Número de queimadas cresce 46% este ano

Publicação: 2018-10-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Com o fim da quadra chuvosa e a elevação das temperaturas em todo Nordeste, o número de queimadas e incêndios vem aumentando no Rio Grande do Norte. De acordo com dados de janeiro a 10 de outubro do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), no ano passado, foram registradas 128 queimadas no Estado. Este ano, o número já chega a 188, um aumento de 46% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Maior parte de queimadas acontece em terrenos baldios
Maior parte de queimadas acontece em terrenos baldios

O aumento não é à toa: este ano, pela primeira vez após cinco anos de seca, o Rio Grande do Norte registrou uma boa quadra chuvosa, o que expandiu a vegetação tanto na capital como no interior do Estado. Com mais vegetação e a chegada do período mais seco do ano que, de acordo com a Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), vai de setembro a novembro, as chances de queimadas aumentam.

“Existem possibilidades de pancadas de chuvas, mas são chuvas fracas, não há uma ocorrência de forma generalizada, atingindo grandes regiões. Então, a tendência é de que, até meados de novembro e início de dezembro, continuemos no período de seca, o que aumenta a possibilidade de queimadas”, afirma Gilmar Bristot, gerente da unidade de meteorologia da Emparn.

De acordo com o major João Eduardo, comandante do 1º Grupamento de Bombeiros, que abrange os três quartéis da Grande Natal, ações especiais já foram deflagradas no interior para intensificar a ação dos bombeiros e tentar prevenir as queimadas. Em Natal, a operação ainda não foi deflagrada.

A maior parte das ocorrências registradas, na região metropolitana de Natal, acontecem em terrenos baldios. "Muitas vezes são aquelas queimadas de lixo, que é jogado em algum terreno. O fogo costuma se extinguir sozinho, mas incomoda vizinhos e transeuntes que estiverem passando pelo local e, se for numa área de preservação ou de florestas, por exemplo, pode se agravar", afirma o comandante.

 Ao todo, foram 73 ocorrências de queimadas em terrenos baldios, um número ainda menor do que no ano passado, quando foram 93 ocorrências no mesmo mês. O comandante ressalta, no entanto, que o número de ocorrências não necessariamente representa o número total de queimadas. "Muitas pessoas registram ocorrências de uma mesma queimada, vizinhos ou pessoas que passam perto do local e identificam a fumaça. Por isso o número de atendimentos a ocorrências também costuma ser menor do que o número de ocorrências em si", explica.

Já o número de incêndios em áreas florestais e áreas de proteção ambiental aumentaram consideravelmente este ano em relação ao ano passado. Em agosto do ano passado, foram 1ocorrências de incêndio florestal registradas na região metropolitana de Natal, enquanto 11 aconteceram em áreas de preservação ambiental. Em 2018, no mesmo mês, foram 20 ocorrências de incêndios florestais registradas, e 18 em áreas de preservação ambiental.

O bairro com maior número de ocorrências de incêndios florestais atendidas pelo Corpo de Bombeiros foi Pitimbu, com 11 registradas este ano. Ele é seguido pelo bairro de Nova Parnamirim, com 6 ocorrências, e pela praia de Camurupim, que registrou 3 incêndios atendidos pelos bombeiros militares.



continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários