Número de infectados pela Covid-19 aumenta em Natal

Publicação: 2020-11-24 00:00:00
Luiz Henrique Gomes
Repórter

Com um aumento da média móvel de infecções pela covid-19 no Rio Grande do Norte na última quinzena, Natal voltou a registrar um número de novos casos por dia semelhante ao pior período da pandemia, entre os meses de junho e julho. Segundo os dados compilados pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN), com base nos dados fornecidos pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) no dia 13 passado, a capital potiguar registrou 163 novos casos em 24 horas. Foi o maior registro desde 20 de julho, quando 213 casos foram confirmados.

Créditos: Magnus NascimentoConforme detalhado por trabalhadores dos Centros Covid, maioria do público atendido é jovemConforme detalhado por trabalhadores dos Centros Covid, maioria do público atendido é jovem

saiba mais

O aumento de casos acendeu o alerta na Prefeitura do Natal que na última terça-feira (17) se reuniu com membros do Comitê Científico Municipal de Combate à Covid-19 para determinar medidas de contenção à pandemia. Entre elas, restou determinado o reforço na fiscalização de protocolos no comércio e na orla marítima da cidade para coibir aglomerações, revisão do protocolo médico e implementação de campanhas educativas para a população.

Por causa do aumento de casos, o atendimento na rede pública de Saúde também cresceu. Na última semana, por exemplo, a demanda de testes RT-PCR recrudesceu e o resultado voltou a levar praticamente uma semana para ser concluído. “Na semana passada eu procurei um Centro Covid-19 e me surpreendi com a quantidade de pessoas. Chegando lá, me falaram que o teste iria levar até cinco dias para ser divulgado”, disse o estudante Marcos Costa, que testou positivo para a Covid-19 semana passada.

Por causa do aumento, o funcionamento dos Centros Covid-19 instalados em Natal, restritos anteriormente aos dias úteis, foi ampliado para o final de semana. Nesse último, 515 pessoas foram atendidas. A maior procura foi no Palácio dos Esportes, em Petrópolis, na zona Leste de Natal. Foram 240 atendimentos nos dois dias. No Ginásio Nélio Dias, na zona Norte, 97 atendimentos foram feitos. E no Centro Municipal de Referência em Educação (Cemure), na zona Oeste, mais 171 pessoas foram atendidas.

Segundo o secretário municipal de Saúde, George Antunes, a procura é maior entre pessoas que voltaram ao trabalho e às atividades de lazer, como bares e festas. “O maior volume são de jovens e adultos sem comorbidades crônicas, fora da faixa de risco. Os sintomas na maior parte são fracos. De certa forma, isso é positivo porque vamos chegando cada vez mais perto da imunidade desejada”, afirmou o secretário nesta segunda-feira (23).

Até esta segunda-feira, 961 mortes foram confirmadas em Natal e 2.660 em todo o Rio Grande do Norte. Apesar do crescimento de novos casos, a média de morte se mantém estável, segundo os dados do LAIS/UFRN.

Estratégias 
No dia 18, a equipe da Sesap se reuniu para discutir estratégias e ações de combate ao coronavírus. Na ocasião, não houve recomendações da Secretaria à governadora Fátima Bezerra no sentido de fechamento das atividades econômicas, reabertas a partir de julho. A estratégia atual é mapear os casos confirmados para interromper a contaminação e testar o máximo possível. 

“Temos testes disponíveis e precisamos utilizá-lo, fazendo uma busca ativa por casos sintomáticos. Existe estrutura das equipes de família para essa busca ativa por parte dos municípios”, disse a subcoordenadora da Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, no dia da reunião. Lucchesi ressaltou, no entanto, que medidas de fechamento nunca foram descartadas. “Se for preciso, nós iremos recomendar. Isso nunca descartamos. Mas por enquanto a avaliação é que não é necessário", concluiu.

Entretanto, nas unidades de saúde os testes continuam restritos a pacientes que estejam no terceiro dia de sintomas e não há uma disponibilidade para a testagem em massa.