Para se ter ideia de como foi 2020, tivemos 2.302 alunos matriculados na área de Tecnologia da Informação, voltada principalmente à parte de softwares e superando, inclusive, as matrículas para cursos tradicionais como da construção civil, área industrial que mais emprega no estado do Rio Grande do Norte”, contou o diretor.

No cenário de Pandemia, o Senai/RN manteve o ritmo na realização de matrículas, inclusive, superando 2019, chegando ao número de 31.258 capacitações. Com o cenário desafiador e sendo a educação um dos setores mais atingidos por causa do distanciamento social e isolamento, a instituição manteve o arrojo para transmissão de conteúdo profissional a todos os seus alunos. Através da realização de parcerias estratégicas com o Google, T2K e o Departamento Nacional, o Senai conseguiu oferecer mais de 230 cursos, distribuídos em 30 áreas tecnológicas, de forma presencial com auxílio dessas tecnologias, EAD ou híbrida.

“A pandemia da covid-19, apesar dos pesares, nos forçou a acelerarmos aquilo que já buscamos constantemente, a inovação. Neste caso tivemos que inovar internamente, na melhoria de processos e formas de educar e formar a mão-de-obra necessária, visto que a indústria não parava e precisávamos garantir a produção”, afirma Emerson Batista.

Outra força importante do momento foi o atendimento na área de confecção e vestuário. Em 2020, o Senai-RN formou quase mil Costureiros Industriais em Tecido Plano. Formação focada diretamente nas estratégias estaduais de desenvolvimento econômico, principalmente na região do chamado “Seridó Oriental”.

Meta de matrículas deve ser superada
Com o avanço da vacinação, a melhoria do quadro pandêmico no Brasil e no Rio Grande do Norte, a flexibilização dos decretos de distanciamento social, o Senai foi retomando as práticas laboratoriais e, gradualmente, retomou suas atividades em sala de aula, unidades móveis, unidades remotas e laboratórios de práticas.

“Através da adoção de protocolos de segurança e de medidas rígidas para o cumprimento dos decretos municipais e estaduais, pode-se verificar um resultado extremamente satisfatório, se comparado ao que fora planejado para todo o exercício de 2021”, ressalta o diretor regional do Senai-RN, Emerson Batista.

A expectativa é de que ainda neste mês de novembro o número de matrículas previstas para o período seja superado. “Em todas as modalidades de atuação, verifica-se a tendência de superação das metas estabelecidas para este ano. Isso mostra o potencial de qualificação profissional de mão de obra existente no nosso estado”, destaca o diretor.

Segundo conta, pelos números acompanhados até o momento, neste ano existe uma alta procura para os cursos na área de segurança do trabalho, gestão, vestuário, logística e energias (eólica e solar/fotovoltaica) especialmente em cursos de qualificação e aperfeiçoamento profissional. 

Áreas como confecções do vestuário e energias passaram a ter uma maior proporção na busca pelas capacitações, dada a realidade da indústria local.

Todavia aquelas que historicamente demandam capacitação, como alimentos e construção civil, também começam a ganhar força nas contratações.

Mesmo com a busca por trabalho e qualificação, Emerson Batista lembra que em alguns momentos houve evasão, já que o trabalhador se viu obrigado a priorizar seu sustento e mais uma vez as ferramentas tecnológicas auxiliaram. “Com a ajuda das tecnologias e alguns ajustes, conseguimos minimizar esse impacto e garantir uma taxa mínima de evasão na ordem 18%. Por outro lado, a taxa de empregabilidade dos egressos de cursos do Senai alcançou recentemente, em média, 70% de efetivação no mercado de trabalho”, destacou o diretor regional do Senai-RN.

Entrevista : Amaro sales 
Presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte – Fiern
Qual a importância da educação para a indústria?
A educação profissional no Brasil é condição básica para o crescimento da indústria no país, especialmente para a melhoria da sua competitividade.  Apostamos no ensino profissionalizante como caminho para se permitir a retomada do crescimento econômico do país, gerando melhores oportunidades de emprego e renda para nossos jovens. Há uma grande demanda em áreas como construção civil, logística e transporte em todo o país, e aqui no Rio Grande do Norte também na área de energias renováveis. 

Como é a atuação do Sistema Fiern na área de educação?
O Sistema Fiern tem forte atuação no ensino profissionalizante por meio do Senai-RN. Em 2021, até este mês de novembro, o Senai-RN deve superar o número de matrículas previstas para o período em todas as modalidades ofertadas como cursos de aperfeiçoamento e especialização profissional, aprendizagem industrial básica, qualificação profissional e técnico de nível médio. O Senai também atua na oferta de soluções em inovação e tecnologia principalmente para a indústria, por meio do Instituto Senai de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) e do Instituto Senai de Tecnologias em Petróleo e Gás, localizado em Mossoró. Além disso, temos as unidades da SESI Escola que levam um ensino diferenciado em todas as suas unidades no Rio Grande do Norte e que, junto com o Senai, desenvolvem os pilotos do Novo Ensino Médio no estado. Já na Educação Executiva, temos capacitações, MBAs e consultorias ofertadas pelo IEL-RN.

No último dia 13 de outubro, o senhor entregou à governadora Fátima Bezerra uma Agenda Propositiva para o Desenvolvimento do Rio Grande do Norte. O que esse documento traz de contribuição?
Trata-se de um documento que reúne sete temas importantes de áreas fundamentais para o desenvolvimento do RN, e que não dependem de grandes investimentos para terem andamento, mas de algumas ações relacionadas à gestão.  A governadora demonstrou uma boa receptividade às sugestões. Temos aqui no Rio Grande do Norte uma experiência positiva de diálogo única no País, entre a Federação e o governo, que teve início no período no qual a FIERN e parceiros apresentaram um plano de retomada gradual das atividades econômicas, durante a pandemia.  As instituições que representam os setores produtivos entendem que esse diálogo foi muito positivo e deve ter continuidade. 


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte