Natura Musical anuncia projetos para 2018

Publicação: 2017-11-29 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O programa de fomento à música brasileira Natura Musical, anunciou na terça-feira (28) os  artistas, shows e festivais que irá  patrocinar em 2018.  O valor total distribuído pelo programa em 2018 será de R$ 5,6 milhões,  provenientes da renúncia fiscal da Lei Rouanet do Governo Federal e algumas leis estaduais (ICMS) onde o programa já atua — no RS, Paraná, Pará, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. 

Jards Macalé foi contemplado no edital para produção de disco
Jards Macalé foi contemplado no edital para produção de disco 

O programa existe há 13 anos, mas até hoje nenhum artista potiguar teve seu álbum ou show contemplado no programa. Na categoria Festivais — uma novidade implementada em 2017 —, o Natura confirmou o patrocínio ao Festival DoSol, pelo segundo ano.  

São 33 projetos, sendo 21  artistas para gravação de álbuns e shows; dez festivais nacionais e duas semanas de música, que  receberão artistas contemplados no edital, indicados pela Natura, como ocorreu este ano no Festival DoSol (Palco Natura).  

Na categoria artistas, fora escolhidos entre 1.618 inscritos no edital público e a indicação dos nomes foi feita por uma rede de curadores formada por 18 artistas, produtores, jornalistas, representantes de festivais e outros players do mercado musical. Já a categoria festivais não permite inscrições. A escolha é feita por indicação de curadores. 

Os selecionados são Ava Rocha (RJ), Black na Laje (MG), Bruno B.O. (PA), Carne Doce (GO), Catavento (RS), Drik Barbosa (SP), Francisco, El Hombre (SP/MEX), Iconili (MG), Jards Macalé (RJ), JosyAra (BA), Julia Branco (MG), Larissa Luz (BA), Liniker e os Caramelows (SP), Luedji (BA), Manoel Cordeiro (PA), Molho Negro (PA), Musa Híbrida (RS), Quartabê (SP), The Baggios (SE), Viola Perfumosa (RJ) e Yangos (RS). 

A Natura manteve o patrocínio para os mesmos festivais do Nordeste que ela incentivou este ano: Além do DoSol, Coquetel Molotov (PE) e Radioca (BA). Também estão no guarda-chuva o Bananada (GO), Coala (SP), Contato (SP),  Faro MPB (RJ), Música de Rua (RS), Se Rasgum (PA) e Timbre (MG). E ainda Porto Musical (PE) e a SIM SP (Semana Internacional de Música de São Paulo).

A rede de colaboradores foi formada por Aíla (cantora), Ana Garcia (Coquetel Molotov), Anderson Foca (Do Sol), Anelis Assumpção (cantora), Bina Zanetti (produtora), Eduardo Roberto - Thubas (Noisey Brasil/Vice), Fabiana Batistela (SIM São Paulo), Fabiane Pereira (Faro MPB), Fátima Pizarro (VEVO), Juli Baldi (Bananas Music), Katia Abreu (Dia da Música), Kuru Lima (produtor), Leandro Ribeiro (BMA), Luciano Matos (Radioca), Paulinho Rosa (Canto da Ema/Casa Natura Musical), Paulo Borges (SPFW), Pena Schmidt (produtor) e Renee Chalu (Se Rasgum).

Curadoria e transparência
O produtor musical Anderson Foca, que participou da curadoria e teve seu festival contemplado pelo edital, esclareceu, em postagem na rede social Facebook, não ter participado da escolha dos festivais, já que nesta categoria estava concorrendo. "Tive a honra de ter ajudado na curadoria esse ano e amei o resultado dos contemplados, sempre sabendo que muitos outros poderiam ter ganho. Quem escolheu os festivais para patrocinar foi a própria equipe da Natura, sem passar pelo debate com os curadores, que apenas ajudaram no mapeamento (assim como outros agentes) dessas atividades Brasil afora sem influência alguma na escolha final", disse. 

A premiação dos festivais pelo projeto Natura Musical suscitou críticas pela forma confusa de avaliação, que não permite aos festivais se inscreverem e não deixa claro de que forma outros eventos poderão participar em edições futuras. 

Atualizado em 29.11.2017, às 14h.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários