Número de pedidos do seguro-desemprego no RN aumenta 74,59% em maio

Publicação: 2020-05-22 00:00:00
A+ A-
Margareth Grilo
Editora

O número de pedidos de seguro-desemprego de trabalhadores com carteira assinada, no Rio Grande do Norte, subiu 74,59% na primeira quinzena de maio, em comparação com o mesmo período de 2019. O Sistema Nacional de Emprego (Sine) no Estado recebeu, de 2 a 15 deste mês, 5.451 pedidos para o seguro-desemprego, ante 3.122 feitos no mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (21)  pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia e considera tanto os atendimentos presenciais – nas unidades do Sine e das Superintendências Regionais do Trabalho – e os requerimentos virtuais. Do total, 74,59% dos pedidos foram feitos pela internet.

Créditos: Marcelo Casal Jr/ABRNo acumulado do ano, o número de seguros subiu 5,97% no EstadoNo acumulado do ano, o número de seguros subiu 5,97% no Estado


No País, na primeira metade do mês, 504.313 benefícios de seguro-desemprego foram requeridos, contra 286.272 pedidos registrados no mesmo período do ano passado. No período, os três estados com maior número de requerimentos foram São Paulo (149.289), Minas Gerais (53.105) e Rio de Janeiro (42.693). Ao todo, 77,5% dos benefícios foram pedidos pela internet no mês passado, contra apenas 1,7% no mesmo período de 2019. 

Apesar da acelerada na primeira quinzena deste mês, os pedidos de seguro-desemprego cresceram em ritmo menor no acumulado do ano, tanto no Estado, como no País. No RN, de 2 de janeiro a 15 de maio deste ano foram encaminhados 32.271 requerimentos. O total representa aumento de 5,97% em relação ao acumulado do mesmo período do ano passado, 30.451. No País, a alta foi pouco maior: 9,6%, somando 2.841.451 pedidos de 2 janeiro a 15 de maio de 2020, contra 2.592.387 de igual período de 2019. No Estado, do total de requerimentos, 87,9% dos requerimentos foram encaminhados via internet. 

O levantamento mostra ainda que a taxa de habilitação foi de 71,6%, no RN, nessa primeira quinzena de maio, com 3.901 pessoas seguradas, ou seja, com o benefício efetivado. Isso mostra que pelo menos 1.150 estão em análise e/ou foram indeferidos. A síntese divulgada ontem pela Secretaria de Trabalho não traz esse detalhamento.

Em relação aos setores econômicos, no caso do Rio Grande do Norte, o de serviços representou 49,18% dos requerimentos (2.681), seguido pelo comércio que teve 26,36% dos pedidos (1.437), indústria (10,84% e 591 pedidos), construção civil (9,7% e 529 pedidos) e agropecuária (7,24% e 395 pedidos).

Números subestimados
A secretaria estima que os dados nacionais para o ano podem estar subestimados em até 250 mil pedidos. Isso porque diversos trabalhadores sem acesso à internet não estão conseguindo pedir o benefício nas unidades do Sine, que estão com o atendimento presencial suspenso por causa da pandemia de covid-19. O trabalhador tem até 120 dias para requerer o seguro-desemprego, o que pode ser podem de forma 100% digital.

A estimativa foi elaborada com base na média dos pedidos de seguro-desemprego por meio do atendimento presencial. Segundo o Ministério da Economia, a pasta está divulgando as projeções de pedidos que deixaram de ser realizados para dar um quadro mais honesto do impacto da pandemia sobre o mercado de trabalho.

Nos cinco primeiros meses do ano, 46,1% dos requerimentos de seguro-desemprego (1.309.554) foram pedidos pela internet, pelo portal gov.br e pelo aplicativo da carteira de trabalho digital; 53,9% dos benefícios (1.531.897) foram pedidos presencialmente. No mesmo período do ano passado, 98,4% dos requerimentos (2.551.623) tinham sido pedidos nos postos do Sine e nas superintendências regionais e apenas 1,6% (40.764) tinha sido solicitado pela internet.

Perfil
Em relação ao perfil dos requerentes do seguro-desemprego, no RN,  na primeira quinzena de maio de 2020, a maioria é masculina (64,74%). A faixa etária com maior número de solicitantes está entre 30 e 39 anos (36,70%) e, quanto à escolaridade, 66,20% têm ensino médio completo.

Levantamento da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia divulgado ontem:
Créditos: Divulgação



Créditos: Divulgação








Deixe seu comentário!

Comentários