Natal aplicou mais de 44 mil doses de vacina contra covid

Publicação: 2021-03-04 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
CONTEÚDO DE RESPONSABILIDADE DO ANUNCIANTE
Nunca uma pequena ampola com aproximadamente 5ml de vacina fez tanta diferença na vida das pessoas ao redor do mundo. A arma mais efetiva contra o contágio do novo coronavírus deixou de ser um sonho e se tornou realidade. Em Natal, numa ação de logística integrada entre Secretarias e órgãos, a Prefeitura Municipal começou o processo de imunização e já aplicou, em 41 dias (até dia 1 de março) 44.003 doses das vacinas da AstraZeneca/Oxford e da CoronaVac, na Campanha de Vacinação Contra a Covid-19 iniciada dia 20 de janeiro passado. Além dos  23.640 profissionais de saúde da linha de frente, 8.074 idosos institucionalizados, acamados e acima de 85 anos foram vacinados até a segunda-feira (1), informa a Secretaria Municipal de Saúde.

Créditos: Alex RégisMAIS DE 8 MIL IDOSOS ENTRE INSTITUCIONALIZADOS, ACAMADOS E  ACIMA DE 85 ANOS JÁ FORAM VACINADOSMAIS DE 8 MIL IDOSOS ENTRE INSTITUCIONALIZADOS, ACAMADOS E ACIMA DE 85 ANOS JÁ FORAM VACINADOS

“O que recebemos ainda é muito pouco, mas estamos mantendo contato com o governo federal e esperamos logo poder ampliar esse processo. O importante é que já conseguimos dar um primeiro grande passo nessa luta contra o coronavírus e pela vida”, destaca o prefeito Álvaro Dias (PSDB). Na primeira fase da campanha, os profissionais de saúde atuantes na linha de frente das ações relacionadas ao combate à pandemia foram vacinados. Em seguida, foi iniciado o processo de aplicação em idosos institucionalizados e, posteriormente, nos acamados com 75 anos ou mais. Alguns deles, inclusive, já receberam a segunda dose do imunizante. “Temos regras a seguir, sob orientação do Ministério da Saúde, e precisamos cumpri-las, até pela pouca quantidade de imunizantes que recebemos”, relembra Álvaro Dias. 

No início desta semana, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS Natal) saiu mais uma vez às ruas, em busca dos idosos acamados com 75 anos ou mais aplicar o reforço do imunobiológico Coronavac. Na primeira etapa 2.631 pacientes receberam a imunização em domicílio, com estratégia iniciada em 10 de fevereiro e agora, recebem o reforço do imunobiológico desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. 

A ação ocorre simultaneamente em todas as zonas da cidade com equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS), Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) e rota definida em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A estimativa é vacinar essa população que recebeu a primeira dose, nas próximas semanas, já que a bula do medicamento recomenda intervalo de 14 a 28 dias a partir da primeira aplicação. 

“A gente lembra que essas doses são exclusivamente para a população acamada de Natal e não para indivíduos com dificuldade de locomoção. Caso alguém tenha se cadastrado anteriormente mas ainda não foi vacinado, pedimos que busque a unidade básica mais próxima para informar e uma equipe de saúde fará a vacinação na residência do acamado. Algumas equipes tiveram dificuldade de localizar alguns endereços por estarem incompletos, alguns telefones que não atendiam as ligações, então é possível que tenha pendência de vacinação dessa faixa etária", destaca Rayanne Araújo, secretária adjunta de Atenção Integral à Saúde de Natal.

Primeira vacinada 
A Campanha de Vacinação Contra a Covid-19 em Natal começou oficialmente no dia 20 de janeiro passado com a vacinação da técnica em enfermagem Ednalva Maurício da Silva, de 54 anos, pelas mãos do prefeito Álvaro Dias, que é médico. Funcionária da saúde desde 1988, Ednalva trabalha na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do bairro Pajuçara, na zona Norte, desde 2010, e no Hospital Infantil Varela Santiago. “A chegada da vacina é a esperança de que isso vai mudar”, declarou a servidora. 

Profissionais de Saúde 
Os profissionais de saúde, que por algum motivo, não puderam tomar a segunda dose da Coronavac devem comparecer em um dos pontos de vacinação da Prefeitura do Natal e tomar o imunizante.
 
O QUE É O CORONAVÍRUS?
Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias, cujos primeiros casos foram isolados pela primeira vez em 1937, porém, apenas em 1965 foi descrito como coronavírus, em decorrência do aspecto apresentado à microscopia, similar a uma coroa. O novo agente do coronavírus (SARS-CoV-2) foi descoberto em 31 de dezembro de 2019 após casos registrados na China, e a doença, por determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), foi denominada de Covid-19. Em 11 de março de 2020 foi decretada como pandemia pela OMS. No município do Natal, em 17 de março de 2020, foi decretada situação de emergência e, em 20 de março de 2020, em razão da severa crise de saúde pública decorrente da pandemia e suas repercussões nas finanças públicas do Município, Estado de Calamidade Pública.

