Natal fica atrás na banda larga

Publicação: 2010-10-28 00:00:00
A+ A-
Natal tem o terceiro pior serviço de internet de banda larga móvel, entre as 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, ficando atrás apenas de Salvador e Recife. As três as cidades obtiveram as piores médias de download - inferiores a 400 kilobit por segundo (kbps) – bem como na taxa de upload, com velocidades inferiores a 200 kbps. No sentido inverso, os melhores desempenhos foram registrados em São Paulo e Porto Alegre, cuja avaliação específica de velocidade obteve as maiores médias de download e upload, sendo superiores a 660 kbps e a 270 kbps, respectivamente.

Os dados fazem parte do Balanço Huawei da Banda Larga Móvel e foram levantados pela empresa MY Business, entre 20 de setembro e 13 de outubro. Para a coleta das informações, foram percorridos mais de 1.200 quilômetros das principais vias de acesso aos estádios que receberão os jogos, aeroportos e pontos turísticos de cada cidade-sede. Ao longo dos trajetos, foram testados o desempenho real de velocidade de download e upload, latência (tempo de resposta da rede) e qualidade de vídeo streaming, entre outros serviços 3G oferecidos pelas principais operadoras móveis do Brasil.

A 10ª posição, entre as 12 cidades-sede, foi obtida pela capital do Rio Grande do Norte por esta registrar uma taxa média de download de 306 kbps, resultado bem abaixo da média de 567 kbps, quando consideradas todas as sedes. Resultado semelhante foi verificado na taxa média de upload, com a velocidade em Natal ficando em 140 kbps, enquanto a média geral é de 249 kbps.

Mesmo com o aumento constante na utilização desses serviços, o secretário extraordinário para assuntos relativos à Copa, Fernando Fernandes, afirma desconhecer a existência de um plano do Governo do Estado voltado a melhorar a conectividade por meio da banda larga móvel. “O nosso foco principal agora é viabilizar a  Parceria Público-Privada (PPP), para a construção do Estádio das Dunas”, destaca.

Entretanto, Fernandes reconhece que haverá a necessidade de oferecer melhores condições para a transmissão de dados até o mundial de futebol de 2014 e conta que irá debater o assunto na tarde de hoje, junto a representantes da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Coincidentemente, irei conversar com os organizadores do torneio sobre tecnologia da informação. Então, podemos cogitar que esteja sendo pensado algum projeto pensando na transferência de dados e voz”, afirma o secretário estadual.

O encontro com o Comitê Organizador da Copa de 2014 será às 14h, no Rio de Janeiro. Representantes das outras 11 cidades-sede também participam de iniciativa semelhante, para a discussão dos projetos técnicos nas áreas de tecnologia da informação, telecomunicações e instalações

Brasil

De acordo com a pesquisa, na média geral das 12 cidades, a velocidade de download chegou a 567 kbps e a de upload, a 249 kbps. Esse desempenho, porém, ainda está muito aquém da capacidade tecnológicas do acesso 3G atualmente disponível no Brasil. No download, por exemplo, os terminais HSDPA (High Speed Download Packet Access) possibilitam velocidades de pico de 7,2 Megabytes por segundo (Mbps) e, no upload, terminais com tecnologia HSUPA possibilitam velocidades de pico até 5,76 Mbps.

Em relação ao serviço de banda larga móvel no Brasil, o balanço mostra que as quatro principais operadoras de telefonia móvel do país – Claro, Oi, Tim e Vivo - atuam em todas as cidades-sede. Além disso, para 2014, há a projeção de que a participação de aparelhos 3G ou 4G do total de celulares no Brasil alcance a média mundial estimada em 23,5%, quando o país deve atingir a marca de 60 milhões de acessos à rede mundial de computadores, por meio da banda larga móvel. O estudo prevê também que, com o incremento no número de usuários durante os próximos anos, haverá uma queda nos preços dos aparelhos 3G e smartphones, bem como uma maior utilização desses dispositivos em substituição aos computadores de mesa.