Créditos: Alex RégisPREFEITURA AGUARDA RECEBIMENTO DE NOVOS LOTES DE VACINA PARA AMPLIAR AS FAIXAS DE VACINAÇÃOPREFEITURA AGUARDA RECEBIMENTO DE NOVOS LOTES DE VACINA PARA AMPLIAR AS FAIXAS DE VACINAÇÃO

NOVOS LOTES DE VACINA DEVERÃO CHEGAR AINDA NESTA SEMANA
O Ministério da Saúde informou, no final da semana passada, que está trabalhando para que mais doses das vacinas contra o coronavírus sejam enviadas aos municípios ainda nesta primeira semana de março. O órgão ministerial recebeu, no dia 27 de fevereiro, insumos para produzir mais de 12 milhões de doses da vacina Coronavac. Além dessas doses, o Município recebe, nesta semana, novo lote da Coronavac. 

O voo procedente da China, com novo lote de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para a produção das doses, aterrissou no Brasil no sábado (27). O material foi entregue à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produz a vacina da AstraZeneca/Universidade de Oxford contra a Covid-19. Essa é a maior carga de IFA que a Fiocruz recebeu até o momento. 

O novo lote possibilitará a produção de 12 milhões de doses de vacina, em Bio-Manguin hos/Fiocruz, em território nacional. As doses serão distribuídas no âmbito do Programa Nacional de Imunização (PNI). 

No início de fevereiro, o Brasil recebeu o primeiro lote do IFA da vacina da AstraZeneca/Oxford, permitindo a produção de 2,8 milhões de doses. A previsão é de que a primeira remessa de vacinas produzidas na Fiocruz seja entregue ao PNI na segunda quinzena de março. Até junho, são esperados mais lotes de insumos vindo da China para a fabricação, em solo brasileiro, de um total de 100,4 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford. 

Além de mais doses do Butantan, novos lotes da vacina AstraZeneca/Oxford estarão disponíveis ao PNI em março. A previsão é de que sejam entregues ao Ministério da Saúde 12,9 milhões de doses produzidas na Fiocruz e outros 4 milhões importadas da Índia. Também para março, o Brasil negocia o recebimento da primeira leva de vacinas do consórcio Covax Facility (2,6 milhões).

NATAL ESTÁ ENTRE AS MAIS PREPARADAS PARA RECEBER VACINAS
Natal está entre as capitais mais bem preparadas para receber as vacinas que serão distribuídas pelo Governo Federal contra a Covid-19. Uma das estruturas com que a Prefeitura conta para o enfrentamento à pandemia é a Central Municipal de Armazenamento e Distribuição de Imuno 
biológicos (CEMADI), uma das únicas do Nordeste com equipamentos específicos para o armazenamento de vacinas e soros. 

A CEMADI possui nove câmaras frias, três freezers horizontais e 100 novas geladeiras, de uso específico para armazenamento de todos os tipos de vacina, seja qual for a escolhida pelo Governo Federal para a imunização da população. Além disso, esses equipamentos asseguram a preservação das características originais das vacinas. 

As geladeiras da CEMADI imprimem relatórios de temperatura e conservação e estão vinculadas a um gerador próprio com capacidade para 48h de manutenção ininterrupta de estabilidade de temperatura. O sistema garante que as vacinas, muitas com vírus vivos, cepas virais ou pedaços de microorganismos, fiquem armazenadas conforme todas as normas e sejam distribuídas de forma correta, para que cheguem até o usuário de forma efetiva e não perigosa. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a CEMADI é peça fundamental na engrenagem do processo de vacinação, uma vez que que essa “Rede de Frio” se integra às 70 salas fixas de vacinas distribuídas em cinco distritos sanitários (Leste, Oeste, Sul, Norte I e Norte II). As salas de vacina recebem assessoramento técnico do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI), vinculado ao Setor de Vigilância Epidemiológica (SVE) da SMS. 

Além disso, a Prefeitura do Natal assumiu a dianteira no enfrentamento à pandemia. “Apesar de todas as dificuldades com a crise econômica, investimos na montagem do Hospital de Campanha, na compra de respiradores, na ampliação dos leitos na rede pública municipal de saúde, contratação e gratificação de profissionais da área da saúde e na instalação dos Centros de Enfrentamento”, elenca o prefeito Álvaro Dias. As ações coordenadas da Prefeitura se somam ao plano vacinal, dentro do Programa Nacional de Imunização disponibilizado pelo governo federal, e asseguram a imunização dos natalenses. De acordo com o Plano de Vacinação da própria Prefeitura do Natal, considerando a transmissibilidade da Covid-19, seria necessária a vacinação de 70% ou mais da população (a depender da efetividade da vacina em prevenir a transmissibilidade) para interromper a circulação da doença. Contudo, a reduzida disponibilidade da vacina no mercado mundial exige a definição de grupos prioritários com o objetivo de contribuir para a redução da morbimortalidade.




CONTEÚDO DE RESPONSABILIDADE DO ANUNCIANTE

Deixe seu comentário!

Comentários